Sábado, 30 de Junho de 2007
Algarve, 1991

Falésia, Algarve © 1991
Praia da Falésia, Algarve, 1991.



Escrito com Bic Laranja às 08:21
Verbete | Comentar | Comentários (13)

De saída...


Joe Jackson - Steppin' Out



Escrito com Bic Laranja às 00:09
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Sexta-feira, 29 de Junho de 2007
Bruce Hornsby


Bruce Hornsby – The Way It Is



Escrito com Bic Laranja às 22:34
Verbete | Comentar

Quadro

Placar (do Fr. placard) é galicismo pouco recomendável; se for de corticite podem surgir problemas de rolha.
Podia sempre dizer-se quadro...

 Permite pôr e dispor funcionários.



Escrito com Bic Laranja às 21:38
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Quinta do Caldas

 A Av. Cidade do Porto onde quem sobe do Relógio começa a descer para a Av. de Berlim.
 Em tempo - vai ali um guarda republicano -, antes de fazerem a 2ª Circular e os Bombeiros da Encarnação, deste lugar avistava-se o velho solar da Quinta do Caldas. Tinha capela e era um pouco a N. donde hoje está o viaduto sobre a Av. de Berlim, exactamente onde quem vem do N. pela 2ª Circular toma o desvio para a gare de chegadas do aeroporto. O limite poente dessa quinta do Caldas era a estrada de Sacavém (sensivelmente onde hoje corre a Rua C do aeroporto de Lisboa) que mal se percebe na fotografia, mais à esquerda, a confluir com a Av. Cidade do Porto lá ao longe, com um arvoredo de permeio. Para o solar descia uma Azinhaga do Lavadinho desde a estrada de Sacavém, perto do palácio Benagazil (Quinta do Policarpo) que ainda hoje existe. As terras do Caldas estendiam-se para nascente até ao fundo da Av. de Berlim e para sul até ao Relógio.
 Para maior clareza fica a faltar o mapa.

Av. Cidade do Porto, Lisboa (E.Portugal, 1941)
Av. Cidade do Porto; saída de Lisboa pela Encarnação, Lisboa, 1941.
Fotografia: [Eduardo Portugal], in Arquivo fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 06:24
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Quinta-feira, 28 de Junho de 2007
Tempo jornalístico e modelos climáticos

 Abriram a época balnear e nada; abriram a época dos incêndios e nada. Isto quando já tinham preparado o Verão para ser o mais quente de todos os tempos. Nada.
 Hoje [ontem] foram buscar o meteorologista; perguntaram-lhe pelo clima, que em pé de página garantiam estar a mudar. - Pudera não! Se empolam e vergam qualquer fenómeno meteorológico atípico até provar a teoria que pregam...
 Dantes se havia chuvadas em Junho ali, ou acolá fazia mais calor que a conta isso era notícia, sim, mas não havia jornalistas-apocalipse logo dizendo: - Eis a prova! O clima está a mudar!
 Está a mudar? O meteorologista puxou dos galões - que para explicar teria de usar linguagem científica - disse. Repetiu então três vezes a palavra 'posicionamento' para pôr o anticiclone nos Açores. Mas o jornalista é que sabia: o calor - o Verão mais quente desde o princípio dos tempos - é a partir de terça-feira.
 O meteorologista aí hesitou. - É muito difícil prever (prognosticar foi o termo) com tantos dias de antecedência...
 Ora?! Então e o modelo de aquecimento global para 100 anos...?



Escrito com Bic Laranja às 06:51
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Quarta-feira, 27 de Junho de 2007
Portela de Sacavém

Portela: mais um documento para a história do local do aeroporto de Lisboa. Um solar em ruínas que podia bem ser em Alcochete, no Poceirão, no Rio Frio ou na Ota. Talvez venha a fazer-se um estudo sobre a localização exacta desta velha casa.

