Domingo, 28 de Fevereiro de 2010
Variedades: música ligeira


Elton John & Kiki Dee, Don't Go Breaking My Heart
(1976)



Escrito com Bic Laranja às 21:55
Verbete | Comentar

Sábado, 27 de Fevereiro de 2010
Metro: Campo Pequeno

 Como uma banal fotografia duma saída do Metro nos dá uma cidade completamente transfigurada! O quarteirão da Avenida da República ao fundo, entre o Campo Pequeno e a Barbosa du Bocage, está irreconhecível. Foi todo demolido.
 Gente bem apresentada saindo do Metro.
 Nem a cidade nem a gente têm hoje tão bom ar, parece-me... - A cidade, decididamente, não tem!

Metro: Campo Pequeno (H. Novais, anos 60)
Metro: Campo Pequeno, na esquina da Av. de Berna, Lisboa, anos 60.
Fotografia: Estúdio de Horácio de Novais, in Biblioteca de Arte da F.C.G..



Escrito com Bic Laranja às 14:52
Verbete | Comentar | Comentários (26)

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010
A mentalidade Colorelle

 Na telefonia propunham hoje, depois do almoço, um debate – ele agora diz-se forum – se Portugal devia promover uma campanha de relações públicas lá fora para melhorar a imagem. É esta mentalidade da imagem de algo se fabricar por artifício e não como corolário dum engenho e trabalho capazes que com certeza fundou a peneirosa doutrina do empreendedorismo.

Colorelle da L'Oréal, 1963 (Imagem em Hprints.com)

Colorelle de L'Oréal, 1963.



Escrito com Bic Laranja às 22:33
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010
As três ordens

Iluminura de Março ("Les Très Riches Heures du Duc de Berry", f.3v)

 Há dias a candidatura a Presidente do Dr. Fernando Nobre lançou os menestréis da opinião pública para a lírica demanda se a participação de pessoas da sociedade civil podia enriquecer o debate político.
 Bom! No Antigo Regime havia a Nobreza, o Clero e o Povo, também dito o Terceiro Estado, mas a civilização progrediu muito desde a Revolução Francesa e agora temos a classe político-partidária, os jornalistas e a sociedade civil, também dita o cidadão comum.
 Depreende-se assim melhor daquele linguajar como no Estado de Direito democrático só os cidadãos comuns é que são iguais perante a Lei.



Escrito com Bic Laranja às 21:23
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Domingo, 21 de Fevereiro de 2010
Isto é de gente séria?

« Conta quem por lá passou logo após a presença dos chefes de Estado e de Governo, em Dezembro de 2009, que a zona "foi deixada completamente ao abandono, coberta de detritos".»

In Público, 19/2/2010, apud «O que os meus olhos vêem», Lisboa S.O.S., 21/2/2010.


O que os meus olhos vêem, Belém, 2010.
Fotografia: Lisboa S.O.S..
 



Escrito com Bic Laranja às 13:11
Verbete | Comentar | Comentários (13)

Sábado, 20 de Fevereiro de 2010
Pa... pa... parábola do tempo actual

... em tijolo de burro e poema em inglês.


The Housemartins - Build
(The People Who Grinned Themselves To Death, 1987)

 


(Conservado numa
caixa de lata há quase três anos.)



Escrito com Bic Laranja às 12:57
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010
O mundo da transparência

 Ouvi de manhã duma Parque Escolar, uma sociedade comercial com capital social do Estado (Entidade Pública Empresarial, é como se chama às empresas públicas agora) cujo negócio, sem os floreados panfletários da moda, se parece resumir em requalificar e modernizar os edifícios [das] escolas secundárias [...] e uma correcta gestão da conservação e manutenção dos edifícios após a intervenção. Se a primeira parte parece dizer um comum trabalho de obras públicas, a segunda já elabora muito mais: em rigor não é singelamente conservar edifícios, nem propriamente executar a manutenção de coisa nenhuma; é antes gestão – correcta, não vá alguém supor o contrário – da conservação e da manutenção. Este estilo de dizer as coisas é típico de gente que faz que sabe, simula que faz, mas que no fim só sabe pagar para alguém fazer. E só paga porque é dinheiro dos outros...
 Isto leva-nos de volta à primeira parte (a requalificação e modernização de liceus) que é, afinal, mais elaborada do que parecia: algures no capítulo 5 do Relatório de Sustentabilidade (não recomendo a leitura mas não há perigo em só consultar) desta tão modelar empresa percebe-se que não passa ela duma intermediária para adjudicar empreitadas. – A bem dizer parece-me que nem tem gente sequer capaz de redigir os próprios relatórios. O de sustentabilidade, p. ex., foi encomendado a uma tal Leadership Business Consulting com o objectivo de relatar, a todas as partes interessadas da empresa [as não interessadas e as que não forem da empresa não são chamadas], a estratégia, os principais compromissos e desafios da [própria] Parque Escolar. Imagine-se que gente tão à toa! Esta espécie de empresa contratou uma consultora para lhe ela ditar a cartilha por onde se há-de guiar. Talvez a verdadeira cartilha seja outra...
 Ouvi, pois, de manhã que esta Parque Escolar, nas escolas secundárias em obras, não será meramente uma dona de obra sem manejo de pá nem balde. Ela torna-se efectivamente proprietária dos imóveis. Talvez o negócio desta empresa não seja só fazer obras com fato e gravata mas também além disso ir fazendo uma rica engorda imobiliária. Não tarda está boa para o talho das privatizações.

