12 comentários:
De Bic Laranja a 18 de Novembro de 2006
Creio que fica a ilustração completa ,caro Je mantiendrai; esquecera-me do chiar da bomba. // O amigo de Cernache que me desculpe não o conseguir (para já) ajudar. Mas ficarei alerta. Estou certo que quem por aqui passa também. Grato pelas suas palavras. // Grazie, Scarlata. Saluti.
De Scarlata a 17 de Novembro de 2006
Rotundas num termo e noutro da aldeia? Pronto, agora sabemos onde gastam os fundos da CEE... olhá bela da rotunda!
Como sempre 'boas postas' - Right on! ;-)
De Cernache do Bonjardim a 17 de Novembro de 2006
Bom dia,
É com frequência que visito o seu blog que considero de excelente de qualidade.
Será que me pode indicar onde e com posso tentar obter fotos os postais antigos de Cernache do Bonjardim? Como autor do blog http://cernachedobonjardim.blogs.sapo.pt/ gostaria de lá publicar um pouco do nosso passado, coisa que não tem sido fácil.
Antecipadamente grato pela sua eventual ajuda.
De Je Maintiendrai a 17 de Novembro de 2006
Oásis de invocações sãs e formosas.
A bomba de água! Há anos que não me lembrava de uma igual que havia num jardim de meu Avô! E só quem em miúdo não se agarrou a uma dessas manivelas, é que não evoca a pega de tamanho desmesurado, o arranque do balanço , o ruído chiado, o tal "soco" da inércia, e o inevitável chapinhar a que obrigávamos as botas ou o coiro das sandálias de verão...
De Paulo Cunha Porto a 17 de Novembro de 2006
Meu Caro Bic Laranja:
E não será a Senhora fotografada da família do escritor? Lamento lançar esta sombra de difamação, mas há que considerar todas as hipóteses. Quanto à útil geringonça, faz-me lembrar uma cena de BD que entrou no meu imaginário infantil - os Dupontd a bombearem ar para o escafandro, na aventura de Tintim «O TESOURO DE RAKHAM O TERRÍVEL», em que a roda da manivela apresentava semelhanças.
Abraço.
De Bic Laranja a 16 de Novembro de 2006
Além de embaraçoso (no meu caso) era um exercício perigoso (no seu). Cuido que a sua esquiva o haja sempre safado, amigo Manuel. // E era esse o meu caso, D. Borboleta. // Cumpts. para ambos.
De Bic Laranja a 16 de Novembro de 2006
Pode vir sempre que lhe apeteça, D. Tibeu. Obrigado! // Fez muito bem em lembrar o seu belo verbete, amigo M. Gomes. Grato pela sugestão. // Há lá várias bem conservadas; tal como no Pombalinho, amiga MFBA. Cumpts.
De butterfly a 16 de Novembro de 2006
Sempre existiram aguadeiras e não aguadeiros!!! à falta de outras opções existiam as crianças!! Beijinhos
De Manuel a 16 de Novembro de 2006
Caro Amigo: Estas manivelas tinham ainda outra manha para com os desajeitados como eu, nas compitas a ver quem a fazia dar mais voltas. Safavam-se das mãos, como diz, e pregavam valente soco de inércia, se a esquiva não fosse rápida.
E tenho saudades pois. E, tal como disse MFBA, de ver as mulheres de rodilha e quartas (por lá dizemos quartas) à cabeça.
Abraço
De mfba a 16 de Novembro de 2006
É linda esta bomba de puxar água.
Sempre foram as mulheres a ir à água. Se calhar por ser em cântaros postos à cabeça, ajeitados em rodilhas(há séculos que não dizia esta palavra!) que se trazia a água.
Cumprimentos

Comentar