23 comentários:
De Jacira Tavares a 28 de Outubro de 2007
Olá, sou a Jacira Tavares e estudo na António Arroio, estou a fazer um trabalho sobre a Picheleira... Agradecia se me dessem mais informações.
De Bic Laranja a 19 de Outubro de 2006
Folgo que pense assim, caro Paulo. Julgo que os prédios que aqui vemos se mantêm. Só a taberna da esquina se converteu em café. // Não tens nada que agradecer, caro amigo. Estes ficaram bem no retrato, não foi?!... // Gratas recordações também por si, amiga Luar. Obrigado! // Por acaso estes sobrevivem, Dª Padeirinha, um pouco abaixo da rotunda das Olaias. Mas do que foi a Quinta das Olaias ainda hei-de arranjar algo para cá pôr. // Cumpts. a todos e obrigado pela visita.
De padeirinha a 17 de Outubro de 2006
Então era assim?...
Agora fizeram no largo das Olaias uns mamarrachos horrorosos!
De luar a 17 de Outubro de 2006
o zé dos frangos isso mesmo! era preciso descer com cuidado pois senão era cabeçada certa e que bem que se comia.
Que giro as lembranças que uma fotografia provoca, eu adora aquela loja. Fico feliz e sei que a minha mãe também ficaria por se lembrar dela.
De ZM a 17 de Outubro de 2006
Deixei que todos comentassem para depois te agradecer. Ele há realmente coisas que ficam muito bem a preto e branco.
Abraºo
De Paulo Cunha Porto a 17 de Outubro de 2006
Deliciosa a arquitectura, com alguns elementos mouriscos, o dia e a noite para o pós-modernismo arquitectónico de hoje, apesar de inspirações confessadas. E sem Metro! Abraço.
De Bic Laranja a 16 de Outubro de 2006
Gente cautelosa, nos 'prédios novos'. Esse era o nome dado à parte da 'Mira Fernandes'. A globalização ou a vaidade, não sei, amalgamou tudo com o pomposo nome Olaias. Modas! Obrigado Manuel, pela partilha do segredo. // Assim que li 'loja de brinquedos' lembrei-me logo da 'Lojinha da Avó'. O falar do bairro assimilou o nome da loja de sua mãe àquela esquina da Calçada da Picheleira. Foi ponto de encontro de muitos encontros: - Encontramo-nos às duas na Lojinha da Avó para irmos ao cinema! - dizia a malta. A ruazinha pequena ligava a Calçada à Mira Fernandes, os prédios novos que o Manuel fala. Ah! O autocarro era o 20; uma carripana de um só piso com pouquíssimos lugares sentados. Obrigado eu! // O restaurante do Javali julgo que era o Zé dos Frangos, Tron. Fica à entrada da Picheleira. Ou das olaias como agora se diz. Grato pela lembrança! // (Ufa! Ficou melhor que o verbete.) Cumpts. a todos
De tron a 16 de Outubro de 2006
bem próximo da picheleira, nas olaias ha restaurante do javali
De Rui França a 3 de Maio de 2009
Não é nas Olaias, é mesmo à entrada da Calçada da Picheleira.
De Bic Laranja a 3 de Maio de 2009
Mais abaixo. É à entrada para a Frei Fortunato. Cumpts.
De Rui França a 4 de Maio de 2009
Julgo que existe aqui um equivoco. Desde que que lembro que o dito restaurante onde se comia a dita carne de javali era no Zé dos Frangos, no cruzamento entre a Calçada da Picheleira e a Rua João Nascimento Costa. A Rua Frei Fortunato é a que mostra a figura acima. Esta fotografia foi a minha vista da janela do meu quarto durante 22 anos pois é nesse cruzamento com a Calçada que os meus pais ainda moram. Nesse café da esquina que aparece na figura, de à mais ou menos 20 anos para cá o café "O Pinheiro", antes era a mercearia do Sr. Chico que mais tarde comprou a loja em frente onde é hoje, e também já lá vão uns anos valentes, Uma casa de vinhos. Era junto a esta loja de vinhos, numa caixa que é um ponto de transformação de energia eléctrica , que a malta se juntava, ao início da noite para contar as aventuras desse dia.
De João Paulo Costa a 14 de Novembro de 2019
E ias ao Pinheiro pedir-me o carro emprestado
De Bic Laranja a 4 de Maio de 2009
Tem razão. Não me tinha apercebido que o seu comentário era resposta ao Tron. A sua descrição do local está, tanto quanto sei, correcta.
Cumpts.
De Luar a 16 de Outubro de 2006
A minha mãe teve ai uma loja de brinquedos ficava numa esquina. "A lojinha da Avó" bons tempos. eu ia no 15 (acho eu) que abanava e saltava do Areeiro até lá. No final da gravidez o médico proibiu-me pois achou que eram saltos a mais.
Um casal de velhotes sentava-se junto da montra a apanhar sol e a mãe arranjou 2 cadeiras para que ficassem mais confortáveis ela chamava-lhe a "Imperatriz" pois a velhota chamava-se Teodora.
Recordações, tenho tantas daquela loja...
Obrigada Bic...
De Manuel a 16 de Outubro de 2006
No final dos anos 70, havia uma senha para que ao "Quem é?" nos abrissem a porta de um certo prédio da Rua Professor Mira Fernandes (já de outra geração este prédio), a qual era: "É à Picheleira!".
Abraço

Comentar