Sexta-feira, 21 de Abril de 2006
[...] 12,8 km Ponte Pedrinha

Ponte Pedrinha, Queluz (A. Passaporte, s.d.)
Aqueduto das Águas Livres, Queluz, [c.1950].

Ponte Pedrinha, Queluz (A. Passaporte, s.d.) 
Aqueduto das Águas Livres junto à ribeira de..., Queluz, [c.1950].


Fotografias de António Passaporte, no Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 21:48
Verbete | Comentar | Comentários (12)

[...] 9,5 km entroncamento com o ramal para Queluz

Palácio de Queluz (s.n., s.d.)
Palácio Nacional de Queluz, [s.d.].
Foto: Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« Queluz, sit. numa baixa fértil, rodeada de outeiros, hoje sede de um grupo de baterias a cavalo e uma Escola Prática de Agricultura.
Carros de aluguer: José de Sousa; Vicente dos Santos. - Est. tel-post. - Cabine telefónica: Farmácia André. - Algumas pensões e casas de aluguer, ocupadas no Verão por famílias de Lisboa. - Boa água. - Desc. sem.: 5.as feiras. - Bilh. post. ilus. em todos os estabelecimentos.»

 


[Terreiro do Palácio de Queluz], post. 1939.
Foto: Felix's Car Photo Collection.

Queluz (A. Madureira, 1961)
Queluz, 1961.
Foto: Arnaldo Madureira in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Excerto do Guia de Portugal (p. 478).



Escrito com Bic Laranja às 06:48
Verbete | Comentar | Comentários (7)

Terça-feira, 18 de Abril de 2006
[...] 8,5 km Porcalhota

Tornando à estrada ordinária (em múltiplos sentidos).

Quinta do Assentista, Porcalhota (A. Madureira, 1961) 
Solar e Capela da Quinta do Assentista, Porcalhota [Amadora], 1961.

Chafariz da Porcalhota (A. Madureira, 1961)
Chafariz da Porcalhota, [Amadora], 1961.
Fotos: Arnaldo Madureira in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 21:05
Verbete | Comentar | Comentários (16)

Domingo, 16 de Abril de 2006
As portas fiscais e o marco zero
« Seguindo a estr. de Benfica, vai-se ter às antigas portas fiscais [...] »

Portas de Benfica, Lisboa (A. Madureira, 1961)
Portas de Benfica, Lisboa, 1961.
Fotos: Arnaldo Madureira in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Portas de Benfica e posto da Polícia de Trânsito, Lisboa (A. Madureira, 1970)
Portas de Benfica e posto da Polícia de Trânsito, Lisboa, 1970.
Fotos: Arnaldo Madureira in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 Passando as Portas, eleva-se a estrada ordinária a uma outra ordem: o marco miliário indica E.N. 249, km 0. Por aí é o caminho para a Amadora e Queluz...

Portas de Benfica, Venda Nova (A. Goulart, 1962)
Portas de Benfica, Venda Nova, 1962.
Foto: Artur Goulart in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Excerto: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 441. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1.ª ed. de 1924].



Escrito com Bic Laranja às 09:00
Verbete | Comentar | Comentários (12)

Sexta-feira, 14 de Abril de 2006
Pela estr. ordinária:

[...] 7.3 km Benfica;

« [Depois da Av. Gomes Pereira] segue-se à esq. a estr. das Garridas, e assim nos encontramos junto à igr. paroquial de Benfica, que tem por invocação Nossa Senhora do Amparo.»

Estr. das Garridas, Lisboa (P. Guedes, c. 1904)
Chafariz da estrada das Garridas, Benfica, [c. 1904].
Foto: Paulo Guedes in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Igreja de Nossa Senhora do Amparo, Benfica (P. Guedes, c. 1900)
Igreja de Nossa Senhora do Amparo, Benfica, [c. 1904].
Foto: Paulo Guedes in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« Duma só nave, foi constr. no princípio do séc. XIX e reformada em 1882, tendo ali feito várias obras de pintura o decorador Pereira Cão. Na sacristia um lavabo monolítico de mármore.»

