Quarta-feira, 30 de Abril de 2014
Yoghurt

Iogurtes Grande Ponto

(Imagem espigada na Internete.)



Escrito com Bic Laranja às 20:55
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Havia um que dava televisões...

Governo quer comprar votos mas não tem dinheiro... (R.R., 30/IV/14)



Escrito com Bic Laranja às 20:38
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Da geral limpeza

 Anuncia a imprensa nestes dias que Portugal vai ter «saída limpa» do «resgate».  Soa bem, não?  A endrómina do «resgate» já mascarava por aí o grande empréstimo internacional mendigado para colmatar a 3.ª bancarrota desde 1928. E agora a tal «saída limpa» é eufemismo do estado de necessidade por não haver fiador internacional que caucione mais pedincha. Limpeza, se havemos realmente de vê-la, será na usura dos empréstimos que se hão fatalmente de seguir. Vai ser limpinho!

«O que não foi gasto agora se-lo-á no futuro...». Fundo de pensões da indústria, 1946-48, F.I.P. (M. Novais,1957)
Fundo de pensões dos trabalhadores da indústria, 1946-48. «O que não foi gasto já sê-lo-á no futuro!», F.I.P., 1957.
Estúdio de Mário de Novais, in Bibliotheca d' Arte da F.C.G.



Escrito com Bic Laranja às 19:29
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Segunda-feira, 28 de Abril de 2014
Alegoria pós-Abrilina

« Se os grupos partidários a cada momento se consideram candidatos ao Poder com fundamento na porção de soberania do povo que dizem representar, a maior actividade -- e vê-se até que o maior interesse público -- não se concentra nos problemas da Nação e na descoberta das melhores soluções, mas só na luta política. Por mais propenso que se esteja a dar a esta algum valor como fonte de agitação de ideias e até de preparação de homens de governo, tem de pensar-se que onde ela atinge a acuidade, o azedume, a permanência que temos visto, todo o trabalho útil para a Nação lhe é inglòriamente sacrificado. Tem de distinguir-se, pois, luta política e governação activa: os dois termos raro correrão a par.»

Oliveira Salazar, pref. à 4.ª ed. dos Discursos (vol. I, 5.ª ed., Coimbra, 1961, p.  XXXIX).

 Governação activa, entenda-se, bom governo e a obra dele resultante; simbòlicamente, se quisermos, o Teatro Monumental...
 Luta política: o monumental chafurdo naquelas democráticas paredes e, finalmente, o derrube das próprias paredes... --  Livre e (literalmente) democrático, neste cenário, só o alheamento do povo.

Propaganda eleitoral, Saldanha (F. Gonçalves, 1976)
Teatro Monumental, Saldanha, 1976.
F. Gonçalves, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 18:56
Verbete | Comentar

40 anos de censura

 Sabe-se agora que antes do 25 coiso também não havia supermercados.

Cartilha Abrileira 2a (Manuel, in H Gasolim Ultramarino)
(Cartilha Abrileira de Manuel, in H Gasolim Ultramarino, 27/IV/14.)



Escrito com Bic Laranja às 13:31
Verbete | Comentar | Comentários (8)

A longa noite...

Novo supermercado Pão de Açúcar, Avenida dos Estados Unidos da América (Diário de Lisboa, 2/5/1970)
«Pão de Açúcar inaugurou em Lisboa o primeiro supermercado», Diário de Lisboa, 2/V/1970.
In Fundação do irmão do dr. Tertuliano.



