6 Comentários:
De Mandarinia a 26 de Junho de 2017 às 14:04
A publicidade é, de facto, agradável tal como a do autocarro onde teve o seu acidente (nesse caso um caravela).
De notar é também que os aeroportos ainda tinham nomes de lugar e não de gente (qualquer dia lembram-se de mudar o nome aos portos; de Leixões, de Sines, lá vamos ter o porto de Soares, o porto de Guterres...). Nada escapa.


De Bic Laranja a 26 de Junho de 2017 às 14:48
Note que o caso de aterrar de nariz por saltar do autocarro em andamento não é história minha; é dum leitor (tenho de ir lá acrescentar).
Diria que a publicidade antiga é agradável. Porque perdeu a função de mover a vontade à gente, porque quando ainda agrada é por ser estèticamente mais apelativa, porque sim...
Dos topónimos de regime nem vale a pena dizer nada. Salazar bem o entendia e bem o disse a alguns de seu tempo que se comportaram (quase) como os de agora.
Cumpts.


De [s.n.] a 27 de Junho de 2017 às 14:53
De facto é como diz no que toca à vontade. Há um distanciamento que não nos move para o consumo mas sim para a nostalgia. Parece-me ainda que também se nota na publicidade antiga uma contenção e sugestão que uma vez utilizadas necessitam de ir mais além na tentativa de conseguir o mesmo efeito (tal como os toxicodependentes tentam, em vão, alcançar a sensação que experimentaram aquando da primeira utilização). Como dizia John Cleese numa entrevista acerca dos Monty Python "There were all these cherrys to be picked"...
Depois só resta, na publicidade e no humor, esticar a corda cada vez mais até que sobra apenas tudo o que é nu e cru.
Cumprimentos


De Joe Bernard a 26 de Junho de 2017 às 18:01
Gostei de o ver passar esta manhã, 2 vezes, a 1ª mais baixo do que a segunda, sobre a baía de Cascais.
Deu-me uma certa nostalgia, pois foi com essa pintura que, em Janeiro de 1974, começo a minha aviação na TAP.


De Bic Laranja a 26 de Junho de 2017 às 18:16
A pintura é atrasada, mas o voo chegou adiantado.Não consegui vê-lo. Quando fomos por ele já tinha aterrado.
Cumpts. ;)


De Real a 21 de Julho de 2017 às 01:04
Também gostei da pintura, ao menos este A330 não tem escrito " painel de serviço de dejetos" como nos Embraer 190


Comentar