Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2006

A Quinta dos Embrechados

 A aventura do Túnel da Bruxa que preguei na parede cá do blogo há tempos começava com uns catraios metendo-se pela a quinta dos Embrechados. Pois as casas desta quinta são as que aí vedes na foto, na encosta em frente.
 Aquele prédio lá em cima ao longe é o nº 1 da praceta Sócrates da Costa, junto à Calçada do Carrascal, que limitava esta quinta dos Embrechados a SO.
 Por trás das casas vê-se o topo da escola primária nº 28; no lado sul, ainda dentro dos limites das terras que foram desta velha quinta dos Embrechados. Ali, entre as casas e a escola que havia um campinho de jogar à bola.
 Lembra-me bem destes arcos aqui à frente que traziam água à antiga Quinta da Conceição de Cima. Fiz equilibrismo neles. A quinta dos Embrechados acabava naquela espécie de caminho quase ao fundo da encosta. Estas terras da encosta e do vale deixava-as cheias de corpos imaginários de bandidos e índios, depois do Bonanza, aos sábados à tarde. Dali à linha do comboio era um passinho para toda a sorte de aventuras.
 No fim dos anos 60 as casas da quinta foram ocupadas por gente que vinha sei lá donde. Estenderam-se barracas pelas terras a N. (á direita) da quinta e ao redor da escola primária. O ponto donde foi tirada a fotografia veio a ser densamente abarracado até ao caminho de ferro e além dele, até à estrada de Chelas: eram estoutras as barracas do Casal do Pinto, por contraponto às dos Embrechados. Afortunadamente toda essa gente (ou descendentes) foi realojada há meia dúzia de anos, ali mesmo pel' aquela encosta acima, em novas casinhas da Câmara...

Quinta dos Embrechados, Lisboa
Quinta dos Embrechados [tomada da Azinhaga do Curral, que partia da Calçada da Picheleira, anos 60].
Foto: Vasco Gouveia de Figueiredo, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.

 Vem isto a propósito da tal história do Túnel da Bruxa que, se me desculpardes a vaidade, podereis ouvir no dia 6 de Março na Antena 1 da R.D.P., no programa «HISTÓRIA DEVIDA»; vai para o ar para pela voz do actor Miguel Guilherme às 17H20, 21H40 e 01H20.

Escrito com Bic Laranja às 20:49
Verbete | comentar | comentários (17)
Domingo, 26 de Fevereiro de 2006

O guarda-redes dos matraquilhos

Matraquilho, Lisboa, 2004
Jardim 9 de Abril, Lisboa, 2004.

Silhuetas de boné fazem lembrar...

Escrito com Bic Laranja às 11:28
Verbete | comentar | comentários (10)
Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2006

Patologias de passarões

 No seu gabinete, o doutor vai lendo a Internete por cliques espaçados.
 Pela porta entreaberta só o suficiente para ali caber alguém aproximam-se lentos passos de quem caminha com as mãos nos bolsos.
 O doutor vira a cabeça para a porta enquanto o olhar se atrasa no monitor. Adivinha ali o engenheiro.
 Dali, da porta entreaberta, mãos metidas nos bolsos, diz-lhe em voz baixa e tom sério o dito cujo:
 - Parece que há um pato na Alemanha...
 - Parece que há um pato na Alemanha?... - contesta o interrogativo doutor no mesmo tom e voz do engenheiro.
 Sem dizer mais o que seja, entreolham-se doutor e engenheiro.
 Os passos deste último, mãos metidas nos bolsos, voltam ao corredor ganhando distância da porta entreaberta.
 Passados 20 minutos a cena repetiu-se.



Alfredo Roque Gameiro
Ilustrações escolhidas d' As Pupilas do Senhor Reitor, nº 19.

Escrito com Bic Laranja às 22:18
Verbete | comentar | comentários (9)
Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2006

Sabeis que bela estrada era esta?

A estradas tantas este blogo como que empanou, hesitante; a desempanagem parece apontar a Nacional 7...
EN7pav2.jpg
Foto
daqui por gentileza de Manuel.

