9 Comentários:
De [s.n.] a 26 de Março de 2017 às 02:13
Ainda bem que voltou ao tema "tropeções na gramática". Estou há vários dias para chamar a atenção de alguns desses defeitos dos meninos/as das televisões, convidados, políticos, polítólogos, jornalistas, etc.

Há dezenas de anos que estas personagens acima cometem erros de semântica porque não se dignam ir verificar a um simples dicionário o que determinados vocábulos significam na nossa língua e no caso a francesa de que copiam aqueles, pensando que estão a ser muito eruditos no arrazoado que bolsam. Há ainda outra moda: "confesso" eles agora pronunciam 'confêsso'! Outra: desde há tempos imemoriais, isto é, desde o 25/4 que a geração mais bem preparada de sempre incluíndo políticos, em vez de pronunciarem correctamente "paradoxo" pronunciam 'paradôxo'! Lindo...

Outro caso ridículo. Todos eles repetem constantemente "questão" quando fazem uma pergunta a alguém, assim: "queria fazer-lhe uma questão" querendo eles dizer "queria fazer-lhe uma PERGUNTA". O substantivo francês "question" , tanto quanto o inglês "question", significam de facto "pergunta", mas por amor de Deus, QUESTÃO em PORUGUÊS significa ASSUNTO e não PERGUNTA. Párem de dar pontapés na gramática.

Volto à Conceição Queiróz. Deixei de ver os telejornais que esta rapariga apresenta aos sábados e domingos, pois não suporto ver aquela cabeleira HORRÍVEL. É de fugir a sete pés olhar para aquele cabelo. E não é por ser encarapinhado, não, é simplesmente porque em televisão tudo o que não é harmonioso é de mau gosto, seja a roupa desadequada, maquilhagem exagerada, adereços despropositados, jóias (falsas ou não) em quantidades industriais, etc. Portanto, mesmo que a roupa da Conceição seja mais ou menos, a cabeleira é ultra feia, deselegante e despropositada para quem apresenta telejornais. Em reportagens do exerior ainda vá que não vá, mas em estúdio semelhante figura não se suporta.
Maria
(cont.)


De [s.n.] a 26 de Março de 2017 às 03:11
Esta rapariga, Conceição, persiste noutro defeito inadmissível, não pronuncia o "a" seja ele preposição seja artigo definido, assim como também não o faz quando o vocábulo começa por "a", por ex. "amanhã" (não pronuncia o "a" inicial; na frase "até amanhã" ela diz "até manhã"!... assim como o não faz em todas as palavras inicadas por "a". Incrível. E demasiadamente mau para ser admissível.

Há uma Susana Pinto na SIC-N que apresenta um programa que se baseia em acompanhar um ou uma artista ou cantor/a à terra onde nasceram e cujas personagens, algumas, até são interessantes de se ouvir e por isso sigo com agrado algumas delas. Mas esta rapariga tem um defeito também insuportável, são as gargalhadas estridentes e irritantes ao máximo que solta a propósito e a despropósito e tem um modo de falar extremamente agressivo, mais parece estar a mandar os entrevistados "àquela parte"... Horrível. As gargalhadas após cada palavra ou frase são um absoluto pavor. Mesmo quando é ela própria a falar, acrescenta d'imediato uma gargalhada!, tenha ela graça ou não tenha e normalmente não tem a mínima. E faz o mesmo a cada palavra ou frase nas respostas que o entrevistado profere! Mas não há ninguém na SIC que aconselhe esta rapariga a não dar gargalhadas, seja a que propósito for?!?

