Quinta-feira, 28 de Julho de 2005
"A Sé é natural que se visse"

O passado torna-se ponto de fuga e de refúgio de uma demanda obsessiva: passagens no tempo às avessas do seu fluir. Aqui e ali abro desajeitadamente alguma janela. Certas vezes julgo descobrir passagens no engenho de alguém superiormente capaz... Não passam de janelas. Ninguém passa por elas.

Rua-Nova.jpg
Rua Nova dos Ferros, Lisboa no séc. XVI.
Aguarela de Roque Gameiro.



Escrito com Bic Laranja às 23:34
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quarta-feira, 27 de Julho de 2005
Obras na rua de Campolide

Foram demolidas e intriga-me o sítio onde seriam!



[É capaz de uma delas ser reconstruída em Belém...]


Foto: Armando Serôdio, [s.d.], in Arquivo Fotográfico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 07:56
Verbete | Comentar | Comentários (5)

Terça-feira, 26 de Julho de 2005
5$00

BB-22-24 CCFL 265
 Perto da casa dos meus pais passava o autocarro 55. Certa vez, tinha eu uns nove anos, resolvi descobrir o percurso do 55. Pela minha mãe soubera já que o bilhete mais caro nos autocarros era 7$50. Como era bom em aritmética foi fácil calcular que precisaria de 15$00 para levar a cabo aquela aventura. Naquele tempo a carreira 55 ia da Picheleira a Alcântara-Mar.
 Assim que consegui juntar o dinheiro fui à Picheleira e apanhei o autocarro. É óbvio que subi para o andar de cima e fui tudo lá para a frente.
 O autocarro partiu e quando chegou ao Arco do Cego o pica-bilhetes e o motorista foram rendidos. Foi o novo pica quem acabou por ir lá acima cobrar o bilhete.
 - É para Alcântara, se faz favor - disse eu.
 - São 5$00 - respondeu. Admirei-me de não ser 7$50, mas paguei e não disse nada.
 Em Alcântara-Mar nem saí do autocarro. Mirei o lugar desde lá dentro pois estava ansioso por regressar. A minha mãe não sabia de mim (se lhe tenho pedido não me deixava ir). O 55 partiu, finalmente, quase sem ninguém. Não tardou que o cobrador viesse outra vez e perguntasse:
 - Faz favor de dizer!?
 - É um de cinco - respondi. Se fora 5$00 para cá, havia de ser 5$00 para lá, pensei.
 Cheguei à Picheleira sem problemas e ainda com 5$00 no bolso. Em casa a minha mãe quis saber por onde andara. Como ela fazia má cara ao que ouvia eu disse que tinha sido só 10$00, para ver se me safava do pior. Ela afinal não me bateu...
 Mas tirou-me o dinheiro.

5$00 7$50
 Os bilhetes ficaram para colecção (com o de 7$50 por picar).



Escrito com Bic Laranja às 07:53
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Segunda-feira, 25 de Julho de 2005
Problema resolvido?

Num quebra-cabeças anterior disseram-me que a ajuda não era lá grande coisa. Este monumento está na intersecção de quatro caminhos. Se identificar um deles aqui, pode ser que descubra.


Monumento aos heróis da Guerra Peninsular, Entrecampos, post. 1933.
Foto: Judah Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 08:45
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Um pequeno olhar

... sobre o que pode ver-se ao vivo e (também) a cores no Palácio Nacional de Queluz.



[Mas só antes de Cronos fazer aqui o que tem feito acolá.]



Escrito com Bic Laranja às 08:10
Verbete | Comentar

Domingo, 24 de Julho de 2005
Nota sobre o Aterro

 O nº 125 dos Bilhetes Postais Antigos... talvez nos remeta ao cenário queirosiano do Aterro com maior verosimilhança. Pode ser que a deusa pisando a terra [Maria Eduarda], que o Carlos da Maia vira aproximar-se, caminhasse por aqui:

Aterro da Boa Vista - Lisboa
O Aterro da Boa Vista - Lisboa, [190...]



