Quarta-feira, 30 de Novembro de 2005
Noticiário
O jornal (Maria Keil)

« O suposto avião alegadamente ao serviço da C.I.A., já deixou a base das Lajes. A tripulação foi transportada num carro sem nada que o identificasse. »

 Fica claro que: 1) algo, quem sabe se ao serviço dalguém, deixou as Lajes; 2) uma tripulação foi transportada num carro que nem tinha cor.

A ilustração é de Maria Keil.



Escrito com Bic Laranja às 20:02
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Terça-feira, 29 de Novembro de 2005
O progresso

Toda-las nossas cidades se julgam hoje mui progressivas mostrando rotundas em lugares de cruzamento.
Mas em 1971 a cidade de Lisboa tornava arcaico o progresso substituindo rotundas por viadutos...

Viaduto da Av. Roma, Lisboa (A.F.C.M.L. 1971
O presidente da C.M.L. inaugura o viaduto rodoviário da Av. dos Estados Unidos da América, Lisboa, 1971.
Foto: Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Quereis mais provas?
O presidente Santos e Castro só convidou os amigos mais chegados e ignorou a hora do telejornal.
[Valha-nos que um desconhecido tirou uma fotografia.]



Escrito com Bic Laranja às 22:00
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Seranico

SeranicoEm Setembro de 73 fui com a mãe à drogaria do sr. Joaquim comprar o livro da 1ª classe. Foi 20$00, o preço era tabelado. Tinha capa dura e veio carimbado com o nº 149498 do Ministério da Educação Nacional.
 No dia seguinte a mãe comprou uma capa do Seranico e forrou
o meu livro de leitura da 1ª classe.

Pico, pico saranico,
Quem te deu tamanho bico?
Foi a filha da rainha
Que está presa na cozinha.
Salta a pulga na balança
Dá um pulo vai pra França.
As meninas a correr
As meninas a aprender
A mais bonita de todas
Comigo se há-de esconder.

 Mais lengalengas antes do Seranico apagar a luz?


Refª: Maria Luísa Torres Pires, Francisca Laura Batista, Glória N. Gusmão Morais, Livro de leitura da primeira classe, 1ª ed., Lisboa, Papelaria Fernandes, 1967. - Ilustrações: Maria Keil, Luís Filipe de Abreu.



Escrito com Bic Laranja às 06:17
Verbete | Comentar

Segunda-feira, 28 de Novembro de 2005
Diálogo de amigos

- Se eles têm mantido a cidade assim, Lisboa era muito mais bela.
- Sim pá, mas tem de haver progresso.

Praça Duque de Saldanha, Lisboa (A.Passaporte, c. 1950)
Praça Duque de Saldanha, Lisboa, c. 1950.
Foto: António Passaporte, in Postais de Lisboa, [Lisboa], C.M.L., [1998].

[Se o progresso é como hoje a vemos, vou ali e já venho!]



Escrito com Bic Laranja às 06:56
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Domingo, 27 de Novembro de 2005
O quilo

Vi aqui o quilo e...

Quilo   ...quis oferecê-lo ao Arquivo.



Escrito com Bic Laranja às 18:49
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Ekívoco?

 Sugestão enviada ao Arquivo Municipal de Lisboa em 27/11/2005 cerca das 11H30. Aguardo a resposta.

Exmos. srs.,

 Perdoem-me a franqueza. O uso do nome 'Arkivo' com a letra 'k', que nem parte faz do alfabeto português, num jornal dirigido às crianças é demasiado aberrante. Revolta-me a leviandade com que implicitamente levamos os mais moços a sentir que havendo regras, no caso ortográficas, se pode fazer gato-sapato delas. Com a agravante de a prática emanar duma Instituição com elevada competência educativa e cultural. Sugiro-vos assim o correcto uso da ortografia no título do vosso jornal.
 Atentamente,

[...]



Escrito com Bic Laranja às 11:30
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Sexta-feira, 25 de Novembro de 2005
CS-TDG

Chegou-me à mão uma grande fotografia (em fotocópia tamanho A3).
O amigo que ma trouxe lançou-me o desafio de identificar a porção visivel da cidade.

Dakota DC-3 (CS-TDG dos T.A.P.)
DC-3 da TAP sobre Lisboa, [195...].
Foto: autor não identificado, Museu da TAP.

Mas não resistiu e disse-me logo que aqui era isto, que ali se via uma nesga daquilo e que acolá veio a ficar coisa e tal.



Escrito com Bic Laranja às 21:09
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2005
A solução

O problema diário de milhões por resolver?

us59_trench_traffic_jam_1962.jpg
Este, por exemplo, Nó Dequé Luz, Pimenteira, Crile, Crele, Icê dois, Icê dezanove, Vasco da Gama,
Pina Manique, Segundo a Circular, Ponte 25 Dabril, Segundo aponte do Feijó, Vê-se Aí, Avenidá é Pê,
Túnel Dugrilo, Há um, Há dois, Há três, Há quatro, Há cinco, Há oito, &c., [s.d.].

A solução?
Um aeroporto novo.


Imagem de Barrett Canon in Historic Houston.
Revisto em 25/11/2007...