Liceu Pedro Nunes em obras, Lisboa (J. benoliel, c. 1909)
Liceu Pedro Nunes em obras, Lisboa, c. 1909.
Joshua Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

(Texto revisto à meia-noite.)



Escrito com Bic Laranja às 14:18
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2010
Mascaradas (é tempo delas)

 Liguei a televisão e dizia no rodapé: Joe Berardo disponível para comprar a golden share [não terá isto tradução?] do Estado na Telecom.
 Cuido que o comendador ainda deva gozar do crédito da C.G.D..
...



Escrito com Bic Laranja às 21:48
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Cursus Honorum



A moderna república romano-germânica guarda inúmeros cargos aos patrícios da Lusitânia. Ontem lá seguiu o cidadão Gaio Constâncio o seu Cursus Honorum.

(Escadote em...Reeditado em 18/III/13.)



Escrito com Bic Laranja às 12:31
Verbete | Comentar | Comentários (5)

Ai mas que bem!

 Liguei a televisão. Está um cavalheiro que é presidente da Câmara de São Brás de Alportel, ar lavadinho, e duas damas. Parece que se atrapalhou ele algo para chegar e pareceu-me ouvir uma das damas: - "...e Lisboa não é uma slow city."
 Uma selou cite...

S. Brás de Alportel, Algarve (c) 2007

São Brás de Alportel, Algarve, 2007.



Escrito com Bic Laranja às 10:02
Verbete | Comentar

Domingo, 14 de Fevereiro de 2010
O 7

 

 O 7 lembro-me de o irmos apanhar à Alameda, ao pé do Pão de Açucar, quando íamos à Tia Etelvina em Odivelas. Também era costume apanhá-lo com o meu pai para a bola, mas nestas vezes descíamos à Praça do Chile, que para a bola o 7 era costume vir sempre muito cheio.
 Das visitas à Tia Etelvina, ao domingo, recorda-me de certa vez, já tarde, que tornámos de táxi e não no 7. O primo Ludgero estava na tropa e veio connosco, tinha que voltar ao quartel. - Foi isto talvez em 74, que a Tia Etelvina andava em cuidados por não saber se o primo haveria de ir ou não para África; tenho memória de a minha mãe a descansar dizendo que com a revolução, era bem provável que já não fosse.
 Pois nessa vez demos boleia ao primo até o Relógio. Como de costume houve disputa comigo e com o meu irmão para ver quem se sentava à frente. O meu pai ditou a ordem dizendo - "Quem vai à frente é quem usa farda. Os soldados são os mais importantes." - Resignámo-nos. O meu irmão fez questão de ser o último a entrar...
 O táxi subiu pela Carriche e pelo Lumiar sem novidade para mim, habituado que estava ao caminho do 7. Estranhei foi o desvio no Campo Grande. Em crianças atentamos em tudo: ficou-me até hoje gravada a imagem nocturna daquela avenida (a 2ª circular) desconhecida, sem casas, iluminada com sucessivos candeeiros baixos e bem ritmados com o avanço do táxi. Parámos no Relógio e enquanto o primo Ludgero saía e se despedia, o meu irmão, afoito, galgou para o banco da frente. Ser o último a entrar dera-lhe afinal a vantagem de ser o primeiro a sair, o manhoso. Ainda esbocei uma reclamação que o meu pai calou não fazendo caso, antes dando de imediato ordem de prosseguir ao motorista. Consolei-me com reconhecer a Avenida do Aeroporto – esta era-me familiar; já lá tinha passado antes de carro com o primo Zeca. – Não tardou chegámos a casa. O caminho do 7 nesse dia ficou arrumado. Mas havia de o fazer em muito domingo até o fim dos anos 70.
 Trago aqui esta historieta minha e que só de raspão se liga com título. Mas se o benévolo leitor for curioso dos autocarros da Carris e estiver interessado na história do 7 encontra-a bastante completa no blogo «História das Carreiras da Carris»: pode ler lá que o 7, o autocarro da Avenida de Roma é sexagenário desde o passado dia 1 de Fevereiro e que a Carris lhe prevê reforma antecipada: tem planos de suprimi-lo em breve.

Autocarrro 7, Alameda (História da CCFL, vol 3)
Autocarro de dois pisos (carreira 7), Alameda, [s.d.].
In História da C.C.F.L. em Portugal (1946-2006)
, v. 3, Carris e Academia Portuguesa da História, 2006, p. 125.



Escrito com Bic Laranja às 13:43
Verbete | Comentar | Comentários (15)

Mercado do Bairro dos Actores em construção

 Os prédios novíssimos que se vêem à margem da obra nalgumas imagens (lado direito) são os da Rua Lucinda Simões (fotos 1 e 3) e Rosa Damasceno (4).
 

