Segunda-feira, 29 de Maio de 2006
Perna de Pau

Seguindo mais um tanto na estrada chegamos a um lugar conhecido:

« Para além da linha férrea [...] à dir., a Perna de Pau, um dos sítios mais frequentados das hortas alfacinhas, com o seu registo de azulejos embebido na fachada da casa, a sua nora gemedora e o seu panorama característico de arrabalde lisboeta, onde perdominam o olival e o verde claro das terras de regadio.
   Este local de tradições de boémia e estúrdia de há 50 anos, nele se têm feito desgarradas à guitarra e esperas de touros, com todo o pitoresco destes folguedos.» (1)

Perna de Pau, Areeiro (P.Guedes, c. 1900)
Retiro da Perna de Pau junto ao apeadeiro do Areeiro, estrada de Sacavém, c. 1900.
Fotografia de Paulo Guedes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 A explicação do curioso nome é dada por Pastor de Macedo e Matos Sequeira em A Nossa Lisboa; Marina Tavares Dias é quem no-lo diz:

« Quem [...] deu nome à saudosa Orta [sic] da estrada de Sacavém foi a sua proprietária, a obesa Gertrudes, que em 1833 geria aquela locanda dos subúrbios. E a perna perdeu-a ela por via de um tiro de escopeta.
   A dita Gertrudes seria afeiçoada ao liberais e, quando as tropas miguelistas estavam perto dos limites de Lisboa, negou água, no seu retiro, aos soldados. Um miliciano abriu fogo atingindo uma das pernas da Gertrudes. Amputada a perna, foi depois substituída pela de pau.» (2)

Perna de Pau, Areeiro (C.A.Lima, c. 1900) 
Idem. Fotografia de Alberto Carlos Lima in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 A romaria dos lisboetas às hortas começava no primeiro domingo depois da Páscoa e ia até meados do Outono. De Arroios à Portela havia inúmeros retiros: Miguel do Café, José dos Patacos, Basalisa, Tanoeiro, António Cara Larga, Perna de Pau, o António Zé, o Mantas, o Fadista &c. (3).
 Desta Gertrudes, obesa e com uma perna de pau, sabemos pela evocação que os Amigos de Lisboa fazem de Tinop, que fazia o melhor peixe frito, acompanhado de salada de alface que se comia em Lisboa (4). Consta que as pescadinhas de rabo na boca chiavam tardes inteiras na sertã.

Retiro da Perna de Pau, Areeiro (E. Portugal, 1939)
Retiro da Perna de Pau junto ao apeadeiro do Areeiro, estrada de Sacavém, 1939.
Fotografia de Eduardo Portugal, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 Em 39 já o casal não ostentava a inscrição de azulejo na fachada nem o candeeiro à esquina da Azinhaga da Fonte do Louro. Sinal do que se avizinhava: a compra da quinta da Perna de Pau a José António da Silva para prolongamento da Av. Almirante Reis [i.e. Gago Coutinho] deu-se em 4 de Abril desse ano. Não sobrou nada da quinta. É como diz Marina Tavares dias: Lisboa cresceu além do que jamais se imaginou [e] entretanto parece também ter perdido a alma.
 E os colares de pinhões.


(1) Raúl Proença, Guia de Portugal, 1.º v., Generalidades; Lisboa e arredores, 1ª ed., B.N., Lisboa, 1924, p. 269 [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991].
(2) Marina Tavares Dias, Lisboa Desaparecida, [v. 1], 2.ª ed.,Quimera, Lisboa, 1987, p.133.
(3) Idem, p. 131.
(4) Olisipo: boletim do "Grupo Amigos de Lisboa", n.º 149, 1986 (agradeço ao Paulo Cunha Porto a informação).



Escrito com Bic Laranja às 16:08
Verbete | Comentar

20 Comentários:
De Bic Laranja a 30 de Maio de 2006 às 23:39
«Cheira bem cheira a Lisboa» também diz o rifão antigo. Cumpts.


De José Almeida a 24 de Novembro de 2012 às 15:24
Informação e conjunto fotográfico interessantíssimos. Acabei por me entusiasmar e, consultando a planta de Lisboa de 1904-1911 de Silva Pinto, deu para perceber que as casas que se encontram em segundo plano ao fundo, pertencem à antiga Quinta da Fronteira. Procurei mais e percebi também que logo a seguir a essa quinta e na mesma Estrada de Sacavém mas do lado oposto, existia uma outra, a Quinta de Santo António, cuja casa principal, dependências e logradouros ainda hoje existem! É uma das vivendas da Av. Almirante Gago Coutinho, a 6ª do lado esquerdo para quem sobe em direcção ao aeroporto. Curioso ver no Google Earth o pequeno troço da Estrada de Sacavém faz agora parte do espaço privado da casa, cuja fachada se encontrava alinhada com esta estrada e, por isso, agora ligeiramente desalinhada com a Av. A. Gago Coutinho. Da sobreposição da dita planta com o Google Earth tendo como pontos fixos de referência as antigas construções que ainda hoje se encontram na zona da azinhaga da Fonte do Louro, conclui-se que o antigo retiro Perna de Pau se encontrava situado no atual Largo Cristovão Aires, perpendicular à Rua Gilhermina Suggia. A seguir ao apeadeiro, a Estrada de Sacavém descia em direção a norte entre a atual Rua Guilhermina Suggia e a Avenida Almirante Gago Coutinho.


