Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

II-13-09

 O primeiro autocarro de dois pisos da Carris, ao vivo e a cores na estação das Amoreiras. Reservado (a que fim?) e já sem número de frota (201), aqui agora pela habilidade do sr. Cliff Essex. Em 1970-73, talvez.

Autocarro Leyland 201 da C.C.F.L., Amoreiras (C. Esses, 1970)
Escrito com Bic Laranja às 21:57
Verbete | comentar | comentários (6)

Boleia

 Eléctrico 807, ou um 17 à cunha e com ciclista à boleia, para o Alto de São João. Imagem da Rua da Palma com memória viva do teatro Apolo na varanda da alfaiataria. Graças ao sr. Tim Boric que nos legou o que havia para ver, do chão da igreja do Soccorro em... 1980, salvo erro.

Eléctrico 807, Rua da Palma (fim Boric, 1980)

Escrito com Bic Laranja às 21:36
Verbete | comentar | comentários (4)
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013

Varina

Varina, Cais da Ribeira Nova, (H. Novaes, s.d.)
Varina, Cais da Ribeira Nova, [s.d.].
Horácio de Novais, in Bibliotheca d' Arte da F.C.G.

Escrito com Bic Laranja às 21:50
Verbete | comentar | comentários (11)
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2013

Comboio de ratos

 Quando há tempo aflorou à imprensa a notícia de a Parpública ter de prover a tesouraria da TAP, constou-me que o fez a preço de amigo, cobrando uns 8% de juro. Como a Parpública não é propriamente um banco, cuido bem que se ela haja provido por sua vez na banca. Não sei se é verdade. Se é, a voz corrente é de a usura na banca rondar os 5 ou 6% num empréstimo destes. Também não sei. Sei é, também de voz corrente, que os onzeneiros da banca se provêem no Banco Central Europeu a 1%...
 Ele há agora umas ratoeiras modernaças a que chamam estações rateiras, mas parece-me que não é com isso que se apanha um comboio de ratos...

Estação Rateira (c) 2013
Ratoeira Estação rateira -- (c) 2013.

Escrito com Bic Laranja às 20:02
Verbete | comentar | comentários (4)
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013

Viaduto ferroviário de Santana de Baixo

 Viaduto ferroviário de Santana de Baixo -- eis o nome correcto. -- Por oposição ao viaduto ferroviário de Santana de Cima, ainda muito familiar -- porque sobrevivo -- àqueles que desçam a Av. Calouste Gulbenkian caminho da ponte ou da auto-estrada do Estádio.
 Ao benévolo leitor curioso de novidades antigas, esquecidas ou nem imaginadas, o panorama do vale e da ribeira de Alcântara ao fundo da Calçada da Quintinha. Para confronto com a das automotoras Allan.


Viaduto ferroviário de Santana de Baixo, Vale de Alcântara, 1940-45.
António Passaporte, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 22:16
Verbete | comentar

Santana (ponte da Calçada do Baltazar)

 Três automotoras Allan sobre a antiga ribeira da Alcântara a jusante do velho lugar de Santana, a onde se podia ir de Campolide descendo a Calçada da Quintinha e a Calçada do Baltazar. O lugarejo bucólico era atravessado pela velha ribeira; tinha uma igrejinha (ou capela) meia encarrapitada na vertente da Serra de Monsanto. Não sei o orago mas não será difícil deduzi-lo. A ribeira foi encanada e o pequeno povoado foi completamente varrido do mapa. Um primeiro resultado dos aterros foi um estradão que baptizaram Avenida de Ceuta. Não ficou, porém, como aqui vemos Numa fotografia de Diniz Salgado pode o benévolo leitor ter uma perspectiva semelhável.


Ponte de Santana, Lisboa (H. Novaes, c. 1966)

Av. de Ceuta (ponte a jusante do antigo lugar de Santana), Vale de Alcântara, c. 1966.
Horácio de Novaes, in Bibliotheca d' Arte da F.C.G..

Escrito com Bic Laranja às 16:01
Verbete | comentar
Domingo, 24 de Fevereiro de 2013

Sevanepe

 Quando nos anos 70 ouvi pela primeira vez dumas gasosas sevanepe fez-me espécie o nome sem sentido. Pior por haverem as garrafas um 7 e um UP gravados. Aquilo de se dizer sevanepe duma vulgar gasosa e ao depois ainda por cima se o escrever setupe era demasiado bizarro para quem aprendia as primeiras letras. Pois bem, passada uma data de anos veio a dar-se o que havia de ser: o nome gasosa, à conta da tal bizarria dita sevanepe, veio a levar sumiço da linguagem comum para designar gasosas. Já lá vamos.

Gasosa «sevanepe»

 Duma vez que dei quantia de mais para pagar uma bica e uma água fiquei ante a empregada que me serviu, com olhar inquisidor, à espera da demasia. Ela, uma mulatita moça, desentendida, embora de boa fé, procurou-me se era mais alguma coisa.
 — Sim. A demasia.
 Pôs um ar intrigado — Demasia?!...
 — Sim. Sabe o que é a demasia?
 — É... o troco?
 — Ora já vê! — e com isto recebi a demasia com um sorridente pedido de desculpa.
 Passado tempo cruzei-me com esta moça que estava na caixa ao fim da linha de refeição da cantina. É aqui que entra o sumiço da gasosa. Vendo que não levava eu bebida na bandeja perguntou-me: — Não quere a bebida?
 — Quero. Dê-me uma gasosa.
 — Gasosa?!!
 — Gasosa.
 — É uma sevanepe — soprou-lhe uma que estava detrás dela a atender quem vinha do lado de lá.
 Foi-ma buscar. Quando ma pôs na bandeja lembrou-se da demasia: — Ah! O senhor é aquele senhor que fala estranho.
 Falar estranho parece que é troco de dizer gasosa por sevanepe.