Escrito com Bic Laranja às 13:31
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Domingo, 27 de Abril de 2014
No tempo da Tinturaria do Chile


Cruzamento da Av. de Roma com a Av. João XXI, Lisboa, 1974.
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

 Há perto de nove anos referi-me cá à Tinturaria do Chile que existira naquela esquina ali perguntando-me se havia memória dela. E publiquei uma fotografia minha de 2004 onde, dela, da dita tinturaria, se via só lá o sítio. A curiosidade da tinturaria fora-me suscitada por um postal de António Passaporte que me encanta por mostrar este lugar tão familiar com aquele gostinho dos velhos tempos. O nome da tinturaria saltou-me à vista no postal por se achar deslocado; o Chile é um bom pedaço aquém daqui, em Arroios, mas entendia-se: a construção do bairro de S. João de Deus fora uma oportunidade de expandir o negócio. Um fenómeno de empreendedorismo, dirão hoje os novos entendidos, sem embargo dalguns velhos sabichões que, extrapolando à toa o nome da tinturaria dum recorte, puseram a Praça do Chile na Av. de Roma (v. imagem 4).
 No Chile nunca a achei, mas é notório que aqui, em Janeiro de 74, o nome da tinturaria do dito, visìvelmente, perdurava.

Av. João XXI, Lisboa (A. Passaposte, c 1953)

Edição: António Passaporte (c. 1953) , in Arquivo Fotográfico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 13:58
Verbete | Comentar | Comentários (2)

No tempo do Chanquete

Pescadores, Albufeira (A. Pastor, 198...)
Pescadores, Albufeira, 198...
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L



Escrito com Bic Laranja às 12:35
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Sábado, 26 de Abril de 2014
Vote Acção Nacional Popular

 Ninguém se lembrou de perguntar por que dei a fotografia do Tutti Mundi a 1973 ou 74, quando o arquivista a marcou para 198..., mas respondo à mesma: baseei-me noutra da série a cores de Artur Pastor que mostra o troço da Av. de Roma adjacente ao Tutti Mundi e à florista Romeira, em que se vêem dois cartazes de propaganda eleitoral da A.N.P. para as eleições de 1973. -- Ah pois foi! No Estado Novo também houve eleições; as últimas foram em Outubro de 73. e não há-de ser nada plausível que os cartazes de propaganda eleitoral da A.N.P. tenham passado de (ou sequer chegado a) 25 de Abril de 1974; digo isto com a mesma certeza com sei como mudou a Ponte Salazar de nome... -- Além disso, corrobora esta minha conjectura um cartaz da lista da oposição em 73, do M.D.P., chapado no fuste dum candeeiro de iluminação pública e visível noutra fotografia deste lote de Artur Pastor. O próprio autor inscreveu no sobrescrito onde as guardou uma data: Janeiro de 74.
 Quem notou o cartaz do M.D.P. na Av. da Igreja em dia farrusco foi o leitor José Lima, que sugeriu que a fotografia, em sendo de 74, houvesse talvez de ser posterior ao 25 de Abril grande acidente nacional, justamente por causa daquele cartaz de propaganda eleitoral. Cuido que ambos nos deixámos influenciar pelas democráticas paredes de Lisboa feitas num chafurdo com a propaganda eleitoral pós-Abrilina e não concebemos possível sequer tal desalinho durante o Estado Novo. A realidade é sempre mais prosaica; em havendo eleições, natural é que se vejam cartazes da propaganda; e ainda mais certo é que quantos mais libertadores e revolucionários haja à solta, mais furiosa e anárquica estampagem haveremos de ter. Por mais censura ou fâchismo com que nos lavem o cérebro, a besuntice eleiçoeira mai-los seus recados medram tão facilmente como qualquer erva daninha.

Avenida de Roma, Lisboa (A. Pastor, Jan. 74)
Av. de Roma, Lisboa, 1974.
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 13:32
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Sexta-feira, 25 de Abril de 2014
... 40 anos, pá! ...



Escrito com Bic Laranja às 00:10
Verbete | Comentar

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014
Estrada das Picoas

 Há qualquer coisa que me intriga naquela dos meninos cultivando árvores. Não me refiro ao contraste com a C.M.L. actualmente, que as corta em vez de as plantar... O que estranho são os prédios de que lá falei como sendo na Rua das Picoas (actual R. Eng.º Vieira da Silva) que não calham nada com esta imagem agora. Não o sei explicar, não calham...