Solar em ruínas, Portela (E.Portugal, s.d.)
Portela de Sacavém; solar em ruínas, Lisboa, c. 1940.
Fotografia: [Eduardo Portugal], in Arquivo fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 13:19
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Segunda-feira, 25 de Junho de 2007
Postais de Lisboa

Avenidas novíssimas: Alvalade, Av. de Roma, Areeiro...


Postais: António Passaporte: Lisboa, anos 50. Do Arquivo Fotográfico da C.M.L..


Música: Nat "King" Cole - Pretend

(Revisto em 16/VI/013)



Escrito com Bic Laranja às 06:12
Verbete | Comentar | Comentários (31)

Sábado, 23 de Junho de 2007
O Desafio

 Verão. Férias grandes, meia dúzia de putos, uma bola de borracha Futebol 3 e uma rua de poucos carros. O desafio ia ser contra os da rua de cima: 5 contra 5.
 O puto pediu para jogar. Era o mais miúdo de todos; entrara para a escola naquele ano e os outros iam já na 3.ª ou 4.ª classe. Os maiorezinhos iam mais adiantados que isso; já nem andavam na escola da Câmara. Também nenhum deles queria jogar à baliza.
 E o puto pedindo para jogar.
 — Pomos o puto à baliza e jogamos todos à frente — disse o Beto, que era manhoso.
 O Rui, o mais velho, procurou aos da rua de cima se tinham mais um para jogar – tinham — e disse ao puto para ir para a baliza.
 Quando o desafio começou lá na rua houve alguns na leitaria (*) que vieram com cadeiras e mesas pôr-se no passeio feito esplanada. Aparelharam-na com imperiais e pires de caracóis e incentivavam o jogo aos gaiatos. O puto era arrojado: lançava-se aos pés dos da rua de cima e defendia todas as avançadas deles; roubava-lhes a bola dos pés. Jogando na rua aprendera rudimentos das defesas; depois admirava o Damas: tentava imitá-lo, como os cachopos fazem aos ídolos da bola, pouco importando o campo ali ser de alcatrão e não de relva.
 O jogo era dos que muda aos 5 para acabar aos 10 e neste as defesas do puto enervavam os da rua de cima, que iam começando a perder.
 — Não vão a fintar até à baliza, pá! — diziam entre eles — Não vêm que o puto assim defende tudo! Chutem mas é de longe, pá!
 Na segunda parte os da rua de cima passaram só a chutar de longe. Mas o puto defendia tudo à mesma; com grandes defesas. E como agora a baliza era a em frente à leitaria, ouvia de lá incentivos e aplausos entre caracóis e imperiais.
 — Grande defesa, puto! — Boa! Todo no ar; pareces o Damas, pá! — E o puto animava-se.
 O desafio já ia nos 9-3 quando houve um penálti contra os daquela rua. Veio o Filipe, o maior da rua de cima para marcar... Saiu uma bujarda mas o puto, numa defesa em voo, defendeu.
 — Olha o puto defendeu o penálti! — ouviu-se alto lá da leitaria.
 O atónito Filipe, tal era o desânimo, nem foi à recarga.
 — Poça! Até o penálti o puto defende — disse acabrunhado para os seus que lhe criticavam o desacerto.
 Nisto o Beto, que era manhoso, apanha a bola que o puto não encaixara à primeira – Deixa! Deixa a bola! — e corre para a outra baliza com os outros ainda surpreendidos; finta o guarda-redes e marca golo. — Ganhámos! — gritou. Gritaram todos. — Ganhámos! Ganhámos!
 Os da rua de cima eram mais fortes e ganhavam muitas vezes. Naquela tarde não. Quando já lá iam subindo a rampa do Galego ainda alguém lhes atirou. — Querem jogar outro desafio?!...

B102121.jpg
Guarda-redes Damas rodeado de miúdos, Estádio Nacional, 1974.
Fotografia: Amadeu Ferrari, in Câmara Municipal de Lisboa, Uma Cidade de Futebol. Lisboa, Arquivo Fotográfico Municipal e Assírio & Alvim, 2004.