Há um João Moleiro na SIC sem jeito algum para o cargo que voltou a ocupar após largo tempo longe da nossa vista, intervalado por um prograna de entrevistas a altas horas da noite do mais piroso e sem qualquer interesse, não pelos convidados mas por ele que não vale nada como entrevistador ou locutor, programa este que durou pouco tempo, creio eu. Pois agora esta encomenda voltou a ler telejornais!! O homem só grita, fala com os dentes cerrados, ainda por cima é delfo e não tem perfil nem presença nem cultura geral para estar perante as câmaras. Já escrevi anteriormente sobre os defeitos deste rapaz, a propósito de um programa de entrevistas (tardio... para passar despercebido, é de crer) que ele apresentava e no qual ele dava um péssimo espectáculo (o mesmo aconteceu aquando dos Óscares, em que ele e outra colega faziam a apresentação do mesmo e ele foi de tal modo mau que saiu a meio, deixando a colega sózinha, dando esta perfeitamente e muito melhor conta do recado) mas desconfio que é por isso mesmo que o director resolveu dar-lhe maior protagonismo, num acto de masoquismo que só visto. Já fizeram o mesmo a outros/as, locutores/as e apresentadores/as, perfeitas nódoas, que depois de fortemente criticados foram logo de seguida colocados a apresentar novos programas ou o telejornal à hora de maior audiência... Mais parece tratar-se de uma vingançazinha desses directores de programação, que dizem de si para consigo "ai criticam-no/a (locutor/a, jornalista, apresentador/a) por falta de jeito no programa que apresenta, pois vão aguentá-lo/a num próximo em que irá estar ainda em maior evidência". Isto é puro masoquismo. Ou melhor, é estupidez e incompetência elevadas à máxima potência. Ou porventura oportunismo porque se calhar, o que é mais certo, essas nódoas são filhos/as de políticos - lembremos a filha do inenarrável Ferro Rodrigues que por ser filha deste, tem emprego pra vida sem ter grande jeitinho e, para azar dela, sempre que a vejo mudo logo de canal porque parece-me estar a ver o repugnante pedófilo do pai; o Rodrigo Guedes Carvalho que está onde está para durar por ter tido outra bruta cunha, porém como locutor não vale nada, é antipático e inculto; a fraquíssima Dina Aguiar, permanentemente afónica, levada para a RTP com uma bruta cunha do Joaquim Letria e em vez de estar noutro local da mesma RTP, está a apresentar notícias!... - netos, sobrinhos, amigos...
Maria


De [s.n.] a 26 de Março de 2017 às 17:15
Corrijo um lapso, a Susana Pinto pertence à TVI.

Os jornalistas que interrogam políticos e pessoas, outras, façam um simples exercício de imaginação e quando quiserem ir fazer perguntas aos ditos, digam primeiro em voz alta e antes de os irem entrevistar, a seguinte frase: "deixe-me fazer-lhe uma questão=um ASSUNTO"..., quando o que eles na verdade querem é "fazer ou pôr perguntas" aos visados e não 'fazer-lhes assuntos' para o mesmo efeito...

Por amor de Deus, aprendam a falar na perfeição o português, mais que não seja por estarem a fazê-lo para milhões de portugueses (tanto cá como no estrangeiro) que através de programas, debates, telejornais e no linguajar dos políticos e dos convidados, aqueles vão aperfeiçoando a nossa língua. Não se esqueçam que a língua portuguesa é o nosso bem mais precioso a par da nossa terra-mãe e como tal deve ser defendida, acarinhada e tratada com o máximo respeito.
Maria


De muja a 26 de Março de 2017 às 14:58
É de bradar ao burgo, aos céus e sabe-se lá a quem mais... que não há quem nos acuda.


De Bic Laranja a 1 de Abril de 2017 às 08:39
Nada disto levará emenda. Passámos há muito o limiar do que éramos.
Cumpts.


De [s.n.] a 26 de Março de 2017 às 20:58
Recebeu o meu último comentário? Se calhar não... Cliquei inadvertidamente no designativo "responder", o que não devia ter feito. Também me aconteceu o mesmo já vai para bastante tempo e quando nessa altura o avisei do lapso, fez o favor de o recolocar na devida caixa.

Este, agora, foi só para fazer uma correcção e especificar algo relacionado com o que havia escrito nos dois comentários anteriores. Desculpe o incómodo:)
Maria


De Bic Laranja a 26 de Março de 2017 às 23:53
Moderei os comentários aqui.
Cumpts.


De [s.n.] a 27 de Março de 2017 às 16:14
Ah! Então foi isso:)
Maria


De [s.n.] a 28 de Março de 2017 às 10:58
Senhora Dona Maria,

"Essa" Susana Pinto, não trabalha na SIC-N mas, na TVI.

Quanto ao resto é lá consigo...

Zé das Caldas


Comentar