Escrito com Bic Laranja às 20:45
Verbete | Comentar

A paragem da carreira

O eléctrico de Sintra chegou a passar por aqui, mas agora fica-se pela Praia das Maçãs.

Paragem da carreira, Azenhas do Mar, 2005
A paragem da carreira, Azenhas do Mar, 2005.



Escrito com Bic Laranja às 07:00
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005
S. Pedro de Alcântara (2ª edição)

Sao Pedro de Alcantara (35).jpg
Lisboa - Panorama, Contreras, 27, [193...], apud José Manuel da Silva Passos, Bilhetes postais antigos, do Largo do Rato à Praça D. Luís: persistências e inovações no decorrer de quatro décadas, Lisboa, Horizonte, 1994, nº 35.


Cf. 1ª edição.



Escrito com Bic Laranja às 22:28
Verbete | Comentar

Terça-feira, 22 de Novembro de 2005
Espaço pirateado

 
Revi este volume da Biblioteca Fruto Real no Mistério Juvenil ao pé dos livros da Enid Blyton; também há lá Kalkitos, Bombokas, pastilhas Pirata e outros momentos mágicos.

Tom Sawyer
Encontrei lá o Tom Sawyer que manda cumprimentos.



Escrito com Bic Laranja às 21:37
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Segunda-feira, 21 de Novembro de 2005
Rituais de passagem

Antes desta ponte há uma passagem de nível com uma cancela de correr...

Linha de cintura, Xabregas
Ponte de Xabregas, Lisboa, [s.d.].
Fotografia adaptada de Geluidemissie spoorbruggen, fig. 5.


A passagem de nível dá para o Beco dos Toucinheiros, que por sua vez leva à Rua de Xabregas perto da Rua Gualdim Pais.
Continuando pela ponte, a via de cintura entronca com a linha do Norte exactamente sobre a dita Gualdim Pais.

Xabregas, Lisboa (Manuel, 1993)
Ponte de Xabregas, Lisboa, 1993.
Foto: cortesia de Manuel.

Foi isto que o puto viu depois de passar o túnel da bruxa.



Escrito com Bic Laranja às 23:26
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Domingo, 20 de Novembro de 2005
Que mania de pôr preços em tudo

Dizem que a vida não tem preço, mas a morte tem. E o mercado parece ditá-lo.
CM20051120.jpg 
[Ele há uma ordem no Mundo...]



Escrito com Bic Laranja às 20:22
Verbete | Comentar

Se um elefante incomoda muita gente...

 A R.T.P. fez hoje a extraordinária descoberta que o ruído dos aviões no aeroporto da Portela incomoda a gente que mora ou trabalha nas redondezas (não incluindo na reportagem trabalhadores do próprio aeroporto ou tripulações).
 Fazendo bater a bota com a perdigota, depreende-se que quando o superior interesse público determinar uma nova cidade algures onde haja particular interesse, a R.T.P. venha bafejar-nos que o ruído e o fumo dos automóveis são um incómodo para os cidadãos.


Aeroporto da Portela, Lisboa (A.Passaporte, 195...)
Aeroporto da Portela, Portela de Sacavém, [195...].
Foto: António Passaporte</font>, in Postais de Lisboa, [Lisboa], C.M.L., [1998].



Escrito com Bic Laranja às 20:22
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Sábado, 19 de Novembro de 2005
Há uma ordem no Mundo mas eu não sei qual é

 - Não escreveste ao Casaca? - quis saber a mãe.
 - Desta vez não.

 O modo habitual era: táxi para Santa Apolónia, comboio para Mato Miranda, táxi dali até à Azinhaga do Ribatejo.Bilhete para Mato Miranda
 Quando escrevia ao avô sobre quando íamos chegar, o pai mandava também carta ao sr. Casaca de Mato Miranda, que era para reservar o único táxi da terra. Uma certa vez não no fez. E quando chegámos a Mato Miranda o sr. Casaca - disse-nos a sua senhora lá na loja - tinha ido fazer um serviço ao Pombalinho.
 Esperámos. Uma, duas horas e o sr. Casaca nada.
 Anoiteceu...
 O pai decidiu - vamos a pé!
 Fizemos 4,5 km a pé numa hora, demonstrando que a velocidade média duma família de quatro humanos, a pé, com bagagem, entre Mato Miranda e a Azinhaga era 1,5 km/h.


Mato Miranda (M.Elói, 2003)
Foto: Miguel Elói - Mato Miranda, Fevereiro de 2004. Bilhete desta bilheteira.

  [Quando me chamaram para a tropa mandaram-me apresentar na Escola Prática de Infantaria.] 



Escrito com Bic Laranja às 10:40
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Sexta-feira, 18 de Novembro de 2005
Camioneta da carreira

Para andar em Lisboa eram os autocarros, mas para ir a outras terras era nas camionetas da carreira. Isto se excluírmos o comboio.
Eduardo Jorge, Algés (© C.Essex,1973)
Eduardo Jorge..., Algés, 1973.
Foto: Cliff Essex, in AEC's in Portugal 4.