Escrito com Bic Laranja às 20:46
Verbete | comentar | comentários (6)
Domingo, 19 de Fevereiro de 2006

A estrada de Sacavém, 2ª lição

Estrada de Sacavém Aquela imagem campestre de 17 da estrada de Sacavém, ao Areeiro, perto do retiro A Perna de Pau fascinou-me tanto que deu nisto:

 1 - Ponto de encontro da Rua Agostinho Lourenço com a Av. de São João de Deus, onde ficava a passagem de nível e onde se acedia à plataforma do antigo apeadeiro do Areeiro (nos 1 e 2 da fotografia).
 2 - Av. Almirante Gago Coutinho, ou do aeroporto, que passa em viaduto sobre a linha de caminho de ferro de cintura.
 3 - Entroncamento da Rua Guilhermina Suggia com a Av. Frei Miguel Contreiras, rasgadas no que eram terras da Quinta dos Lagares d'El Rei (nº 6 na fotografia).
 4 - Av. dos Estados Unidos da América no cruzamento com a avenida do aeroporto, onde antigamente ficava a Quinta da Fronteira (nº 5 na fotografia).

 Depois a estrada de Sacavém prosseguia a poente da actual avenida do aeroporto (o traçado desta não se lhe sobrepôs), até ao sítio da Portela... Ia salpicada de quintas; resta a Quinta de Santo António no nº 81 da Gago Coutinho; e no lugar do nº 115, onde era a Quinta do Narigão, há vestígios da velha estrada (pavimento de basalto e muro).
[Do retiro da Perna de Pau talvez venha a falar depois.]
 - Perguntas?

 


Mapa de Lisboa Interactiva sobre a planta 12N (URBA-LT-03-143-12N) do Levantamento da Planta de Lisboa: 1904-1911.

Escrito com Bic Laranja às 22:35
Verbete | comentar | comentários (11)
Sábado, 18 de Fevereiro de 2006

A desempanagem

 Os que se metessem de automóvel à estrada de Sacavém (ou outra), acho que podiam seguir descansados; caso empanassem este senhor do Automóvel Club havia de dar uma ajuda. Quando não, o melhor era pedir numa daquelas quintas uma ajudinha...

acp_pronto-socorro.jpg
Foto: Automóvel Club de Portugal, amavelmente cedida pelo amigo M. de Monsanto.

Escrito com Bic Laranja às 19:41
Verbete | comentar | comentários (8)
Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2006

A estrada de Sacavém

 A minha mãe dizia-me em menino que o Ribatejo começava em Vila Franca. Na verdade Alverca já era do Ribatejo, mas era o mais típico cenário rural que se via a partir de Vila Franca que a levava a dizer assim. Isto dizia ela quando eu era pequeno. Antes, muito antes, e quando desse tempo mais antigo ela falava, o que eu lhe ouvia era que a cidade acabava no Areeiro; daí a diante era tudo campo.

Estrada de Sacavém, Areeiro (E.Portugal, 1938)
Passagem de nível na estrada de Sacavém, ao Areeiro, perto do retiro A Perna de Pau, Lisboa, c. 1938.
Fotografia: Eduardo Portugal in Arquivo Fotográfico da C.M.L.


 Dada a antiguidade da fotografia e a actual densidade urbana do lugar apresentado, achei pertinente esta adenda (23h20). Junto uma com os pontos da legenda na certeza do valor histórico da fotografia ser do interesse dos leitores que simpaticamente visitam este blogo, os quais, naturalmente, podem estar menos familiarizados com este lugar de Lisboa.

