6 comentários:
De Bic Laranja a 24 de Março de 2006
A. Cunha: obrigado pela visita. Volte sempre, cumpts. // Mocho: há um super, há, lá ao cimo da rua (2004). Cumpts. :) // Paulo: só pode ser da estação do ano. A traseira do laboratório confina com a Quinta da Falagueira, cujo muro e entrada entrada se vê rua acima. A quinta estende-se até, creio, à Brandoa; se se recorda foi vendida no consulado do dr. Durão Barroso a um amigo ou conhecido dele. De vez em quando nota-se ali o cheiro da vacaria. Cumpts.
De Paulo Cunha Porto a 24 de Março de 2006
Oh, Caro Bic Laranja: a árvore desprovida de folhas da fotografia de cima pode ser mera consequência outonal. Mas dado o estabelecimento das proximidades, pode bem ser dada como a ilustração de um desastre motivado por libertação de gases, ou qualquer outro percalço químico: o depois e o antes. Mas belas, as fotos.
Abraço.
De mocho a 24 de Março de 2006
Perto destes laboratórios mas no sentido contrário não existe agora um Pingo Doce ou qualquer coisa do género? Parece-me que reconheço isto (até que enfim, senão um dia ainda me alcunham da "estrangeira") PIU!
De A. Cunha a 24 de Março de 2006
Passei por aqui toda a minha vida até depois dos 50. Que nostalgia ao ver estas imagens!
Cpts.
De Bic Laranja a 23 de Março de 2006
Sabia que a garagem do Chora (a alcunha de Eduardo Jorge) era aqui. Mas nunca a vi. Só conheci este lugar em fim dos anos 80. Cumpts.
De Manuel a 23 de Março de 2006
A ver se não duplico o comentário.
Mas a verdade é que me lembro desta estrada nesta época. Passava por aqui muitas vezes, de carro ou de Eduardo Jorge, cuja garagem era mais ou menos por aqui de onde foi tirada a segunda foto. Mais uma vez lhe agradeço a gentileza. Ah, e sim, acho que arremedo um pouco Arnaldo Madureira. Só agora, e por seu intermédio, conheci as fotografias dele.
Um abraço

Comentar