(*) A leitaria era mais um café ou um tasco, vulgo snack-bar, mas os crescidos naquela rua sempre diziam leitaria; com os mais novos passou a usar-se o nome comercial que a leitaria ostentava no toldo, nome que se pegou em alcunha ao fulano da leitaria, mesmo depois de ele a ter trespassado.



Escrito com Bic Laranja às 12:20
Verbete | Comentar | Comentários (22)

Sexta-feira, 22 de Junho de 2007
"Meme"

 O sexólogo dizia na antiga Emissora Nacional ontem de manhã que já não aguenta ouvir a palavra 'proactivo'. Eu digo o mesmo; até porque não na encontro nos dicionários que tenho à mão. Todavia qualquer glossário da Deloitte há com certeza de exibir orgulhosamente tão repugnante anglicismo. Vaticino inclusivamente que figure em todos os glossários de todas as deloittes logo a seguir aos insuportáveis vocábulos 'implementar' e 'mudança'.
 E o mais que posso dizer é que se o consultor glossarista tivesse sido proactivo prognosticado este meu escrito teria com natural proficiência incluído no tal glossário os vocábulos prognose, conjectura, predição, profecia, e porque não também presságio, premonição, prenúncio, agoiro e por aí diante; isto em vez de transliterar barbarismos.
 Sobre 'memes', a literatura que consultei não manda entregá-los a ninguém. Ainda assim, os primeiros cinco deloittes que por aqui passarem recebam a estafeta. Se lhes aprouver.


Notícia de Torto,
IAN/TT, Mosteiro do Vairão, mç. 2, doc. 40,
315×170mm



Escrito com Bic Laranja às 06:41
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Quarta-feira, 20 de Junho de 2007
Centieira

 Perco-me eu neste blogo muitas vezes por essas velhas estradas do termo de Lisboa. Esta não conhecia. E assim sendo, num dos nossos habituais almoços há tempo procurei ao meu prezado amigo S. da Portela pela Estrada da Centieira. A conversa não teve grande sequência, mas ele conhecia-a.
 Já que nestes dias me disse ele que havia de visitar aqui o blogo deixa-me cá pôr a dita estrada que é para o melhor receber. Calha bem que vá ali uma carrada de cortiça porque o meu bom amigo sabe de sobreiros (salvo seja!).


Passagem de Nivel da Centieira, Olivais, 1940.
Fotografia de Eduardo Portugal, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 22:22
Verbete | Comentar | Comentários (14)

Terça-feira, 19 de Junho de 2007
Ironia dos privados

 Privados é um nome muito na moda. Assim mesmo no plural. Julgo que é como dizer prontos...
 Ora bem, há também agora aí outra moda chamada privatizar. Parece coisa muito janota e moderna, mas quem conheça a História sabe que é prato requentado da Revolução Liberal: isto que se diz privatizar é tão só vender os bens nacionais. A particulares, não a privados, entendei. Sim porque se privada é a propriedade desses bens quando hábeis governantes os vendem, os compradores, esses designam-se particulares.
 E então os privados?
 Ora privados é uma condição. É a condição geral daqueles que pagam a conta do saneamento de empresas públicas quando qualquer governante as vende. Ficam, já se vê, privados, i.e. desprovidos, das empresas e da renda do que investiram em sanear. Depois, se for preciso, compram-lhes bens ou serviços, às ditas empresas. É parecido com a R.T.P. haver vendido os transmissores que eram seus à Companhia dos telefones. Agora aluga-lhos. O produto da venda ainda pagou o aluguer nos primeiros tempos...
 Ontem diziam nas notícias que o governo vai vender a antiga J.A.E.. Acho inteligente. Acho que foi também um governante inteligente quem vendeu o vento dessas serranias ermas às ventoinhas da Mercedes. Mas queira Deus que os governantes - mesmo os inteligentes - ainda tenham amigos particulares quando não houver bens nacionais para vender; porque aí os privados de bens nacionais já não poderão fazer nada por eles.