Legenda:
1 - Os dois prédios à direita correspondem aos nos 20 e 22 da actual Rua Agostinho Lourenço (troço da antiga estrada de Sacavém), que desce à esquerda da avenida do aeroporto (no lado oposto à bomba de gasolina, logo abaixo do Areeiro) em direcção à linha férrea.
2 - Cancela da passagem de nível do Areeiro que já não existe, suprimida que foi com as últimas obras na estação do comboio.
3 - Casa no troço da estrada de Sacavém que seguia entre a actual Rua Guilhermina Suggia e a avenida do aeroporto.
4 - Retiro e Quinta da Perna de Pau, a nascente da estrada, uns 100m além da passagem de nível.
5 - Quinta da Fronteira, mais ou menos onde hoje a Av. dos Estados Unidos da América se cruza com a Avenida do Aeroporto.
6 - Terrenos da Quinta dos Lagares d'El-Rei a poente da estrada de Sacavém; a casa desta quinta ainda existe.
7 - Quinta da Feiteira, além do que é hoje a Av. do Estados Unidos da América.

(Revisto em 1/3/2017.)

Escrito com Bic Laranja às 06:18
Verbete | comentar | comentários (11)
Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2006

Namoro...

 A mocinha rabiscou na areia, estilo sms. O moço rodeou a pergunta um bom par de minutos. Não sei se era timidez se pouco enamoramento o que lhe tolhia a resposta.
 O Cupido, nos seus termos, pôs ponto final ao caso.

DSC04244 Namoro.jpg
Queres namorar cmg?, Praia das Maçãs, 2005.


[Hoje, acho que pontuaram um parágrafo no centro comercial: vendas de S. Valentim!]

Escrito com Bic Laranja às 22:36
Verbete | comentar | comentários (7)
Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2006

Torres sineiras

 Já clamei sobre sobre o caso aqui, onde a estatuária sobressaía na justa medida; repeti-o além onde o bom senso recuou o edifício público (dignamente de maior volume) em relação à rua. Se reparardes na ilustração d' O produto interno vereis naturalmente a forma da igreja de Benfica recortando o horizonte.
 Mas torna-se já vã a busca de torres sineiras na cidade!...

A27147_Igreja_Benfica.jpg
Igreja de Nossa Senhora do Amparo, conhecida hoje em dia por igreja de Benfica, e ribeira de Alcântara, séc. XIX.
Archivo Pitoresco, vol VI, Lisboa, Typographia de Castro Irmão, 1863, p.105.

 

Escrito com Bic Laranja às 20:32
Verbete | comentar | comentários (4)
Sábado, 11 de Fevereiro de 2006

O produto interno

 Lisboa, sexta-feira, quase seis da tarde: apanhado na ratoeira da 2ª Circular, quando arranco, não progrido mais que meio carro...
 Ouço uma sirene lá atrás; o Doppler diz-me que avança em melhor ritmo que eu. Enquanto procuro nos espelhos a fonte do aflito som, salta o aviso da telefonia do carro :
 - 2ª Circular: no viaduto da Fonte Nova, no sentido aeroporto Pina Manique há um veículo capotado. Trânsito com muita demora; a fila chega à Encarnação.
 
- Que raio! Tanto banzé sobre homossexualidade e esta gente não consegue dizer bicha - pensei. O pensamento foge; passa a vaguear entre a moral preocupação com a(s) vítima(s) do acidente e a irritação pelo transtorno no tráfego. Mas a sirene soa-me agora ali, duas filas à minha direita, e afasta-me daquela angústia.
 Sigo com os olhos o gemido estridente e, onde esperava ver uma ambulância vejo um polícia de mota, levantado do assento, gesticulando vigorosamente para afastar a mole de carros engarrafados. Os malabarismos que faz anunciam gente grada:
 - Um batedor? - digo cá para mim. - Lá vem alguém que não pode sujeitar-se à hora de ponta como os comuns mortais.
 Nisto, outro batedor. Logo atrás, furando agilmente no meio do trânsito um autocarro dum clube de futebol.
 - !... 
 - Um autocarro dum clube de futebol?! Um autocarro dum clube de futebol?!...
 E lá seguiu enquanto eu ali fiquei; ali ficámos os comuns mortais, baixando o défice pela via do I.V.A. e do I.S.P. vãmente queimados; promovendo o P.I.B. pela via dos lucros das petroleiras...
 E o autocarro do clube?
 Claro que seguiu! A indústria da bola pode produzir grande riqueza; mas não parada no trânsito...

