Sexta-feira, 30 de Junho de 2006
Os votos da colaboradora



[Obrigado é porque recebeu o subsídio...]



Escrito com Bic Laranja às 13:14
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Legolândia?

Vilamoura, 2006
Vilamoura, 2006.

Já se pareceu mais...



Escrito com Bic Laranja às 12:48
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Quinta-feira, 29 de Junho de 2006
Os olivais e a...

Sacor, C. Ruivo (J.Geraldes, 1967)
Sacor, Cabo Ruivo, 1967.
Foto de João Brito Geraldes no Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 20:29
Verbete | Comentar

A Sacor e os Olivais

Cabo Ruivo, Lisboa (A.Serôdio, 1969)
Panorâmica de Cabo Ruivo, Lisboa, 1969.
Foto de Armando Serôdio no Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 20:28
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Terça-feira, 27 de Junho de 2006
A mota do Chico

 O senhor do talho era o senhor Chico. Era mesmo assim que ouvia a minha mãe chamar-lhe: senhor Chico, pronunciando audivelmente as sílabas. O talho tinha na parede um enorme cartaz de touradas, coisa que eu vagamente imaginava ligada a bifes. Naquele tempo lá no talho era o senhor Chico e o seu pai. Depois, recorda-me que trabalhou lá o Quim, mais tarde também o Ramona…
 Costumava o senhor Chico vir de terça a sábado na sua lambreta verde-clara, grande, de marca alemã. Referindo-se-lhe, todos os lá da rua diziam: a mota do Chico.

A mota do Chico
Imagem adaptada. Original em HeinkelTourist.com.

 A mota do Chico foi anos a fio um adorno quase diário daquela rua. Todos os miúdos, gerações deles, brincaram nela ou fizeram dela assento quando não brincavam a coisa nenhuma. Ele, o senhor Chico, nunca se aborrecia – só se deitassem a mota ao chão, que aconteceu só uma vez. E também não se aborrecia nada quando os miúdos entravam pelo talho pedindo um torresmo. Dava sempre!



Escrito com Bic Laranja às 21:46
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Segunda-feira, 26 de Junho de 2006
A Avenida

 Atentos leitores aqui deste blogo de notas têm-me comentado o aparente anacronismo da imagem dos Cavaleiros e tipóias. De feito, a não ser que seja desfile - dizem-me os benévolos leitores e eu concordo -, os meios de transporte, o candeeiro (talvez a gás), o tipo da calçada (ou falta dela), o uniforme do sr. polícia; tudo parece remeter a dita imagem uns 25 anos para trás.
 Admitindo que o arquivista tivesse válida razão para dar a fotografia ao ano de 28 mantive a legenda do Arquivo. Descrendo eu também, todavia, da verosimilhança da datação, revi o artigo, marquei a dúvida e aventei uma conjectura, também marcada de dúvida: a fotografia, não sendo obra do autor indicado, seria talvez peça da sua colecção; uma fotografia que ele não tirara, portanto, mas que obtivera por compra ou oferta. A verdade é que não achei nenhuma prova de nada...
 Do pouco estudo que fiz, deixo-vos a Panorâmica da Avenida, Lisboa, 1930 [ou talvez 1934].

Avenida, Lisboa (F. da Cunha, 193...)

 

 Parece-me que nesta o fotógrafo Ferreira da Cunha trepou ao pedestal do Marquês.



Escrito com Bic Laranja às 07:24
Verbete | Comentar | Comentários (5)

Domingo, 25 de Junho de 2006
2 pisos, 35º

 Não foi o bigodes que me contou, foi o motorista com quem ele fazia equipa no 55: os primeiros autocarros de dois andares em Lisboa foram o 201 e o 202 e tinham a cabina à direita. O que ele não disse foi que vieram em 1947 e a Carris estava a construir uma estação de serviço para autocarros nas Amoreiras. Diz que os lisboetas receberam os novos autocarros de dois andares com receio e admiração (1).
 Vede o 201.

Carris, nº 201, Amoreiras (C.Essex, c. 1970)
Carris: nº de frota 201 (IL-13-09), Amoreiras, c. 1970.
Foto de Cliff Essex.

