8 comentários:
De Bic Laranja a 19 de Outubro de 2006
Ele há muito afã, Dª Borbleta. Em atirar as culpas para os outros. Uma atitude que está a fazer escola em ministérios e secretarias de estado...
Tenho uns 'souvenirs' para si que levo à Srª Dª Fátima amanhã.
De butterfly a 19 de Outubro de 2006
Caro amigo, é triste a apatia que se faz sentir perante este e outros problemas. Reforço a minha ideia, apatia, sim, porque falam falam, mas n fazem nada :(´

Beijinhos e bons vôos!
De Bic Laranja a 18 de Outubro de 2006
Deve ter sido nessa reunião, caro Manuel, que delegaram na gente esta competência decisória. São as 'boas práticas' para atingir o... 'target'. // Só faltava mais essa, caro Paulo. Oxalá o verde fosse de musgo, que é sinal de humidade. Podia ser uma ajuda... // MFBA: cada vez mais cinzento; com cinzentões assim a governar. // Melhor elogio que o que me faz não pode haver, cara T. Seja bem-vinda e muitíssimo obrigado pelo seu generoso apreço. // Parece um negócio bem montado, não é, caro Tron? // Cumpts. a todos.
De tron a 17 de Outubro de 2006
OS vencedores dos incêndios: a mafia da lenha e da madeira barata, as firmas aeronátuicas que ganham por apagar fogos, as imobiliárias.
Os derrotados todos os restantes.
De T a 17 de Outubro de 2006
Fiquei maravilhada com o blog. Sobretudo com as histórias de Lisboa. E as fotografias!
Gostei mesmo MUITO!!!!
Parabéns. Apetece-me imprimir isto tudo e ler no sofá. Melhor elogio não me ocorre.
De mfba a 17 de Outubro de 2006
Fica tudo como dantes: cinzento!
De Paulo Cunha Porto a 17 de Outubro de 2006
Calma. Meu Caro Bic Laranja, ainda há os proprietários das matas para culpar, quando esquecida estiver a recusa de novas inscrições para beneficiar das ajudas que, segundo os (ir)responsáveis, AS PERMITIRIAM. O verde era do verdete que se acumulou nestas campanhas vistas e revistas. Abraço.
De Manuel a 17 de Outubro de 2006
Ao senhor da notícia, ouvi eu dizer que tinha finalmente percebido, depois de uma reunião, que um dos critérios para avaliar a eficácia de um "meio aéreo" era a relação entre a capacidade dos depósitos e o tempo total de reabastecimento e regresso ao teatro de operações. Dizia isto todo ufano. Com cabeças destas vamos longe...
Abraço e haja paciência, caro Amigo

Comentar