A25353_Feiteira_Benfica.jpg
Equipa da Associação de Futebol de Lisboa que jogou com os estudantes de Bordéus e ganhou por 5-1.
Campo da Feiteira, Benfica, 21/5/1911.
Fotografia de Joshua Benoliel in Uma Cidade do Futebol, C.M.L. e Assírio e Alvim, Lisboa, 2004.

 

 


Nota: não sei nada do acidente nem passei por ele; saí da Circular na primeira oportunidade para evitar mais angústias.

Escrito com Bic Laranja às 06:52
Verbete | comentar | comentários (3)
Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2006

Ó pá, é o mercado!

Postais de Lisboa
EDITORES - BELÉM & CA
[Lisboa, c. 1890.]


Este brinde da empreza editora Serões Romanticos aos seus assignantes foi gentilmente cedido por MANUEL.

Escrito com Bic Laranja às 19:43
Verbete | comentar | comentários (13)
Segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2006

O caixeiro

 O caixeiro também começou como marçano. Foi na drogaria do sr. Teixeira, à Rua de S. Bento, quando ainda lá havia o arco. Muito antes daquele moço lá da vizinha da tia do patrão, no armazém do Poço do Bispo, foi ele que aqui foi apanhado pelo fotógrafo.

A8461_Rua_Sao_Bento.jpg
Drogaria e Perfumaria Teixeira [Rua de São Bento 230-236], Lisboa, [1911].
Foto de Joshua Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 06:03
Verbete | comentar | comentários (4)
Domingo, 5 de Fevereiro de 2006

Casa da Vigia

Casa da Vigia, Magoito &copy 2005
Casa da Vigia, Magoito, 2005.

Escrito com Bic Laranja às 18:35
Verbete | comentar | comentários (8)
Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2006

Notava-se lá o duque...

 «A Avenida de Fontes Pereira de Melo termina na rotunda da Praça do Duque de Saldanha, cercada de heterogéneas edificações, e a meio da qual se ergue o monumento ao Duque de Saldanha.

 A pedra fundamental do monumento, cuja parte escultural é de Tomás da Costa e a arquitectónica de Ventura Terra, foi lançada em 1904 tendo-se inaugurado em 1909. A estátua, que representa o marechal de pé, com a mão direita apontando na direcção do S., assenta sobre um pedestal dórico de base quadrangular flanqueado de colunas com capitéis canelados. À frente da estátua, na base, a figura alegórica da Vitória, de bronze, nas outras faces panóplias ornamentais pendem da boca de leões, tudo de bronze.» (1)


Praça Duque de Saldanha, Lisboa, post 1909. [ao fundo a Av. Casal Ribeiro].
Foto: Joshua Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.. 

 

 Heterogéneas edificações é o que mais há na dita praça. Uma das mais modernas, de brônzeos vidros e enorme volume, abafa completamente o monumento aos olhares que possais atirar desde a Av. da República.


(1Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores, 1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 251. [Reedição da Fund. Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1ª ed. de 1924].

Escrito com Bic Laranja às 21:30
Verbete | comentar | comentários (2)

Agora, o nevão de 54

Acho que nunca se viu tanta neve em Lisboa... Nem no meu correio electrónico.
Agradeço aqui a todos os que gentilmente se lembraram de mim e me remeteram as fotografias de 54 que aí vão em baixo. Infelizmente desconheço a fonte e o autor.

lisboa54_neve3.jpg
Av. António Augusto de Aguiar, Lisboa, 1954.

lisboa54_neve6.jpg
Rua Castilho, Lisboa, 1954.

lisboa54_neve5.jpg
Parque Eduardo VII, Lisboa, 1954.

Tal como agora, em 54 a neve foi uma alegria.

Escrito com Bic Laranja às 19:28
Verbete | comentar | comentários (4)

Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

arquivo

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS

____