O receio não tinha razão de ser: o ensaio abaixo mostra que um autocarro de dois andares (AEC Regent III) podia inclinar-se até 35º antes de tombar (2).
Inclinação: 35º


Fontes: (1) Os Autocarros em Portugal e (2) Park Royal Vehicles.



Escrito com Bic Laranja às 16:24
Verbete | Comentar | Comentários (10)

Sábado, 24 de Junho de 2006
Cavaleiros e tipóias

[Apesar dos orgulhosos cavaleiros, este guarda não cortou o trânsito na Avenida!]

Av. da Liberdade, Lisboa (F. Cunha, 1928)
Av. da Liberdade, Lisboa, 1928 [?].
[Colecção(?) de] Ferreira da Cunha, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Revisto em 25/6 às 10h30 da manhã.



Escrito com Bic Laranja às 23:28
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Sãe João

 Olha o balão na noite de São João...

 
 Olha o Balão na Canção de Lisboa.



Escrito com Bic Laranja às 00:01
Verbete | Comentar | Comentários (9)

Sexta-feira, 23 de Junho de 2006
Campo de batatas (5 de Outubro)

 Estes saloios aqui cavando batatas estiveram a um passinho donde vi umas peixeiras passar com a canastra à cabeça... Com cinquenta anos de avanço, bem entendido.
 Notai ao fundo o mercado geral dos gados - a Feira Popular, entenda-se. Mais longe, as quatro cúpulas da praça do Campo Pequeno.

Terreno em Entrecampos, Lisboa (J.Benoliel, c.1910)
Terreno em Entrecampos onde foi aberta a Av. 5 de Outubro, Lisboa, c. 1900.

 
Eles, os saloios, pela a lente de Joshua; elas, pela de Judah Benoliel. Todos no Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 06:10
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quarta-feira, 21 de Junho de 2006
O tom do Verão

Na 2ª classe fixei para sempre o Verão neste tom. Foi em 1975.

O tom do Verão (M.Keil, L.F. Abreu)
Ilustração: Maria Keil e Luís Filipe de Abreu, no respectivo livro.



Escrito com Bic Laranja às 19:54
Verbete | Comentar | Comentários (9)

Segunda-feira, 19 de Junho de 2006
De cavalo para burro

- Ao movermos um qualquer objecto F dum ponto A para um ponto B, o que lhe acontece?
- F é deslocado de A para B, obviamente.
- Não! 
O objecto F é deslocalizado.

Deslocação


[Ou pior!]



Escrito com Bic Laranja às 19:47
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Sábado, 17 de Junho de 2006
Molas no estendal

Sintra com céu nublado.

Sintra (2006) 



Escrito com Bic Laranja às 22:18
Verbete | Comentar | Comentários (12)

Quarta-feira, 14 de Junho de 2006
Que é dele os almeidas?

Corrida dos ofícios — Cantoneiros, Alvalade (A. Serôdio, 1953)Corrida dos ofícios - cantoneiros, B.º de Alvalade (Lisboa), 1953.
Fotografia de Armando Serôdio, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 21:18
Verbete | Comentar | Comentários (7)

Terça-feira, 13 de Junho de 2006
O Semestre (*) e os atacadores

 O Semestre era o sr. Fernando, o sapateiro. Trabalhavam com ele a mulher, a Dª Armanda e o sô Manel. Ao sábado costumava dar a féria aos sobrinhos – o Rui e o Armando: 25 tostões a cada um.
 Mas não era isto...
 Certa vez, sendo eu pequeno procurei à minha mãe como se atavam os sapatos. Depois, pensando já conseguir fazê-lo fui a correr ao Semestre:
 - Já sei atar os sapatos!
 - Ai já! - disse o sr. Praças que era costume ir para o Semestre só para conversar.
 - Já!
 E desatei logo os cordões dos sapatos.
 - Faz-se assim e assim… Não!... É assim… Espera! Não é assim?
 - Bolas! Não sou capaz. Vou a casa aprender outra vez e já cá venho mostrar.
 Deixei-os e fui a correr para casa com os cordões desatados, meio envergonhado.
 Nunca mais me apeteceu ir ao Semestre demonstrar habilidade nenhuma.


