Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2015
É Brandeburgo. Vem no prontuário!

 Esta gente do jornalismo, hoje em dia, é de dó. Que os bípedes que se locomovem por aí em geral leiam pouco mais que A Bola e nada mais saibam, ainda é como o litro; que se esperaria?! Mas que uma mole acreditada em viçosas licenciaturas ressoe essa vulgar estupidez iletrada nos noticiários, Deus nos valha!
 Trasanteontem uma locutora moça tão ignorante como lhe quem lhe redigiu o teleponto noticiava um acontecimento no «portão de Brademburgo» (Brá-dem-bur-go). Foi na abrasileirada R.T.P. e daí o disparatado «portão» em vez de «porta». Já Brademburgo!... Donde brotou tal coisa!?
 No canal ao lado, uma mais madura -- portanto com idade de poder ter adquirido um nadinha mais de cultura geral -- chapava em cheio, não com o portão, mas com a porta, vá lá! -- Mas de quê?
 De Bràdemburgo, outra vez!
 Em simultâneo, a esta última, aparecia no rodapé outra rafeirice... Desgraçada língua!


Jornal da Noite, S.I.C., 13/1/15.



Escrito com Bic Laranja às 20:10
Verbete | Comentar

25 Comentários:
De Orlando Braga a 16 de Janeiro de 2015 às 20:49
“Brademburgo” brada aos céus!


De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2015 às 21:35
Não lêem nada.
Cumpts.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 14:04
Pois se não sabem escrever - ele agora há uma máquina que faz esse (lindo) serviço pelo seu (deles) cérebro - com o quer o caro Bic que saibam ler???? E logo com acento circunflexo, para piorar ainda mais as coisas...Cumpts


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 13:57
Caro Orlando, não sei mesmo por que razão: então antes de «p» ou «b» não se coloca um «m»?Cumpts


De Orlando Braga a 18 de Janeiro de 2015 às 19:23
Ora bem: vamos ver:

Em alemão, escreve-se “Brandenburg”, que é o nome lá do sítio.

Note-se que, no alemão, não se aplica o “m” antes do “b” e/ou do “p”.

Também em alemão escreve-se “Brandenburger Tor”, que não é “porta” nem “portas”, mas antes significa “portão”. Portanto, traduzido à letra seria “Portão de Brandenburgo”.

Porém, eu estou de acordo com Winston Churchill: “Tenho do direito de escrever os nomes estrangeiros da maneira que eu quiser”.

Por isso, se no prontuário está “Brandeburgo”, é porque está bem escrito.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 22:32
Caríssimo Orlando: era apenas um chiste; é que estas alimárias raciocinam «à regra e ao esquadro»! Mas agradeço a sua benevolência; o humor às vezes tem destas coisas :)
Cumpts


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 22:37
E claro que Brandeburgo é que está bem escrito; isso é pacífico, pelo menos para que sabe algum a coisa.
Cumpts.


De ghtf a 17 de Janeiro de 2015 às 19:31
Cá por casa sempre ouvir dizer "Portas de Bradenburgo - nunca porta, ou portão.


De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2015 às 21:36
É Brandeburgo.
Cumpts.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 13:59
Mas é «portas» no plural, ou estarei enganado?
Cumpts


De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015 às 23:44
Em português, portas, naturalmente.
Cumpts.


De ghtf a 24 de Janeiro de 2015 às 18:14
Sempre ouvi dizer com o som en Portas de Bradenburgo - por quem falava alemão - que dantes mesmo quem ia para ciências aprendia.


De Bic Laranja a 24 de Janeiro de 2015 às 19:42
Bem vejo.
Quem falava alemão, falava alemão. Em português dizemos Brandeburgo.
Cumpts. :)


De Joe Bernard a 17 de Janeiro de 2015 às 20:32
Já nada me admira na iliteracia e ignorância dos "doutores" da comunicação social.


De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2015 às 21:40
Pois são licenciados? Têm licença para começar a aprender.
Cumpts.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 13:55
Sabe que tenho saudades do tempo em que se gozava com o cauteleiro, culturalmente ao nível destes patetas das luminárias, quando este, já alegrete, dizia:
- O fado é qu'induca e o vinho é qu'instrói!
Todavia convém não esquecer que estamos a falar da «geração mais bem preparada de sempre», catancho!
Cumpts


De gato a 18 de Janeiro de 2015 às 20:35
Há 50 anos eu ouvia: O fado é qu'induca e o vinho é qu'instruca.

Abraços


De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015 às 22:23
Velhos tempos em que se dizia «quem não trabuca não manduca». Vamos lá agora com o rendimento mínimo do Guterres...
Cumpts.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 22:35
Mudança gramaticalmente menor: quem não trabuca é que manduca!
Cumpts


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 22:33
Melhor ainda!
Cumpts


De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015 às 22:20
A geração mais preparada de sempre, que evoluiu do vinho para a litrosa...
Cumpts.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 22:39
Ora aí tem!
Cumpts


De Real a 17 de Janeiro de 2015 às 21:51
Os senhores «Relvado e 44» também são licenciados, logo nada me espanta...


De Bic Laranja a 18 de Janeiro de 2015 às 22:18
Bom argumento.
Cumpts.


De Inspector Jaap a 18 de Janeiro de 2015 às 22:41
Neste caso, se calhar, ele é mais licenciosos!
Cumpts


Comentar

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitante

Contador
Selo de garantia
Pesquisar
 
Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Pequena Alface (Da)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

Arquivo

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS
----