(Imagem adaptada do Custo Justo.)

Escrito com Bic Laranja às 19:01
Verbete | comentar | comentários (11)

Ratos no lixo

 Donde me vejo lixo é lixo, é para deitar fora. Logo, descarto simplesmente o lixo, não gero matéria prima. A perspectiva do industrial da reciclagem é que concebe o lixo como matéria prima. Pois bem, qualquer matéria prima é susceptível de incorporação de valor. Naturalmente, justo é que quem tome o lixo desprezado e lhe incorpore valor num dado processo de produção venha a arrecadar renda da mais-valia gerada. Naturalmente, justo será também, que venha a arcar por si com os necessários custos de produção. -- Ora por que diabo hei eu de dar a minha força de trabalho a tal processo de produção se me não há-de calhar quinhão do lucro? Pela fé de salvar o planeta?! Deus me livre!
 E em cima disto ainda andam por aí a ratar-me dos impostos municipais as ladainhas com que me enganam.

Com lixo me enganas...

Escrito com Bic Laranja às 13:05
Verbete | comentar | comentários (5)
Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2013

Não me lembrei desta...

Escrito com Bic Laranja às 12:06
Verbete | comentar | comentários (15)
Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2013

Interlúdio

Ouvindo telefonia, Anos 40 (in Planeta Barbarella)

(Música: Glenn Miller & Ray Eberle, Blueberry Hill; fotografia: Planeta Barbarella.)

Escrito com Bic Laranja às 20:00
Verbete | comentar | comentários (2)
Domingo, 17 de Fevereiro de 2013

Tradu... mutila

 Admira-me gente que se alardeia humilde vir dizer: — Em muitas horas de emissão, se esse é o único erro / lapso / gralha a apontar, muito obrigado! Só nos dá a certeza de estar[mos] entre as melhores empresas de tradução.
 Admira-me gente que se tenha na grande conta de estar entre os melhores da tradução e legendagem não reconhecer na expressão de escárnio «grafia macaca-casteleira» uma invectiva ao autor do sistema cacográfico com que irresponsavelmente segue em mutilar o português e a tome ensimesmadamente respondendo-me que desconheço por completo o trabalho que está por detrás de uma tradução e legendagem.
 Admira-me sobretudo gente que maneja tão laboriosamente o idioma conseguir com vanglória e alardo escrevê-lo com menos letras do que os sons que se dizem.

Tradu... mutila

Escrito com Bic Laranja às 20:01
Verbete | comentar | comentários (6)

Postalinho ao Bama do Intendente (pub)

Anuncie aqui. Contacto: Câmara Municipal do Intendente

Escrito com Bic Laranja às 12:10
Verbete | comentar | comentários (3)
Sábado, 16 de Fevereiro de 2013

Caso perdido

O Mirante (14/II/13)(O Mirante, 14/II/13)

 O Mirante é um bom jornal, que (por bem melhor) se nem compara ao pasquim Correio da Manhã. Apesar disso incorreu neste erro, hoje já sem emenda. Sei que a Camilo e Eça lhes falhou também o mata-borrão no mesmo (cf. «Há por havia», 9/IX/12). Ou antes deles, Garrett, infelizmente -- 'Meu Carlos' ditto assim, não o ouvíra elle ha muito tempo (Viagens na Minha Terra, cap. XXXV). -- Com vultos tais a caucionar desde o séc. XIX a macarrónica sintaxe não é grande quinau que aqui faço a O Mirante. Nem cogitava eu de tornar agora com o caso. Orelha nenhuma hoje o parece estranhar: o verbo haver seguido locução de tempo tende a tornar-se adverbial, com sempre invariável.
 Todavia sucedeu esta tarde que, por fortuita coincidência, me surgiu diante, da pena de Hermano Saraiva -- Além disso, dissera, havia anos, que o Demónio falava por um crucifixo (Vida Ignorada de Camões, 2.ª ed., p. 114).
 Valha-me não estar eu mal acompanhado.

Escrito com Bic Laranja às 20:29
Verbete | comentar | comentários (7)
Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2013

Fadista falhado

 Já tínhamos  dado conta do pobre Viegas ser mais ventre do que cérebro. Daí a ventriloquência, ou pior...
 Ontem quis meter-se a fadista; de tão dado que é ao Bataclan saiu-lhe modinha de samba. -- Ora invectivar alguém com vá tomar... como quem manda tòmá' um drink é lá alguma coisa?! -- Lembra-me dum que, de tão educadinho, o pior palavrão que dizia nem «merda» era; era «merdinha». -- Pois o tipo fadista com que o ex-secretário procurou chocar a malta não é de usar canivetes. A vir de naifa há-de ser com ponta e mola. E nem há-de remeter cá para mariquices passivas. Quando um fadista insulta manda sem mais à parte viril: -- Vá prò... -- Ou não é?


(Imagem em ...)

Escrito com Bic Laranja às 12:28
Verbete | comentar | comentários (2)

Cinema catástrofe

 Caiu com estardalhaço um meteorito na Rússia. Admira-me é os «amaricanos» não no terem previsto. Só devem ser capazes no cinema...


(Meteoro, 1979, in Sean Connery.)

Escrito com Bic Laranja às 12:15
Verbete | comentar | comentários (9)

Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

arquivo

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS

____