Escrito com Bic Laranja às 06:06
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quinta-feira, 17 de Novembro de 2005
A lápis
2 lápis
Às vezes escrevo um bocadinho a lápis...


Escrito com Bic Laranja às 21:33
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Quarta-feira, 16 de Novembro de 2005
Quatro notas sobre autocarros da Carris

A primeira coisa que notei nos autocarros da Carris foi que eram altos.
A segunda, que tinham a frente parecida com os calhambeques. A minha mãe reforçava essa ideia porque lhes chamava latas velhas.
A terceira foi que, sendo verdes, tinham o volante forrado com uma fita encarnada.

Carris 210, Amoreiras [C.Essex, c.1970]
Carris - 210, Amoreiras, c. 1970.
Foto: Cliff Essex.

Carris - 130, Rotunda [C.Essex, c.1970]
Carris - 130, Rotunda, c. 1970.
Foto: Cliff Essex.

Depois, quando vi autocarros de um só piso, notei que neles o volante era forrado com fita verde. Foi a quarta coisa.



Escrito com Bic Laranja às 23:07
Verbete | Comentar | Comentários (5)

Segunda-feira, 14 de Novembro de 2005
O túnel da bruxa

  Eram uns poucos de catraios entre os 7 e os 12. Desceram a rua para a quinta dos Embrechados; o puto de 5 anos foi atrás.
  - Ó Filipe, olha! O teu irmão vem atrás de nós - disse o Ramona.
  - Corram! Vamos fugir dele - respondeu o irmão do puto.
  O puto viu-os a correr pela quinta na direcção do campinho. Quando lá chegou não os viu ali. Ah, mas lá iam eles no carreiro para a linha do comboio, ao fundo do vale.
 Já na linha viram-no vir.  - Ó pá, o puto vem ali!
  Uns cem metros mais atrás o puto corricava nas travessas da linha.
  - Gaita! Tenho que levá-lo para casa. Temos que voltar - disse o irmão.
  - Volta tu com ele. Nós continuamos - respondeu o Gordo.
  - Deixa lá o teu irmão vir connosco - interrompeu o Rui - eu tomo conta dele.
  - Está bem! O meu irmão pode vir - aceitou o Filipe não querendo desistir da aventura.
  Prosseguiram pela linha férrea. Via-se dali a estrada de Chelas, algumas quintas e o cemitério do Alto de S. João; o puto seguia todo contente na aventura. Quando passaram mais uma ponte, depois duma curva o Armando avisou:
  - Olha o túnel da bruxa!

Túnel de Xabregas, (J.Benioliel, 1914)
Greve dos ferroviários. Descarrilamento de comboio à saída do túnel de Xabregas, Lisboa, 1914.
Foto atribuída a Joshua Benoliel, in colecção Ferreira da Cunha oferecida pela Sojornal, Sociedade Jornalística e Editorial, S.A., ao Arquivo Fotográfico da C.M.L..

  À entrada do túnel o escuro travou-os. Não se via a luz ao fundo: o túnel parecia não ter fim. Todos olharam e só viam a negra escuridão.
  - Lá dentro, quando passa o comboio, a gente tem que se deitar no chão mesmo encostadinhos à parede, senão o comboio apanha-nos - dizia gravemente o Rui ao puto.
  O Gordo lançou um desafio:
  - Vamos lá dentro ver o buraco da bruxa?
 Referia-se a um nicho de abrigo no interior do túnel.
  - E se vem o comboio? O puto é pequeno, tem medo - contestou o Rui.
  - É perigoso, com os putos - insistiu o Filipe referindo-se também ao Armando, o irmão do Rui.
  - Eu já lá fui dentro e estive no buraco da bruxa. É muito grande e não tem fundo - explicava o Rui ao puto.
  - Eu também já lá fui - informou o Luís Valentão.
  - Não foste nada! - retorquiu o Gordo. - Tens a mania que és valentão!...
  O puto não tinha vontade de entrar no túnel, nem percebia bem o que era o buraco da bruxa.
  Então o Gordo atirou uma pedra lá para dentro e gritou, que era para ouvir o eco. Os outros imitaram-no numa berraria infernal.
  Ficaram um bocado a ver se passava algum comboio, sem se decidirem a entrar mais que uns metros no túnel da bruxa.
  Depois o Luís Valentão disse:
  - Vamos embora! Se chego tarde para lanchar a minha mãe dá-me uma tareia.

  Daqueles todos, só o puto veio a passar o túnel da bruxa, mas foram passados uns 10 anos.



Escrito com Bic Laranja às 07:48
Verbete | Comentar | Comentários (17)

Sexta-feira, 11 de Novembro de 2005
Estado novo

O restauro da fonte monumental da alameda de Dom Afonso Henriques ficou concluído no mês passado. É obra que não merecia o mau estado a que chegou. Ei-la em estado novo.
 Alameda, Lisboa (F.M.Pzal, s.d.)
Fonte Monumental da Alameda, Lisboa, [s.d.].
Foto Fernando Martinez Pozal, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 23:56
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

17
18
19
20
22

24
28
29

30


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Alpendre (O) (pub)
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Palaurossaurus Rex
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----