Escrito com Bic Laranja às 14:39
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Lisboa, 24 de Julho de ...
  1. A primeira história que me ocorre neste dia é a da expedição do duque da Terceira ao Algarve em Junho de 1833 e depois o seu avanço para norte, tomando Lisboa a D. Miguel em 24 de Julho. Fica uma ilustração de caderneta.



  2. A data não mereceu feriado mas justificou a mudança do topónimo do famoso Aterro d' Os Maias:
     Mas Carlos não escutava, nem sorria já. Do fim do Aterro approximava-se, caminhando depressa, uma senhora - que elle reconheceu logo, por esse andar que lhe parecia de uma deusa pisando a terra [...]
    Voltou ainda tres vezes ao Aterro, não a tornou a vêr;


    Eça de Queirós, Os Maias, [1ª ed.], Porto, Livraria Internacional de Ernesto Chardron, 1888.
    O Aterro transformou-se na Rua 24 de Julho e é hoje a avenida desse nome em Lisboa.
    Av. 24 de Julho, Lisboa
    Vista do porto e da Rua 24 de Julho, [191..]
    Foto apud José Manuel da Silva Passos, Bilhetes postais antigos, do Largo do Rato à Praça D. Luís: persistências e inovações no decorrer de quatro décadas = Old postcards of the seventh hill, Lisboa, Horizonte, 1994, nº 98.


Escrito com Bic Laranja às 08:27
Verbete | Comentar

Sábado, 23 de Julho de 2005
Sem prédios

Uma área deste tamanho sem levar prédios senão à volta? Imagino que fosse necessário um novo estado de coisas. Ou talvez não: se em lugar de relva levasse macadame ordinário e no lugar da fonte um hangar.

Alameda, Lisboa (A.Serôdio, 1966)

Alameda Dom Afonso Henriques, panorâmica, Lisboa, 1966.
Foto: Armando Serôdio, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 20:39
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Sexta-feira, 22 de Julho de 2005
Queque

A propósito de um senhor brasileiro chamado Deivid lembrei-me da permuta de vocábulos entre idiomas. É comummente aceite que tal se justifica plenamente quando o vernáculo não faculta forma de exprimir certo conceito. Foi esse o caso do queque. Os antigos ingleses não conheciam o queque (nem sabiam sequer o que era um bolo). O primeiro bolo que conheceram foi o queque. Por gulodice, logo assimilaram o conceito e adaptaram-no ao seu falar. É por isso que em qualquer dicionário de inglês se pode encontrar o seguinte:

Main Entry: 1cake
Pronunciation: "kAk"
Function: noun
Etymology: Middle English, from Portuguese queque; [...]

queque

Bom apetite!



Escrito com Bic Laranja às 21:56
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Quinta-feira, 21 de Julho de 2005
Novo aeroporto de Lisboa já!

Segundo o relatório do IX Congresso da Associação Internacional Permanente dos Congressos da Estrada, Lisboa, 1951, o aeroporto de Lisboa tem pistas em macadame ordinário que, para disfarçar, foram revestidas com betão betuminoso. Um embuste sofrido pela nação durante tantos anos obriga um governo justo à feitura dum novo aeroporto como compensação.
Aeroporto de Lisboa, c. 1950
[Parece que o sr. ministro Campos e Cunha desconhecia este relatório.]


Fotos cedidas amavelmente por H Gasolim.



Escrito com Bic Laranja às 22:51
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Quarta-feira, 20 de Julho de 2005
Vade retro praepositio

Sei de uma preposição, nem rica nem pobre, era da classe média, cujo nível de vida lhe não permitia habitar na sua cidade.


Felizmente o seu rendimento permitiu-lhe habitar numa tabuleta dos subúrbios, mas anda contrariada...


Diz que se tivesse ocupado um contentor ou construído uma tabuleta clandestina tinha beneficiado do plano de realojamento da Câmara Municipal!