Estr. das Picoas, Lisboa (A. C. Lima, c. 1900)
Rua das Picoas, Lisboa, c. 1900.
Alberto Carlos Lima, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Outra curiosidade com esta imagem qui é a quinta da condessa de Camarido, cujo palácio se vê nitidamente na elevação ao fundo da rua. Quedava-se ele exactamente no leito (hoje) da Av. da Praia da Vitória, do lado do Teatro Monumental.
 Um perspectiva de lá para cá pelos anos 30...

Rua das Picoas, Lisboa (F.S. Cordeiro, 1929-38)
C.T.F. (Correios Telégrafos e Faróis) Lisboa-Norte, Picoas, 1929-38.
Francisco dos Santos Cordeiro, in Fundação Portuguesa das Comunicações.

 A Rua das Picoas de hoje é uma sobra da antiga estrada das Picoas, ela mesma um troço do velho caminho que ligava o Campo de Santana ao Rego e cujos troços iam sucessivamente mudando de nome: a Carreira dos Cavalos (R. Gomes Freire até ao Largo do mesmo), Estrada da Cruz do Tabuado até à Tr. do Abarracamento do mesmo nome (R. Gomes Freire até à R. da Escola de Medicina Veterinária), Estrada das Picoas (ruas Eng.º Vieira da Silva e das Picoas) e Rua das Cangalhas (Conde Valbom).


Francisco Heitor de Macedo & al., Obra do alargamento de Estrada da Cruz do Tabuado. Projecto. C.M.L., Arq. do Arco do Cego, PT/AMLSB/CMLSB/UROB-PU/09/00787, p. 8.



Escrito com Bic Laranja às 00:30
Verbete | Comentar

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014
Antigo matadouro

Antes da Rua Almirante Barroso.

 

Antigo Matadouro, Lisboa (P.Guedes, c. 1900)
Antigo matadouro, Lisboa, c. 1900.
Paulo Guedes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 19:19
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Terça-feira, 22 de Abril de 2014
Antigo Largo do Matadouro

 A legenda diz: «Culto da arvore; alumnos da eschola plantam arvores no antigo Largo do Matadouro» («O culto da arvore», Illustração Portugueza. n.º 209, 21/II/1910, p. 245.)

 O antigo Largo do Matadouro é a praça fraternalmente dedicada ao maçon José Fontana, um paladino das classes laboriosas do tempo do socialista Anthero de Quental e das Conferencias do Casino.
 Calhando, as arvorezinhas plantadas pelos meninos da eschola em 1910 ainda lá lá estão. E calhando, em levando lá hoje meninos da eschola, talvez elles educadamente apaguem as garatujas que outros meninos (que de certo são da eschola, mas não são do côro) teimam em fazer no coreto (o coreto vê-se-o ahi em construcção). Se não, que os ensinem a separar o lixo ou outra d'essas acções pias da nossa egualitaria e tolerante post modernidade.
 A estrada por onde se alinham os gaioleiros que se vêem á direita é a das Picoas, hoje Rua Eng.º Vieira da Silva. Gaioleiros recentes em 1910, nos limites d'uma propriedade chamada Terras do Alto que abarcava os quarteirões desde a Casal Ribeiro até alli. Pelo meio percebem-se as embocaduras das ruas Fernão Lopes (morou n'ella o Saramago, em puto) e Actor Taborda (n'esta, o Eusébio diz que passava por muito lá...)
 O muro em segundo plano é o que marcava o perimetro do matadouro das Picoas, onde houvemos posteriormente o Mercado do 31 de Janeiro (outro toponymo das esquerdas), a meias depois com o Forum Picoas e com o Saldanha Residenso. O matadouro foi d'alli para os Olivaes; não ennobrecia nada o lugar nem o que se quiz lá pôr ao depois.
 ...
 Claro que são dictos os meninos estar a plantar arvores, mas o homem de chapéu de côco á republicano foi quem cavou o buraco...

