12 comentários:
De Ricardo Jorge a 25 de Agosto de 2007
A Mexicana foi fundada em 1946 por um grupo de 4 sócios, 3 dos quais ligados à família Vicente, oriunda de Tomar. Os terrenos onde hoje se situa a Praça de Londres foram adquiridos na primeira metade do século XX por Tomarenses que a lotearam e venderam a outros Tomarenses para construção. Uma parte considerável do terreno onde se encontra a Igreja de S.João de Deus era desta família Vicente e da família Alcobia Neves.
Ainda hoje, os principais sócios da Mexicana são descendentes do fundador José Vicente que terá dado sociedade, em comandita, a um sobrinho de nome Manuel Penteado que explorou aqui, no início, uma leitaria que mais tarde evoluiu para aquela que é hoje uma das mais afamadas Pastelarias do País.
De Bic Laranja a 23 de Dezembro de 2006
Ele volta. Cumpts.
De Paulo Cunha Porto a 23 de Dezembro de 2006
Meu Caro Bic Laranja:
Tenho uma pena de que o Mendo Ramires tivesse ido de férias... Ele cresceu aqui...
Abraço.
De Bic Laranja a 23 de Dezembro de 2006
Obrigado pela visita D. Brites. Boas Festas! // Goste em revê-la por cá, Menina Marota. Muito obrigado e Boas Festas e Feliz 2007 para si também! // Tudo o que conheço é posterior, caro confrade. Temo desapontá-lo nesta aqui. Vamos a ver o que dá. Cumpts.
De Je Maintiendrai a 23 de Dezembro de 2006
Referia-me à casa dos Cunhas, Condes de Sintra, que de lá sairam com as expropriações. Ignorava a existência das outras duas. V. Senhoria não falha... Haverá fotografias?
De Menina_marota a 23 de Dezembro de 2006
Gosto de sentir assim esta Lisboa de outras épocas...
Vim desejar-te um feliz e sereno Natal
Um abraço e boas entradas em 2007 :)
De padeiradealjubarrota a 23 de Dezembro de 2006
Acho fantástico imaginar a Guerra Junqueira com tamanho desafogo. Foi nesta rua que nasci, salvo seja, nasci na maternidade e fui de seguida para casa e ainda hoje tenho lá familiares. Pela fotografia dos anos 62 a Mexicana quase parece a mesma e à direita mantem-se a farmácia.Fantástico!
De Bic Laranja a 22 de Dezembro de 2006
Parece então que antes de 62 a Mexicana seria a mesma mas com outra face. Obrigado pelo contributo, caro amigo. Boas Festas
De Manuel a 22 de Dezembro de 2006
Ai, meu Amigo, assim deixa-me nostálgico.
A minha época ali foi no final dos 70. Mas ainda antes da reforma que menciona, já por lá parava a minha progenitura. Coisa dos 50.
Um abraço
De Bic Laranja a 22 de Dezembro de 2006
Por alturas da Casa da Moeda três quintas: uma Quinta da Brasileira; uma Quinta do Chora ou Quinta do Conde de Sintra. Isto por volta de 1910, entre a actual Defensores de Chaves e a suprimida R. do Arco do Cego. A casa nobre pode ser a quinta do conde das Galveias, mais a norte.
O desafio está aceito.
Boas Festas!

Comentar