14 Comentários:
De muja a 27 de Fevereiro de 2017 às 18:41
Quem espetasse com eles cá sei eu bem onde, é que nos fazia grande serviço...


De Bic Laranja a 27 de Fevereiro de 2017 às 21:17
Temo bem que desta sarna já nos não livramos.
Cumpts.


De ftr a 28 de Fevereiro de 2017 às 23:24
Só não nos livramos se não quisermos.


De Bic Laranja a 3 de Março de 2017 às 00:07
A corja alapada ao poder não se mexe. A vontade dalguns e a indiferença geral não os demove. Vence a inércia, que nos puxa para o fundo sem parar.
Cumpts.


De [s.n.] a 28 de Fevereiro de 2017 às 02:19
Ouvi algures que o A/90 ía ser anulado e a língua portuguesa voltar ao que era, Será verdade?Se for o caso, então quererá dizer que os milhões gastos em novos livros, cadernos e demais material escolar, etc., feitos pelos anualmente pelos pais dos alunos, à razão de centenas de milhares de euros, material este que era inutilizado no final de cada ano lectivo, para no início do ano seguinte todos os gastos voltarem a ser efectuados pelos mesmos encarregados d'educação, com brutos ganhos para os autores dos ditos livros e de pessoal ligado ao Ministério da Educação, chegou para satisfazer a ganância de quem desses milhões beneficiou? Será que os autores do Acordo e os muitos ligados à educação, já ficaram satisfeitos com as centenas de milhões que roubaram ao contribuinte desde a adopção obrigatória do A/90 no ensino e no sector público, sem esquecer outros muitos que directa e indirectamente também lucraram uns bons milhões com a afronta que governantes, por interpostos linguístas oportunistas e anti-patriotas, fizeram intencionalmente à língua portuguesa? Deve ser isso.
Maria


De Bic Laranja a 28 de Fevereiro de 2017 às 16:24
Não acredito. O estado de putrefacção nacional impede-me de crer que se torne ao que estava bem e não precisava de haver sido mexido.
Mas hão-de mexer na ortografia, sim. Para pior e sobretudo a bem das negociatas da edição.
Já nada disto leva emenda.

Cumpts.


De frt a 28 de Fevereiro de 2017 às 23:23
Os interesses editoriais não existem. Se as grandes editoras internacionais editam em várias línguas! É desinformação para que a justa indignação dos portugueses perante um crime cometido em nome do nacionalismo brasileiro, através de tráfico de influências e corrupção.


De Bic Laranja a 1 de Março de 2017 às 21:37
A edição e reedição de livros escolares, é que me refiro. Uma quota de mercado que sempre potenciado na pelas normas ortográficas ditadas pelo governo. Os meninos só podem ser ensinados como o governo entende ou serão cidadãos mal formatados, como se agora diz.
Cumpts.


De frt a 1 de Março de 2017 às 22:14
Não é necessária uma nova ortografia para que as editoras? ganhem com os livros escolares: eles mudam todos os anos. <br>E como se justificaria a "pressão no Brasil" - que pode mudar de manuais escolares a pretexto seja do que for -, pressão confessada por Cavaco?? Ou que os diplomatas brasileiros corressem à Guiné-Bissau para que esta assinasse... é por pressão das editoras??<br>Ah, grandes editoras? em países com tao baixos níveis de literacia!<br>Cada um acredita no que quer.<br>No Brasil, quando rasgaram, em 1954, o acordo de 1945 foram francos e falaram da ortografia nacional brasileira, na linha do nacionalismo linguístico e anti-português que os caracteriza http://www.filologia.org.br/revista/artigo/5(15)58-67.html<br>Ainda há pouco tempo um representante das editoras? portuguesas se queixou e não houve qualquer aumento de vendas para o Brasil - como era expectável. Miguel Sousa Tavares, que é um sucesso comercial no Brasil nunca permitiu que a ortografia de 1945 fosse alterada e isso não prejudicou as vendas.<br>Mas se acha que o Brasil anda ao serviço das editoras? portuguesas, continue, que quem quer impor o acordo, agradece. <br>


De frt a 28 de Fevereiro de 2017 às 23:32
O acordo não está em vigor. Não está em vigor na ordem jurídica internacional - por não preencher os requesitos do direito aplicável, a Convenção de Viena do Direito dos Tratados - e está a ser aplicado em Portugal inconstitucionalmente (nomeadamente o nº 2 do artº 8º da Constituição). É altura de deixarmos de tolerar os caprichos do "eng." Sócrates.


De Bic Laranja a 1 de Março de 2017 às 21:50
Desde 2007 que peroro aqui contra a aberração. Argumentos contra a coisa não faltam. Estou cansado de tanta cobertura dum poder de merda, representado por deputedos ainda mais merdosos à merdografia imposta como se fosse perfume. O cheiro nauseabundo que todos els exalam é insuportável.
P.q. os p.

Cumpts.


De frt a 1 de Março de 2017 às 22:18
Pois é.
Mas a página da net no Supremo Tribunal cumpre a lei que rege a ortografia portuguesa - o Decreto nº 35.228 de 8de Dezembro de 1945 e º 32/73, de 6 de Fevereiro.
Quanto à cobardia não é só dos deputados. E, para além deles há os cúmplices, geralmente com passagens pelos brasis.


De Mandarinia a 1 de Março de 2017 às 06:18
A falta que faz uma boa bandarilha.


De Bic Laranja a 1 de Março de 2017 às 21:40
Ainda ia melhor com pampilho nos lombos e garrochada na cernelha, em alternância ou vice-versa, pelo menos enquanto não houvesse lezíria.
Cumpts.


Comentar