De Bic Laranja a 9 de Maio de 2014 às 10:54
Certíssimo.
Cumpts.


De Caiê e Pug a 30 de Maio de 2006 às 18:14
não conhecia, mas tudo o que cheira a piratarias, cheira bem!


De Bic Laranja a 30 de Maio de 2006 às 15:05
Não valeu nada a espera... Com três ilustrações idênticas e meia dúzia de larachas reunidas com assaz pouco labor?! Isso e o aparato em pé de página, veja lá se não é só promoção e imagem. Modas! Cumpts. ;)


De Paulo Cunha Porto a 30 de Maio de 2006 às 08:36
Meu Caro Bic Laranja.
Se valeu a pena esperar! Acede-se assim a uma pasta de arquivo completíssima sobre a Gertrudes. É bem verdade que na origem da prótese tosca estava um acto de pirataria: não se nega água a ninguém, menos ainda aos Defensores da Legitimidade. Muito obrigado pela referência e forte abraço.


De Bic Laranja a 29 de Maio de 2006 às 22:03
Folgo que lhe haja agradado. Obrigado pela visita! Cumpts.


De polittikus a 29 de Maio de 2006 às 20:09
Creio que não vale a pena dizer-te o tempo que estive neste blog a ver as fotos antigas de onde moro (benfica). Pois foi tanto tempo que nem eu acreditei... adorei o teu blog.


De Bic Laranja a 29 de Maio de 2006 às 19:44
Faça favor! Fico ansioso. Cumpts.


De Manuel a 29 de Maio de 2006 às 19:32
Um destes dias, se me permite, entronco neste seu post uma outra história. É um sonho. Mas encaixa bem nesta sua apetitosa colheita. Um abraço


De José Almeida a 9 de Maio de 2014 às 11:55
Estive a observando atentamente as três fotos, chega-se à conclusão de que a 2ª fotografia deve ser a mais antiga.
Quando compara com a primeira (de cerca de 1900)verifica-se que pelas alterações entretanto introduzidas na casa (por exemplo, uma nova "boca de incêndio" na parede exterior), o estado de conservação da própria casa, o crescimento dos eucaliptos que se encontram por detrás, etc, percebe-se que a 2ª fotografia deve ser, pelo menos, 10 a 20 anos mais antiga do que a primeira, presumindo-se então que deverá datar do século XIX...


De Bic Laranja a 19 de Maio de 2014 às 18:09
Observa bem, mas, por outro lado, a árvore da segunda fotografia vê-se na primeira imagem dissimulada nos eucaliptos. Não foram estes simplesmente cortados?
A segunda boca de incêndio está em ambas, apenas numa ficou encoberta pelo empregado...
Soma-se o letreiro da Perna de Pau mais degradado na segunda do que na primeira e o lampião no cunhal da casa que foi (re)posto...
A cronologia destas duas aqui é como dizia Camilo de ser Cleópatra a mulher mais bela do Mundo Antigo: a verdade é que não sabemos.
Pode ser que se descubra.
Cumpts.


De [s.n.] a 19 de Maio de 2014 às 19:57
Bem observado também. No entanto eu poderia contrapor que que a árvore que se vê na segunda foto dá ideia de ser um eucalipto que foi parcialmente cortado ou, mais provavelmente, quebrado pelo vento, aparecendo na primeira foto já com ramos altos em resultado do desenvolvimento dos novos rebentos.
O candeeiro que se vê no cunhal também poderia ser o original e não uma reposição.
Quanto ao letreiro, esse sim poderia ter sido repintado na primeira foto por as letras se encontrarem então ainda mais sumidas do que na segundaa foto.
Relativamente às bocas de incêndio, tem toda a razão. Eu não reparei que um dos empregados pode estar a tapar a segunda. Afinal eu não estava tão atento assim...
Como gosto deste tipo de desafios, logo que eu tenha mais tempo disponível, continuarei a minha observação. Caso eu descubra alguma coisa e não se sinta aborrecido com isso, voltarei ao assunto. :)
Cumprimentos
José Carlos Almeida


Comentar

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
15
17

18
19
20
21
24

27
28
29
30


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----