 Neste ponto terminava a linha eléctrica de Benfica.

« Seguindo para a esq. a Avenida de Grão Vasco, vai dar-se ao Parque Silva Porto [resto da antiga quinta da Feiteira], linda mata de ciprestes, pinheiros e eucaliptos com belas vistas, muito frequentada pelas classes populares de Lisboa. (Restaurante aos domingos; brinquedos para crianças). No meio duma placa de verdura o plinto destinado ao busto do pintor Silva Porto.»

Busto de Silva Porto, Benfica (A. Madureira, c. 1960)
Busto de Silva Porto, do escultor Costa Mota, Benfica, c. 1960.
Foto: Arnaldo Madureira in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« Para o lado oposto à Avenida de Grão Vasco sobe a calçada do Tojal [à esq. na fotografia da igreja], que conduz aos sítios arrabaldinos das Pedralvas e Caliça

Pedralvas, Portas de Benfica (E. Portugal, c. 1940)
Pedralvas, Portas de Benfica, c. 1940.
Foto: Eduardo Portugal, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Retiro do Caliça, Portas de Benfica (P. Guedes, c. 1904)

Retiro do Caliça, vendo-se em 2º pl. o cemitério de Benfica, estrada dos Salgados, c. 1904.
Foto: Paulo Guedes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Excertos: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 441. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1ª ed. de 1924].



Escrito com Bic Laranja às 17:19
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Domingo, 9 de Abril de 2006
Bifurca-se a estrada
« Passado o palácio [1], que esquina para a Azinhaga do Conde de Azambuja, bifurca-se a estrada em frente a um prédio brasonado, sendo o troço da dir. a estrada das Laranjeiras [4], e o da esq. o que segue em direcção a Benfica [3]. Continuando por esta e na sequência da linha eléctrica, fica-nos à esq. o Campo Desportivo de Palhavã (futebol), e a seguir, do mesmo lado o antigo Hipódromo da Sociedade Hípica Portuguesa. A estr. atravessa pouco depois o viaduto da linha de cintura entre os apeadeiros do Rego e das Laranjeiras [i.e. Sete Rios].»

Vista aérea das avenidas novas; Lisboa (Judah Benoliel, c. 1945)
Vista aérea das avenidas novas, Lisboa, [194...].
Foto: Judah Benoliel in Aqruivo Fotográfico da C.M.L..
(cf. Marina Tavares Dias, Lisboa Desaparecida, v. 5, 2ª ed., Quimera, Lisboa, 1996, pp 130-131.)

 
Mas sigamos pela estr. ordinária: [...] 4 km Sete Rios; 7,3 km Benfica...


Legenda: 1) palácio da Palhavã; 2) parque de José Maria Eugénio de Almeida; 3) estrada de Benfica (ou de Palhavã); 4) estrada das Laranjeiras: 5) I.P.O.; 6) apeadeiro e passagem de nível das Laranjeiras; 7) est. do Rego; 8) ap. de Entre Campos; 9) ap. do Areeiro; 10) igr. de N.ª Sr.ª de Fátima; 11) Campo Pequeno; 12) Alameda.
Excerto: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 433. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1ª ed. de 1924].



Escrito com Bic Laranja às 09:48
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Sábado, 8 de Abril de 2006
O sítio de Palhavã
« [...] O sítio chamado de há muitos séculos Palhavã, onde se ergue o majestoso palácio deste nome, construído em 1660 pelo 2º conde de Sarzedas e melhorado e aumentado pelo 3º conde, seu filho. Data desta época o portão que hoje se vê armoriado com o escudo dos Mendonças [i.é, Mendoças], da casa de Azambuja, que o venderam por sua vez à Legação de Espanha.»

Palácio da Palhavã, Lisboa (E. Cerdeira, s.d.)
Palácio da Palhavã, Lisboa, [s.d.].
Foto: E. Cerdeira in Lisboa Antiga.