Escrito com Bic Laranja às 23:28
Verbete | Comentar

Terça-feira, 19 de Julho de 2005
Lá no escritório, ao pé da fotocopiadora...

 Há tempos deu-me para afixar junto à fotocopiadora esta fotografia de Judah Benoliel de 1951 com uma provocaçãozinha: quem sabe onde é?

image.jpg


Como o assunto esmoreceu aqui vai uma ajuda.



Escrito com Bic Laranja às 08:24
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Segunda-feira, 18 de Julho de 2005
Sesimbra, Agosto de 1968

 Nesta coisa de ir a banhos julgo que comecei relutantemente em Agosto de 1968, quando ainda me não aguentava muito bem nas canetas. Os tios do Algarve avivaram-me a memória com estas relíquias.
Sesimbra, 1968
Sesimbra, 1968
[Parece-me que quando a mãe deu colinho sosseguei.]



Escrito com Bic Laranja às 20:01
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Algum dia a casa vai abaixo!

Admira-me que não haja postais com esta vista.

Praia da Falésia, 2005 

Os patos bravos já há muito a descobriram...



Escrito com Bic Laranja às 08:14
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Domingo, 17 de Julho de 2005
Do Algarve com amizade!

 Gosto das cousas à moda antiga. Um hábito que conservo é enviar postais quando estou de férias. Aqui deixo o que enviei para mim (salvaguarda para alguém que haja esquecido).
Albufeira
 Falésia, 10/7/05

 Cá estamos na Praia da Falésia. O tempo tem estado óptimo, sem fazer muito calor, e a água está deliciosa.
 Temos ido à praia todos os dias [a pé] e há pouca gente por aqui, o que melhora as coisas. Chegámos no dia 1 e contamos regressar no domingo 17.
 Beijos,
 [...]
 P. S.: cheira a Verão.



Escrito com Bic Laranja às 23:29
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Sexta-feira, 15 de Julho de 2005
Bartolomeu Dias

 Fomos ontem a Lagos depois do jantar. Enquanto passeávamos calmamente na marginal da marina topámos com Bartolomeu Dias que nos brindou com o seu retrato.
Caravela Bartolomeu Dias, Lagos, 2005
 A noute estava algo fresca. Prosseguir a pé em trajos estivais ameaçava tornar-se um cabo das tormentas. Tomámos um café asinha e seguimos vendo a cidade, de carro. Lagos via-se povoada com leda gente com boa esperança nos folguedos nocturnos.



Escrito com Bic Laranja às 09:09
Verbete | Comentar

Domingo, 10 de Julho de 2005
Lembrança num sítio antigo

Os humanos julgam possuir o poder dos deuses por erodirem certos lugares. Eis duas ideias:

  1. A Reconstituição de uma vista aérea do Cerro da Vila (in José Cavaco e Rogério Vieira Fontes, Vilamoura na Época Romana, Lusotur, Vilamoura, [s.d.], p.11) ilustra como os humanos materializam o seu poder de recriação;
    Cerro da Vila, Vilamoura
     
  2. Saturno (Cronos) tem eterna paciência e eterno poder devorador;
    Cerro da Vila, Vilamoura © 2005 

Lembrei-me disto no Cerro da Vila despendendo uma parte do crédito que Cronos me concedeu.



Escrito com Bic Laranja às 22:52
Verbete | Comentar

Quinta-feira, 7 de Julho de 2005
Adamastor

DSC03593 Lisboa.JPG 
O mostrengo ofereceu-nos um cafezinho. Talvez quisesse recordar-nos o Cabo das Tormentas.



Escrito com Bic Laranja às 22:58
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Obreiras
Trabalhadoras assim, na soalheira do Verão, havemos de lhes reconhecer mérito.

[Serão obras no jardim?]


Escrito com Bic Laranja às 08:20
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quarta-feira, 6 de Julho de 2005
Outro café

Hoje fomos por um café a Belém. Sobrou o registo que se vê.
Jerónimos, 2005



Escrito com Bic Laranja às 23:18
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----