Projecto de Luís Benavente (1902-1993) construído entre 1939 e 1942.
Fotografia: Estúdio Mário Novais: 1940-43, in Biblioteca de Arte da F.C.G..

(Revisto ào meio-dia.)



Escrito com Bic Laranja às 08:50
Verbete | Comentar

Sábado, 13 de Fevereiro de 2010
Lisboa em projecto



 Projecto do jardim para o Bairro dos Actores na confluência das Ruas Eduardo Brazão (SO), Carlos Mardel (S-N), Ferreira da Silva (NO), Rosa Damasceno (N), Lucinda Simões (NE) e José Ricardo (SE) com a Rua Ângela Pinto (circular). No seu lugar veio a ser construído o mercado do Bairro dos Actores cuja empreitada de terraplanagens e fundações foi dada a António Veiga por escritura de 29 de Junho de 1939. O contrato de empreitada da superestrutura e rede de abastecimento água e luz foi firmado com a Sociedade Amadeu Gaudêncio em 11 de Maio de 40.
 O mercado do Bairro dos Actores tem vários nomes: é também designado por Mercado de Arroios e mais vulgarmente dito praça do Chile.
 


Planta s/ menção de autor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.; fotografia de Eduardo Portugal.
Fonte: Arquivo Municipal de Lisboa.



Escrito com Bic Laranja às 12:18
Verbete | Comentar

Duas da Rua Carlos Mardel, Lisboa

Rua Carlos Mardel, Lisboa (A Goulart, 1966)
Rua Carlos Mardel, Lisboa, 1966.
Artur Goulart, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 

Rua Carlos Mardel, Lisboa (P. Letria, 1999)
Rua Carlos Mardel, Lisboa, 1999.
Pedro Letria, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 11:20
Verbete | Comentar

Sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2010
Dó ré mi fá...

 O jornaleiro do quiosque às 9h30 da manhã tinha o Sol esgotado.
 – Está tudo esgotado, já não arranja. Tive um senhor que com este fazia oito quiosques. Não há nada!

Vendedor de jornais e revista, Lisboa (S. Kerner, 1967)
Vendedor de jornais e revistas, Rua do Regedor, 1967.
Sid Kerner, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 10:30
Verbete | Comentar | Comentários (9)

Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2010
Dos compromissos publicitários

 O jornalista Nicolau respondia esta manhã ao locutor do Rádio Clube Português sobre se há ou não liberdade de expressão em Portugal. Dizia empolgado que há: que em Portugal toda a gente diz o que quer; que ainda ontem o dr. Pires de Lima afirmara na televisão que o primeiro ministro não passa dum vulgar aldrabão de feira. Ora alguém dizer uma coisa assim quando havia censura é certo e sabido que à saída do estúdio estaria preso. Pois ontem à noite nada aconteceu. O que aconteceu, sim, foi que no instante em que dizia isto na telefonia, este jornalista Nicolau foi de súbito abafado por um jingle publicitário, sendo bruscamente retirado do ar, isto enquanto se ouvia de raspão ainda o locutor: – "Não é censura, Nicolau, mas temos de acabar. Compromissos publicitários" – e entrou um anúncio.
 Isto que sucedeu não passa duma trivial grosseria mercantileira que nem desmente o abafado jornalista Nicolau. De feito, salvo o fascismo e o tabaco, em Portugal qualquer um pode grasnar o que panfletariamente queira: Desde que se deva ouvir - o que se deve poder ouvir, porém, é que é já outra história...
 O anúncio (compromisso publicitário, digo) que cortou o pio ao jornalista Nicolau nem prestei atenção; pode ter sido ao sabão macaco ou a qualquer artigo de feira, mas o anúncio que veio em segundo lembro-me: foi aos cem anos da República...

Visado (in Troll Urbano)
Visado por Troll  Urbano.



Escrito com Bic Laranja às 21:34
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Desimbarcadoiro de Villa-Nova-da-Rainha



Almeida Garrett
, Viagens na Minha Terra, [1ª ed.], vol. I, Lisboa, Typographia da Gazeta dos Tribunaes, 1846, p. 16.



Pela descrição seca não parece ser o cais das Obras Novas. Na Vila Nova devia haver outro.



Escrito com Bic Laranja às 00:22
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010
Jardim do Torel

Jardim do Torel, Lisboa (c) 2005
 © 2005



Escrito com Bic Laranja às 21:13
Verbete | Comentar

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010
Paradoxos

C.C. Colombo  (c) 2004
C.C. Colombo, Lisboa, 2004.


 Uma civilização com uma dinâmica tão poderosa que permite subir e descer escadas estando parado, é só natural que produza também planos de... estabilidade e crescimento.



Escrito com Bic Laranja às 19:03
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Domingo, 7 de Fevereiro de 2010
Variedades: anos 90

Everything But The Girl - Missing (1994)
(Ao vivo, White Room)



Escrito com Bic Laranja às 20:55
Verbete | Comentar

Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----