Meninos plantam arvores, Lisboa (Illustração Portugueza, 21/II/910)
Alumnos plantam arvores, Largo do Matadouro, 1910.
In Archivo Photographico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 13:20
Verbete | Comentar | Comentários (3)

Sábado, 19 de Abril de 2014
Esquizofrenia democrática

 A revista Mais Educativa, distribuída gratuitamente (quem na pagará?) aos miúdos e às miúdas das escolas secundárias, saiu-se em Abril com isto:

[...] Antes do 25 de Abril, a ausência de liberdade e a actuação repressiva das forças da autoridade impediam o aparecimento de quaisquer grupos, dos negros aos ciganos, passando pelos hippies pelos homossexuais ou pelos punks [...] Com a democracia o povo ganhou poder. Durante estes quarenta anos os Governos impulsionaram a criação de leis para direitos reclamados pelas pessoas como o divórcio, o aborto e o nudismo.

«40 Anos de Liberdade», Mais Educativa, 14/IV/2014, p. 30.

 Ora bem! Esta miúda meia hippy em 1971, em Vilar de Mouros, parece uma garrafa meia vazia/meia cheia da festarola dos 40 anos Abrilinos! Vê-se-a meia despida porque era o fachismo, não havia pronto-a-vestir; e vai meia vestida porque o fachismo proibia o nudismo.
 Falta de liberdade do caraças, pá!

 

(Século Ilustrado, 14/VIII/71. Fotografia de Armando Vida, in Porta da Loja)



Escrito com Bic Laranja às 14:40
Verbete | Comentar | Comentários (15)

Do fim da Nação

 Acrescentaremos, apenas que, aparentemente, o G.B. [Grupo de Bilderberg], só começou a interferir — antes disso não se lhes dava confiança para tal — com o nosso devir colectivo, quando numa das suas reuniões (19/4/1974), ocorrida no hotel d’Arbois, em Megéve (Alpes Franceses), propriedade de Edmond Rotschild, se terá dado luz verde à alteração de regime em Portugal — coisa que, certamente, nunca terá passado pela cabeça de nenhum capitão de Abril…
 A partir daí – e por razões e processos que são objecto de especulação — foi alcandorado a uma espécie de “secretário” ou “representante permanente” do G.B., na antiga Ocidental Praia Lusitana, o Dr. Pinto Balsemão, grande amigo dos Reis de Espanha, também convivas nestes eventos. Provavelmente desde 1983.

Ten.-Cor. J. J. Brandão Ferreira, «Portugal e o Grupo de 'Bilderberg'», in O Adamastor, 26/VI/13.

Tudo pela Nação (sêlo de correio, 1935)

(Sêlo de correio de dois tostões e meio, 1935)



Escrito com Bic Laranja às 12:55
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014
Alameda da Encarnação


Alameda da Encarnação, Lisboa, 1951.
Eduardo Portugal, in Arquivo Foográfico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 11:35
Verbete | Comentar | Comentários (2)

Terça-feira, 15 de Abril de 2014
Colherada na malga

 O cidadão Papillon deu ontem em tecer louvaminhas na emissora nacional ao presidente da Comissão Europeia. Tal o descaro que no meio de salamaleques servis dignos dó ouvi-o dizer o como se sacrificou Durão Barroso em largar o cargo de primeiro ministro pela Comissão e como lho devemos agradecer aclamando-o a Belém (Contas do Dia, Antena 1, 14/IV/14).

 No feudalismo, o ritual da homenagem firmava a sujeição do vassalo ao senhor, por quem havia de bater-se nas batalhas, em troca de protecção e favor.
 Com os jacobinos, mais immixtio manuum ou menos osculum, a feudo-vassalagem pouco mudou. No fim, sempre o cidadão vassalo recebe uma dádiva da mão de seu senhor...

Feira do tacho.png
Tacho de barro n.º 3, da Feira da Louça.



