Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006

Azinhaga do Ribatejo, Golegã

 Lá mais abaixo a casa do escritor Saramago é talo e couves a casa do meu avô lá na terra. Aquela porta com postigo; o degrau à entrada a lembrar que é terra alagadiça; o batente da porta que girava a lingueta do trinco. Até a tinta descascada....
 Passei de raspão pela Azinhaga no dia de São Martinho e achei-a mui florida e arranjadinha, mas... As casas rústicas andam pintadas, não caiadas; a caixilharia de alumínio entrou nas casas porta dentro e pôs-se à janela com estores levantados. Estores nas casinhas rústicas da Azinhaga, imagine-se! Algumas passaram a ter um sobrado, tornando-se aberrantemente type maison. A Azinhaga foi a aldeia mais portuguesa do Ribatejo no concurso de 1938. Agora parece trajar fato de cidade com lacinho meio a despropósito em vez do castiço trajo de lavrador ribatejano. Vede bem que há rotundas num termo e noutro da aldeia.

Azinhaga, Ribatejo (D. Reis, 2003)
Bomba na Rua da Amendoeira, Azinhaga, 2003.
Fotografia: Dias dos Reis.

 Quem procura imagens da Azinhaga na Internete quase lhe só sai o escritor Saramago. Uma que não é ele é esta aldeã junto à bomba de água, parece que na Rua da Amendoeira. Sempre me fascinou o pitoresco destas bombas de puxar água. Em menino esforçava-me por tirar água dando à manivela mas ela fugia-me das mãos quando dava a volta por cima; eu era muito pequeno. Ao depois cresci e resolvi o problema, mas logo me embaraçava perante a destreza das mulheres da terra girando a manivela em grande velocidade com uma só mão e com a outra apoiada na anca. Eu precisava de usar as duas e demorava sempre mais a encher o cântaro.
 E falando agora nisto, nunca vi os homens da terra (ou o meu pai) irem à água...

Escrito com Bic Laranja às 06:32
Verbete | comentar
12 comentários:
De Bic Laranja a 18 de Novembro de 2006
Creio que fica a ilustração completa ,caro Je mantiendrai; esquecera-me do chiar da bomba. // O amigo de Cernache que me desculpe não o conseguir (para já) ajudar. Mas ficarei alerta. Estou certo que quem por aqui passa também. Grato pelas suas palavras. // Grazie, Scarlata. Saluti.
De Scarlata a 17 de Novembro de 2006
Rotundas num termo e noutro da aldeia? Pronto, agora sabemos onde gastam os fundos da CEE... olhá bela da rotunda!
Como sempre 'boas postas' - Right on! ;-)
De Cernache do Bonjardim a 17 de Novembro de 2006
Bom dia,
É com frequência que visito o seu blog que considero de excelente de qualidade.
Será que me pode indicar onde e com posso tentar obter fotos os postais antigos de Cernache do Bonjardim? Como autor do blog http://cernachedobonjardim.blogs.sapo.pt/ gostaria de lá publicar um pouco do nosso passado, coisa que não tem sido fácil.
Antecipadamente grato pela sua eventual ajuda.
De Je Maintiendrai a 17 de Novembro de 2006
Oásis de invocações sãs e formosas.
A bomba de água! Há anos que não me lembrava de uma igual que havia num jardim de meu Avô! E só quem em miúdo não se agarrou a uma dessas manivelas, é que não evoca a pega de tamanho desmesurado, o arranque do balanço , o ruído chiado, o tal "soco" da inércia, e o inevitável chapinhar a que obrigávamos as botas ou o coiro das sandálias de verão...
De Paulo Cunha Porto a 17 de Novembro de 2006
Meu Caro Bic Laranja:
E não será a Senhora fotografada da família do escritor? Lamento lançar esta sombra de difamação, mas há que considerar todas as hipóteses. Quanto à útil geringonça, faz-me lembrar uma cena de BD que entrou no meu imaginário infantil - os Dupontd a bombearem ar para o escafandro, na aventura de Tintim «O TESOURO DE RAKHAM O TERRÍVEL», em que a roda da manivela apresentava semelhanças.
Abraço.
De Bic Laranja a 16 de Novembro de 2006
Além de embaraçoso (no meu caso) era um exercício perigoso (no seu). Cuido que a sua esquiva o haja sempre safado, amigo Manuel. // E era esse o meu caso, D. Borboleta. // Cumpts. para ambos.
De Bic Laranja a 16 de Novembro de 2006
Pode vir sempre que lhe apeteça, D. Tibeu. Obrigado! // Fez muito bem em lembrar o seu belo verbete, amigo M. Gomes. Grato pela sugestão. // Há lá várias bem conservadas; tal como no Pombalinho, amiga MFBA. Cumpts.
De butterfly a 16 de Novembro de 2006
Sempre existiram aguadeiras e não aguadeiros!!! à falta de outras opções existiam as crianças!! Beijinhos
De Manuel a 16 de Novembro de 2006
Caro Amigo: Estas manivelas tinham ainda outra manha para com os desajeitados como eu, nas compitas a ver quem a fazia dar mais voltas. Safavam-se das mãos, como diz, e pregavam valente soco de inércia, se a esquiva não fosse rápida.
E tenho saudades pois. E, tal como disse MFBA, de ver as mulheres de rodilha e quartas (por lá dizemos quartas) à cabeça.
Abraço
De mfba a 16 de Novembro de 2006
É linda esta bomba de puxar água.
Sempre foram as mulheres a ir à água. Se calhar por ser em cântaros postos à cabeça, ajeitados em rodilhas(há séculos que não dizia esta palavra!) que se trazia a água.
Cumprimentos

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____