11 Comentários:
De [s.n.] a 30 de Junho de 2017 às 02:18
Este palerma, de quem aliás gosto como pessoa pela correcta formação moral que tem demonstrado e pelo seu apêgo à família, não é que resolveu ir ter filhos além-Atlântico e ainda por cima através de barrigas d'aluguer, quando tem por cá e agora uma bela rapariga com quem partilha a vida e que lhe vai dar um filho que, agora sim, será verdadeiramente de ambos?!

Que raio de ideia teve o Ronaldo em proceder desta maneira tão inabitual? Vindo da pessoa que ele é, torna-se inacreditável. Não havia raparigas bonitas e bem formadas dentre as que sempre o rodearam e/ou com quem namoriscou, para virem a ser mães dos seus filhos? Foi preciso ir aos Estados Unidos para ser pai e logo de um modo muito estranha para um português nado e criado em Portugal?

Claro que será a Georgina quem irá criar os três filhos "só dele", isto é mais do que óbvio, mais o outro que está para nascer, perfazendo quatro... Se ela sopesou o que a espera e decidiu ir em frente, então deve ser uma óptima pessoa.

Pobre Georgina, não auguro nada de bom ao futuro desta família no que respeita ao ambiente familiar, mas posso estar errada e Deus queira que sim. É que sabe-se ser muito raro as madrastas darem-se bem com os enteados/as e vice-versa.
Maria


De Mandarinia a 30 de Junho de 2017 às 14:48
Será que estas crianças um dia farão perguntas? Vejo as crianças à minha volta a fazerem perguntas uns aos outros quase de rajada: "Porque é que o teu pai nunca te vem trazer à escola? Porque começa a trabalhar muito cedo, por isso vem a minha mãe." Tendo em conta que desde a pré-primária (ainda se chama assim), passando pelo 1º ano, outra vez no 2º ano e ainda no 3º ano (e pelo menos mais uma vez ainda a língua inglesa) que os miúdos estudam os graus de parentesco, fazem árvores genealógicas (com fotografias e tudo) ficando a família todinha esmiuçada. Será que eles não farão perguntas? O dinheiro abafa tudo? Não me parece que seja o mesmo que ficar órfão por causa de um acidente ou por doença. Mas suponho que agora seja assim. Ainda bem que não sou eu a responder a essas perguntas.


De [s.n.] a 3 de Julho de 2017 às 10:48
Senhora Dona Maria,

Explique, se faz favor e estiver disposta a tal, essa do PALERMA...
Agradecido.
Zé das Caldas


De [s.n.] a 3 de Julho de 2017 às 20:48
Explico, sim senhor.

Palerma, porque tendo ela namorado (e sido admirado por) dezenas de raparigas giríssimas, não escolheu nenhuma delas para ser a mãe dos filhos que tanto desejava ter. Teríam odas elas defeitos insanáveis?

Palerma, porque não é èticamente e menos ainda moralmente correcto para os filhos que teve, recorrendo a barrigas d'aluguer, de nunca virem a saber quem são as suas verdadeiras mães e cada uma diferente da outra. Só esta 'pequenina' decisão, certemente não devidamente pensada, já o devia ter alertado para o desequilíbrio emocional que aqueles três filhos irão demonstrar com o decorrer dos anos.

Palerma, porque não pensou por um instante que estando a roubar a identidade das verdadeiras mães aos seus filhos, estes irão mais tarde revoltar-se obrigatòriamente contra essa decisão gravíssima que ele, como um pai, tomou, privando-os de algo que jamais devia ser feito, isto sem motivo aparente ou por uma razão de vida ou de morte.