« Neste palácio m. em 1683 a rainha D. Maria Francisca, de Sabóia, mulher dos reis D. Afonso VI e Pedro II. Aqui residiram também os infantes D. António, D. Gaspar e D. José, filhos naturais de D. João V, que ficaram por isso conhecidos por meninos de Palhavã. Os franceses danificaram muito este palácio, em cujos sumptuosos jardins e parques, entretidos ao gosto holandês, se desenrolaram as últimas cenas das lutas liberais, tendo os soldados do marechal Bourmont, comandante do exército miguelista, ocupado estes terrenos, atacando destes os redutos da Atalaia e Campolide, onde o exército liberal do Duque de Saldanha defendia a cidade [...] »

Estrada de Benfica, Palhavã (F.M. da Costa, s.d.)
Muro do parque de J. M. Eugénio que foi demolido para prolongamento da praça de Espanha, Lisboa, [s.d].
Firmino Marques da Costa, in Arquivo Fotográfico da C.M.L. (imagem s/ marca de água por gentileza de Helena Àguas).


 Passado o palácio, que esquina para a Azinhaga do Conde de Azambuja, bifurca-se a estrada...


Excertos de: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 432-433. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1ª ed. de 1924].

(Revisto em 10/VI/2013 e em 13/VII/2014.)



Escrito com Bic Laranja às 12:42
Verbete | Comentar | Comentários (5)

Quinta-feira, 6 de Abril de 2006
Para o N. segue a estrada...
« Para o N. segue a estrada de Benfica, à dir. da qual se estende o parque de José Maria Eugénio de Almeida, onde, de 1884-1905, esteve o Jardim Zoológico.»

Parque José Maria Eugénio, Lisboa (s.n., c. 1900)
Parque de José Maria Eugénio,
Lisboa, c. 1900.
Foto: Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« O parque, que é cercado por um muro ameado, ornado de torres, vigias e pavilhões, é hoje [1924] apenas a ruína do que foi. A erva cresce por toda a parte, em grandes tufos; a propriedade foi retalhada e convertida em hortas; todavia ainda se admiram alguns belos exemplares de cedros e eucaliptos.»

Cavalariças no parque José Maria Eugénio, Lisboa (P. Guedes, c. 1910)
Cavalariças no parque de José Maria Eugénio, Lisboa, 1910.
Foto: Paulo Guedes in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Parque José Maria Eugénio, Lisboa (P. Guedes, c. 1904)
Parque de José Maria Eugénio, Lisboa, c. 1904.
Foto: Paulo Guedes in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 O parque de José Maria Eugénio de Almeida é onde fica actualmente a Fundação Calouste Gulbenkian.
 É aí o sítio chamado há séculos Palhavã...


Excertos de: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 432. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1ª ed. de 1924].



Escrito com Bic Laranja às 18:54
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Quarta-feira, 5 de Abril de 2006
O topo N

Palácio Vilalva (J. Benoliel - c. 1909)
Palácio Vilalva, fachada principal. Instalações do Q.G. da R.M.L., Lisboa, c. 1909.
Joshua Benoliel in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« O topo N. do largo de S. Sebastião da Pedreira é ocupado pelo palacete que foi do capitalista José Maria Eugénio de Almeida, à direita do qual há um palácio setecentista conhecido pelo palácio das Picoas [palácio Sá da Bandeira].»

Largo de S. Sebastião da Pedreira (E. Portugal, s.d.)
Q. G. da R.M.L.— Palácio Vilalva [à dir. o palácio Sá da Bandeira], Lisboa, [s.d.].

Eduardo Portugal in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Para o N. segue a estrada...


Excertos de: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1.ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 432. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1.ª ed. de 1924].
Fotografias: Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 06:56
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Segunda-feira, 3 de Abril de 2006
A Queluz e Sintra...

 Pela estr. ordinária: 2,6 km, S. Sebastião da Pedreira; [...]

