Domingo, 15 de Outubro de 2006

Picheleira abandonada

 Geografias de infância no velho bairro da Picheleira com personagens reais. No Bar do Justo.

Picheleira, Lisboa (A.Serôdio, 1965)
Bairro da Picheleira, Lisboa, 1965.
Armando Serôdio in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 21:59
Verbete | comentar
23 comentários:
De Jacira Tavares a 28 de Outubro de 2007
Olá, sou a Jacira Tavares e estudo na António Arroio, estou a fazer um trabalho sobre a Picheleira... Agradecia se me dessem mais informações.
De Bic Laranja a 19 de Outubro de 2006
Folgo que pense assim, caro Paulo. Julgo que os prédios que aqui vemos se mantêm. Só a taberna da esquina se converteu em café. // Não tens nada que agradecer, caro amigo. Estes ficaram bem no retrato, não foi?!... // Gratas recordações também por si, amiga Luar. Obrigado! // Por acaso estes sobrevivem, Dª Padeirinha, um pouco abaixo da rotunda das Olaias. Mas do que foi a Quinta das Olaias ainda hei-de arranjar algo para cá pôr. // Cumpts. a todos e obrigado pela visita.
De padeirinha a 17 de Outubro de 2006
Então era assim?...
Agora fizeram no largo das Olaias uns mamarrachos horrorosos!
De luar a 17 de Outubro de 2006
o zé dos frangos isso mesmo! era preciso descer com cuidado pois senão era cabeçada certa e que bem que se comia.
Que giro as lembranças que uma fotografia provoca, eu adora aquela loja. Fico feliz e sei que a minha mãe também ficaria por se lembrar dela.
De ZM a 17 de Outubro de 2006
Deixei que todos comentassem para depois te agradecer. Ele há realmente coisas que ficam muito bem a preto e branco.
Abraºo
De Paulo Cunha Porto a 17 de Outubro de 2006
Deliciosa a arquitectura, com alguns elementos mouriscos, o dia e a noite para o pós-modernismo arquitectónico de hoje, apesar de inspirações confessadas. E sem Metro! Abraço.
De Bic Laranja a 16 de Outubro de 2006
Gente cautelosa, nos 'prédios novos'. Esse era o nome dado à parte da 'Mira Fernandes'. A globalização ou a vaidade, não sei, amalgamou tudo com o pomposo nome Olaias. Modas! Obrigado Manuel, pela partilha do segredo. // Assim que li 'loja de brinquedos' lembrei-me logo da 'Lojinha da Avó'. O falar do bairro assimilou o nome da loja de sua mãe àquela esquina da Calçada da Picheleira. Foi ponto de encontro de muitos encontros: - Encontramo-nos às duas na Lojinha da Avó para irmos ao cinema! - dizia a malta. A ruazinha pequena ligava a Calçada à Mira Fernandes, os prédios novos que o Manuel fala. Ah! O autocarro era o 20; uma carripana de um só piso com pouquíssimos lugares sentados. Obrigado eu! // O restaurante do Javali julgo que era o Zé dos Frangos, Tron. Fica à entrada da Picheleira. Ou das olaias como agora se diz. Grato pela lembrança! // (Ufa! Ficou melhor que o verbete.) Cumpts. a todos
De tron a 16 de Outubro de 2006
bem próximo da picheleira, nas olaias ha restaurante do javali
De Rui França a 3 de Maio de 2009
Não é nas Olaias, é mesmo à entrada da Calçada da Picheleira.
De Bic Laranja a 3 de Maio de 2009
Mais abaixo. É à entrada para a Frei Fortunato. Cumpts.
De Rui França a 4 de Maio de 2009
Julgo que existe aqui um equivoco. Desde que que lembro que o dito restaurante onde se comia a dita carne de javali era no Zé dos Frangos, no cruzamento entre a Calçada da Picheleira e a Rua João Nascimento Costa. A Rua Frei Fortunato é a que mostra a figura acima. Esta fotografia foi a minha vista da janela do meu quarto durante 22 anos pois é nesse cruzamento com a Calçada que os meus pais ainda moram. Nesse café da esquina que aparece na figura, de à mais ou menos 20 anos para cá o café "O Pinheiro", antes era a mercearia do Sr. Chico que mais tarde comprou a loja em frente onde é hoje, e também já lá vão uns anos valentes, Uma casa de vinhos. Era junto a esta loja de vinhos, numa caixa que é um ponto de transformação de energia eléctrica , que a malta se juntava, ao início da noite para contar as aventuras desse dia.
De João Paulo Costa a 14 de Novembro de 2019
E ias ao Pinheiro pedir-me o carro emprestado
De Bic Laranja a 4 de Maio de 2009
Tem razão. Não me tinha apercebido que o seu comentário era resposta ao Tron. A sua descrição do local está, tanto quanto sei, correcta.
Cumpts.
De Luar a 16 de Outubro de 2006
A minha mãe teve ai uma loja de brinquedos ficava numa esquina. "A lojinha da Avó" bons tempos. eu ia no 15 (acho eu) que abanava e saltava do Areeiro até lá. No final da gravidez o médico proibiu-me pois achou que eram saltos a mais.
Um casal de velhotes sentava-se junto da montra a apanhar sol e a mãe arranjou 2 cadeiras para que ficassem mais confortáveis ela chamava-lhe a "Imperatriz" pois a velhota chamava-se Teodora.
Recordações, tenho tantas daquela loja...
Obrigada Bic...
De Manuel a 16 de Outubro de 2006
No final dos anos 70, havia uma senha para que ao "Quem é?" nos abrissem a porta de um certo prédio da Rua Professor Mira Fernandes (já de outra geração este prédio), a qual era: "É à Picheleira!".
Abraço

Comentar

Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
17
19
21
23
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____