Escrito com Bic Laranja às 19:16
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Domingo, 13 de Abril de 2014
Tutti Mundi Drugstore e o jornalismo doutrinário

Drugstore Tutti Mundi, Av. de Roma (A. Pastor, c. 1973)
Tutti Mundi Drugstore, Lisboa, [1973-74].
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Escrevia anteontem confrade Manuel que acabara de ouvir na R.T.P. um tipo dizer que antes do 25 de Abril não havia pronto-a-vestir em Portugal. E rematava: é isto o jornalismo.
 Jornalismo não havia de ser, mas é no que o jornalismo se tornou; coisa que o jornal escreva ou que no telejornal vá para o ar tem foro de verdade indeclinável. Torna-se lei da Natureza e doutrina do Mundo. Ao invés, aquilo que os noticiários omitam, é porque nunca existiu.
 Portanto, antes do 25 de Abril não havia pronto-a-vestir em Portugal, como não havia jornalismo. Havia era censura a dar com um pau. Hoje, como graças ao 25 de Abril a censura acabou, temos o jornalismo, pois...

(Diário de Lisboa, 19/12/1968. Da Fundação do irmão do dr. Tertuliano.)



Escrito com Bic Laranja às 23:59
Verbete | Comentar | Comentários (8)

Rotundas na Av. de Roma

Cruzamento da Av. de Roma com a Av. da Igreja, Alvalade (J. Benoliel, c. 1950)
Praça de Alvalade, Lisboa, 195...
Judah Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Certa vez publiquei a imagem de cima ilustrando uma conversa acerca duns que dizem «controlar as rotundas». Convencera-me de ser no cruzamento da Av. de Roma com a dos Estados Unidos e nem me ocorreu a praça de Alvalade. Ao tempo, a rotunda que me palpitava na memória, de ver em moço numa fotografia antiga, era a do cruzamento com a Av. dos Estados Unidos.


Cruzamento da Av. de Roma com a Av. dos Estados Unidos da América, Alvalade (A. Pastor, c. 1969)
Cruzamento da Av. de Roma com a Av. dos Estados Unidos da América, Lisboa, 196...
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Esta rotunda empolgava-me muito mais do que o insípido cruzamento sobre o viaduto subterrâneo que conhecemos. Tinha outro encanto, era doutros tempos, duma primeva idade de ouro que me falhara, que o destino me não dera a experimentar. Lembro-me de nos espantarmos dela com emoção, eu e um velho amigo da mocidade em descobertas olisipográficas, quando descobrimos que o dito cruzamento tivera uma rotunda antes do viaduto.

 
Cruzamento da Av. de Roma com a Av. dos Estados Unidos da América, Alvalade (A. Pastor, 197...))
Cruzamento da Av. de Roma com a Av. dos Estados Unidos da América, Lisboa, 197...
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Por 1970-71 a fisionomia destes dois cruzamentos da Av. de Roma mudou. Tem graça que o bairro de Alvalade teria então sòmente vinte anos de construído e, não obstante o planeamento cuidado, o progresso material das décadas de 50 e 60 constragia ali, já, a vida urbana. O crescimento das cidades em altura (para cima ou para baixo) é mera entropia. O progresso material como o entendemos é uma contraditória ilusão. E a sua estética desde aí, parece-me que nem isso.

Avenida da Igreja e Praça de Alvalade, Lisboa (A. Pastor, 1970)
Av. da Igreja e Pr. de Alvalade, Lisboa, [c. 1973].
Artur Pastor, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..



Escrito com Bic Laranja às 13:18
Verbete | Comentar | Comentários (6)

Sábado, 12 de Abril de 2014
Av. dos E.U.A. já amadurecida, tirada da do aeroporto

Avenida dos Estados Unidos, Lisboa A. Pastor, 1974
Avenida dos Estados Unidos, Lisboa, 1974.
Arthur Pastor, in Archivo Photographico da C.M.L.



Escrito com Bic Laranja às 08:50
Verbete | Comentar | Comentários (4)

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
15
17

18
19
20
21
24

25
26
27
28
29
30


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----