5 comentários:
De Joe Bernard a 26 de Dezembro de 2017 às 18:38
Esse filme era o que passava nos nossos aviões durante a evacuação de África.
Penso que na altura já sabia as falas de cor, de tanto ver o mesmo filme...
Enfim, tempos dramáticos para milhares de portugueses.
De Bic Laranja a 27 de Dezembro de 2017 às 18:00
Já falámos disto, bem sei.
Mas apeteceu-me recordar a música.

Ano bom!
De fty a 2 de Janeiro de 2018 às 00:15
Desculpará, mas em minha casa ao Brasil serão nenhumas e sempre se disse presente e não prenda. O mesmo para os meus amigos. Aprendi de pequeno que se dizia presente e não "prenda" e depois, mais tarde explicaram-sem que se diz presente porque nos faz presentes a quem damos, meso quando não estamos - uma lembrança. Ao contrário prenda é um atributo, uma qualidade, pelo que seria levemente presunçosoalguém achae que outrém necessite dela...
Quanto aos brasileiros, conservam palavras que ainda se usam e sempre se usaram em Portugal, v.g., xícara, embora aqui de uso mais limitado.
Boas Festas.
De fty. a 2 de Janeiro de 2018 às 00:16
Corrigindo, ascrevia que na minha casa as ligações ao Brasil serão nenhumas, mas apagou-se.
De Bic Laranja a 2 de Janeiro de 2018 às 18:29
Tem razão. A observação que fiz foi irreflectida e guiada sòmente duma impressão particular de pouco ouvir dizer «presentes» dantes, em pequeno, até à moda das novelas brasileiras cá chegar.
Estùpidamente fui preconceituoso.
Para que fique claro, então: presente é dádiva; prenda é dom. E consultando a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira aprendo agora que Camões, João de Barros e Frei Luís de Sousa abonam «presente» justamente como dádiva, enquanto Fernão Mendes Pinto, na mesma época, abona «prenda» como dom. Sendo sinónimos hoje, todavia, parece indiciar um uso clássico com aqueles sentidos distintos o abono apenas moderno de «prenda» como «presente» por Rebelo da Silva e Júlio Brandão.

Muito obrigado e votos de ano bom!

Comentar