Sapateiro em Sacavém, 1967.
Fotografia de Eduardo Gageiro in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


(*) De se[nhor] mestre; tal como sector <= se[nhor dou]tor.



Escrito com Bic Laranja às 20:18
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Segunda-feira, 12 de Junho de 2006
Leite de Colónia

 De regresso a casa soube pela TSF que o sr. dr. Sampaio foi à bola a Colónia.
 Segundo as suas palavras - papagueadas várias vezes pelo, ou pela jornalista, já não sei - «foi o regresso à cidadania mais banal que se pode ter».
 Bem me parecia que ser presidente da República interrompia ser-se cidadão. É como ser deputado: daí as indemnizações pelo regresso à banalidade depois dos mandatos...
 Pois bem, o dr. Sampaio - diz-nos a, ou o jornalista - «agora é simplesmente Jorge Sampaio, mais um português a torcer pela equipa». Ele percebe-se: quando era presidente, o ex-presidente ou não torcia, ou não era português. Ou ambas, ao certo não sei...
 Mas sei que neste regresso à cidadania o sr. dr. Sampaio exultou (como sempre) com a banalidade: «Pude finalmente dar gritos [...] Foi agradável poder gritar e irritar-me [e] estava tão irritado que fui beber uma Coca-Cola e um Big Mac.»
 Esta beleza de discurso (e de notícia) deve-se talvez a um excesso de...

 
 Leite de Colónia (em Mistério Juvenil).</font>



Escrito com Bic Laranja às 20:17
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Domingo, 11 de Junho de 2006
Recorte televisivo (mira técnica)

A imagem possível do aparelho televisor.

E já está a dar deu a bola...


Emissão com mira técnica às 0:28 do dia 12.
Genérico da RTP patrocinado por Mistério Juvenil.



Escrito com Bic Laranja às 20:02
Verbete | Comentar | Comentários (11)

Sábado, 10 de Junho de 2006
Portugal

« A camponesa de Fiães, vinda da sua lavra, pousou a braçada da horta no degrau e rezou as suas devoções. Agora que a tarde cai, regressa ao lar.» (1)

Camponesa de Fiães (J.Barros, c. 1985)

O resto é folclore.



(1) José Hermano Saraiva, Jorge Barros, O Tempo e a Alma; Itinerário Português, v.1, Círculo de Leitores, [Lisboa], imp. 1986, p. 18.
Fotografia: Jorge Barros, op. cit..


Escrito com Bic Laranja às 15:36
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Sexta-feira, 9 de Junho de 2006
Kastiço

 a KULTURA kontemporanea vive n1 eskizofrenia d ruptura.
 A Arte é uma convenção. Rompendo os cânones em demasia a manifestação artística anula-se, não passando de extravagância. Enganada numa ilusão de originalidade e carecendo de mestria torna-se pior: mera palermice. É o que a escrita lá em cima é.
 O Português é outra convenção... E parece-me melhor o castiço que o kastiço.



Escrito com Bic Laranja às 17:15
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Quinta-feira, 8 de Junho de 2006
56 lugares sentados

Já aqui disse, não disse?
Naquela vez que fui a Alcântara-Mar por 5$00 subi por uma escada assim...

Plataforma e escada

 

E fui tudo lá para a frente.

2º piso

Quando ia com a minha mãe é que tinha de escolher um destes cá em baixo.



Às vezes só havia lugar no banco dos palermas, daqueles de costas para as janelas que se vêem na primeira imagem. Mas o mais difícil era arranjar lugares de pé, que só havia 4... (*)


Autocarro: AEC Regent III, carroçaria Weymann, 1952 (Carris, nº de frota 217).
Fotografias: Museu da Carris apud Fórum Auto-Hoje.

Emendado às 9h45 do dia 9. Revisto à meia-noite e onze de 23/VI/14.



Escrito com Bic Laranja às 22:47
Verbete | Comentar | Comentários (5)

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----