Palerma ainda, porque um homem que podia ter escolhido uma mulher visível para mãe de seus filhos e estando ele próprio fìsicamente capacitado para gerar filhos (a menos que o não esteja e já se viu que não é este o caso, uma vez que está grávida aquela com quem vive actualmente), nada justifica ter resolvido ir ter filhos para os Estados Unidos(!!) pelo processo da sua doação de esperma por um lado e da obtenção de óvulos de determinada mulher por outro lado e ainda de uma inseminação artificial noutra mulher para estoutra ter ido por fim gerar as crianças que ele tanto desejava...

Se ele foi dar todas estas voltas incríveis para ter filhos sem que estes jamais possam vir a conhecer as mães que os conceberam e deram à luz, tudo isto sem necessidade alguma de o fazer, não se trata apenas de ser palerma (ou até mais do que isso e que me inibo de mencionar por não está na minha maneira de ser) então sinceramente não sei o que lhe hei-de chamar.

Esclareça-se que respeito Cristiano Ronaldo como pessoa pela sua formação moral, pelo amor que tem pelo seu país e pelo carinho e amor que dedica à sua família. Qualidades que convenhamos vão sendo cada vez mais raras, quando não completamente ausentes, nas gerações mais novas.

Acho que me expliquei suficientemente bem para ter tido razão em ter-lhe chamado (e continuar a chamar) palerma.
Maria


De Valdemar Silva a 3 de Julho de 2017 às 18:38
Esta Senhora Dona Maria é extraordinária:
Gosta dum palerma por ser bom chefe de família e blá, blá, blá que até dá gosto.
Palerma é uma pessoa que se deixa facilmente enganar ou prejudicar é, também, uma pessoa ingénua e com falta de bom senso e é, também, uma pessoa pouco inteligente. Coitado do Ronaldo e ....da Georgina.
Histórias de depois do 25Abril1974. A Senhora Maria tinha um neto que era colega de carteira no mesmo Estabelecimento de Ensino do neto da Dona Maria mas, o neto da Senhora Maria andava da Escola Secundária e o neto da Dona Maria andava no Liceu. Coisas de Donas e Senhoras e coisas do 25 de Abril. Acresce dizer que tanto um como o outro são Quadros Dirigentes de uma grande empresa internacional.
Valdemar Queiroz



De Real a 11 de Julho de 2017 às 22:07
Boa noite.
Não consigo compreender a persistência desse cavalheiro em aumentar a família no laboratório em vez da cama.


De Bic Laranja a 11 de Julho de 2017 às 22:39
Eu digo-lhe. Um ícone do «gayzismo» em estado larvar. Não tardará a eclodir, em pendurando as chuteiras. Oxalá me engane; havemos de ver. Neste portugalinho de depois do fim, já não faltava mais nada para nos envergonhar.
Cumpts.


De [s.n.] a 12 de Julho de 2017 às 04:33
!!!
:)Maria


De [s.n.] a 12 de Julho de 2017 às 15:31
Nunca tinha pensado nisso. Mas se formos a ver bem, há bastante coerência nas suas palavras. Olho de lince, é o que é. Ou melhor ainda, inteligência e argúcia no seu melhor:)
Maria


De [s.n.] a 16 de Julho de 2017 às 02:18
Leu ou ouviu o que disse o Dr. Gentil Martins sobre C. Ronaldo? Vem num jornal qualquer mas eu ouvi há pouco em notícia curta, na TVI-24. Vale a pena ler ou ouvir.

E depois do Doutor dar a sua opinião (parece-me que a opinião ainda é livre em Portugal, parece-me...) criticando fortemente o rapaz por querer ter filhos do modo pouco correcto como os tem tido, pois agora, imagine-se!, a Ordem dos Médicos quer processá-lo por ter dado simplesmente a sua opinião e ainda por cima abalizada!!!

Já viu até onde "isto" chegou? E onde irá parar?
Maria


De Real a 21 de Julho de 2017 às 00:42
Boa noite.

É a ditadura do politicamente correcto. Não se pode ter uma opinião diferente daquilo que foi estabelecido pela internacional socialista e os seus lacaios em Portugal.


Comentar