10 comentários:
De Bic Laranja a 19 de Janeiro de 2008
Isso! Isso! E o trolley que também virava no término? Mai-los bancos dos passageiros. E as janelas que se abriam por inteiro, ora para cima, ora descendo, deixando apanhar o vento fresco? E as cortinas de lona para qubrar o sol...? Plim Plim! :)
De Je Maintiendrai a 19 de Janeiro de 2008
Não era bem um pé-de-cabra, era uma espécie de cunha, em feitio de ponta de chave de parafuso... E as maletas de coiro brilhante para o dinheiro? e o cordão também de coiro puído para a campaínhada da paragem? E a mudança da peça metálica do timão, quando o eléctrico chegava ao fim da linha e havia de mudar de sentido?
De Bic Laranja a 19 de Janeiro de 2008
JRD: Faz sentido. // Obrigado mais uma vez, caro confrade! // Cumpts.
De Je Maintiendrai a 18 de Janeiro de 2008
O fantástico! era meu e é extensível aos posts de arriba!
De jrd a 18 de Janeiro de 2008
Era muito novinho e se calhar estou a misturar as memórias, mas penso que o agulheiro era simultâneamente o homem das raquetas.
De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2008
JRD: Agulheiros? tenho uma vaga ideia. Tenho mais viva a memória do guarda-freio descer com o pé-de-cabra para mudar a agulha. // Anónimo: Obrigado! // Cumpts.
De [s.n.] a 17 de Janeiro de 2008
Fantástico!
De jrd a 17 de Janeiro de 2008
De repente recuo à infância e parece que estou a ver o "Senhor da bengala de ferro", como chamava ao agulheiro, que já nessa altura estava em fim de carreira.
Belas memórias.
Cumprimentos
De Bic Laranja a 17 de Janeiro de 2008
Eh! Eh! Um condutor veterano. Imagino que não fosse fácil, sem as comodidades que agora há. Cumpts.
De Santos Passos a 17 de Janeiro de 2008
Não contes a ninguém, mas aprendi a dirigir automóvel num parecido àquele ali à direita da primeira foto. Abração.

Comentar