E.N. 3-2, Valada © 2007
Campo de Valada, 2007.



Escrito com Bic Laranja às 06:02
Verbete | Comentar | Comentários (13)

Domingo, 17 de Junho de 2007
Artistas de casino

Vi escrito algures pelo João Marchante que um dos prazeres dum blogo é mudar de assunto quando apetece. O assunto é... É o que está no título, pois claro.


Tom Jones - It's Not Unusual



Escrito com Bic Laranja às 22:13
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Sol

 - O Sol só nasce ao sábado. Pelo menos aqui.
 Ri-me. Compro tantas vezes o jornal que desconhecia o dia do Sol. Não admira a resposta bem humorada do jornaleiro quando procurei o semanário na sexta-feira passada. A chuvada de ontem não descobriu o Sol. Mas hoje, com o dia ainda murcho, lá despontou.
 Em boa verdade não era o Sol, era o Álbum de Memórias do professor Saraiva que eu queria.
J.H.Saraiva, «Álbum de Memórias»



Escrito com Bic Laranja às 17:36
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Sábado, 16 de Junho de 2007
Nível

 Se o nível do notíciário resvala sem remédio da publicidade para a sarjeta, o nível dos agentes políticos é inacreditável. Ouço espantado que um dos benfeitores do C.D.S.-P.P. é uma anedota boçal chamada Jacinto...

 L. do Caldas, Lisboa (s.n., s.d.)
[Tristemente, parece tudo somado até fazer sentido.]


A fotografia do L. do Caldas é do Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 15:21
Verbete | Comentar | Comentários (3)

S.I.C. Notícias

 O irmão do candidato Costa à C.M.L.. - disseram-me que são irmãos - dizia ali na sua televisão que é difícil imaginar a SIC Notícias sem o Imagens de Marca. E reforçou.
 - Obviamente a SIC Notícias é um canal de notícias.
 
 Conheci em tempos na Azinhaga do Ribatejo uma fábrica de tomate chamada S.I.C.: Sociedade Industrial de Concentrados.



Escrito com Bic Laranja às 12:58
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Quinta-feira, 14 de Junho de 2007
MCMLXXXVII

 Em MCMLXXXVII o meu irmão apareceu com um walkman; logo ele que nem ligava a música. Era porreirinho, aquilo: tinha telefonia, gravava cassetes e podia ouvir-se sem auscultadores porque tinha um altavoz altifalante incorporado. A minha cunhada também tinha um igual.
 Com dinheiro dum curso da C.E.E. que frequentava no largo da Abegoaria fui logo comprar um para mim. O curso durou o Verão todo; eu ia e vinha de lá com música nos auscultadores - só no Metro é que não podia ouvir por causa do barulho que aquilo faz. Com isto o meu ano de MCMLXXXVII ficou cheio de cantigas. Tantas que mais tarde gravei uma cassete C90 e chamei-lhe MCMLXXXVII em números romanos. E pus lá esta que é das que me encheram o Verão.



Crowded House - Don't Dream It's Over


[Também se deu o caso do meu irmão saber que eu já tinha carta e ter ido a correr tirar...]



Escrito com Bic Laranja às 20:53
Verbete | Comentar | Comentários (14)

Quarta-feira, 13 de Junho de 2007
Santo António de Lisboa

Procissão de Santo António, Lisboa (E.Gageiro, 1966)



Escrito com Bic Laranja às 22:24
Verbete | Comentar | Comentários (9)

Vislumbre

Dois quarteirões na Av. da República diante do Campo Pequeno...

Obras do Metropolitano, Lisboa (J.Benoliel, 1955-59)
Obras do Metropolitano, Av. da República, 1955-59.
Fotografia: Judah Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 11:44
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Terça-feira, 12 de Junho de 2007
Avenida a baixo

Av. da Liberdade, Lisboa (Garcia Nunes, 1959)
Av. da Liberdade junto à Rua do Salitre, Lisboa, 1959.
Fotografia: Garcia Nunes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 21:21
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

15
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----