Av. António Augusto de Aguiar [92-102], Lisboa (J. Benoliel, c. 1909)
Av. António Augusto de Aguiar
, [92-102], Lisboa, c. 1909.
Joshua Benoliel in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« [A Av.] de António Augusto de Aguiar, plantada de ailantos, pitósporos e choupos de Holanda, e à esquerda da qual ficam os terrenos destinados ao Parque de Eduardo VII. Paralela a ela corre a E. a rua de S. Sebastião da Pedreira, que termina no largo do mesmo nome, onde se eleva a igreja de S. Sebastião da Pedreira, fundada em 1652 junto duma antiga ermida que ali existia no séc XVI.»

Igreja de S. Sebastião da Pedreira, Lisboa (J. Benoliel, c. 1909)
Igreja de S. Sebastião da Pedreira, fachada principal
, Lisboa, c. 1909.
Joshua Benoliel in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

« Interior carregado de decoração, com silhares de azulejos e excelente talha do séc. XVII nos caixilhos que emolduram as telas. Entre as imagens, as de N.ª S.ª da Saúde, trazida em 1539 de Roma pelo patriarca das Índias D. João Bermudes, e de Sta. Rita de Cássia, que veio do convento dos Grilos.»


Excertos de: Raúl Proença, Guia de Portugal, 1º v., Generalidades; Lisboa e arredores,  1ª ed., Lisboa, B.N., 1924, p. 432. [Reed. da Fundação Calouste Gulbenkian, imp. 1991, que reproduz fielmente a 1ª ed. de 1924].
Fotografias: Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 06:43
Verbete | Comentar | Comentários (11)

Domingo, 2 de Abril de 2006
O lado certo da avenida

 Dá-me a impressão que o pachorrento carro eléctrico que, julguei eu, vinha ontem de Benfica ou Carnide afinal ainda lá não chegara. Este que se vê aí é que vem de lá. São os animais que no-lo mostram. A bem dizer, podiam lá os animais circular sempre à toa! Só se fossem umas bestas!...

Av. António Augusto de Aguiar, Lisboa (J. Benoliel, c. 1909)
Avenida António Augusto de Aguiar, Lisboa, [1909].
Joshua Benoliel in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

[Este alfacinha aqui especado é que não parece muito convencido.]



Escrito com Bic Laranja às 10:32
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Sábado, 1 de Abril de 2006
Um olho no burro...

 Anteriormente à monumentalidade dos anos 40 a Av. António Augusto de Aguiar era dum singelo pitoresco: uma cigana mai-los burricos a caminho da Palhavã; um pachorrento eléctrico que desce, regressando de Benfica ou Carnide; um longo passeio com os taludes do parque Eduardo VII bordejando a avenida a poente, antes da edificação da Sidónio Pais.

Av. António Augusto de Aguiar, Lisboa (J. Benoliel, 1909)
Cigana com burros, Lisboa, 1909.
Joshua Benoliel in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 13:52
Verbete | Comentar | Comentários (6)

A varanda

 A propósito da neve deste ano em Lisboa recebi algumas fotografias do nevão de 54. Três delas, afixei-as em Fevereiro aqui na parede, mas esta primeira que aí vedes ficou guardada. Deixo-vo-la agora com uma historieta.
 Na altura, procurei a um amigo correspondente quem seria o autor das ditas fotografias; ao mesmo tempo desafiei-o a descobir a marca dos carros retratados. Ora ele, desafiador também, propôs-me eu achar a varanda onde o fotógrafo estivera fotografando, cujo parapeito se vê no canto inferior esquerdo.
 Desafios aceites e resolvidos de parte a parte há já bastante, torno agora ao caso da varanda para ilustrar com a fotografia lá ao fundo a resposta que dei então.

Lisboa - Neve na Av. António Augusto de Aguiar (1954)
Av. António Augusto de Aguiar, Lisboa, 1954.

Lisboa - Av. António Augusto de Aguiar (c. 1952)
Av. António Augusto de Aguiar, nº 13, Lisboa, c. 1952.
António Passaporte, Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 A varanda há-de ser a 5ª a contar da esquina; a última com a porta aberta.



Nota: antecipando novo desafio, o poiso da nova fotografia é a varanda do 2º andar (à esquerda) do prédio em 1º plano na imagem de 54.



Escrito com Bic Laranja às 07:29
Verbete | Comentar | Comentários (12)

Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----