Domingo, 19 de Março de 2006

Dormência

Há vezes em que fujo ao Mundo e o Mundo forma-se estranho cá na ideia...
O «Wall» tem muita carga orwelliana. Mas as ligações de ideias na mente são muitas vezes estranhas: no «Wall» sinto um mundo dormente, tremendo de fricção latente, pesadelo industrial pós-holocausto sem holocausto. Estranhamente surgem-me em paralelo memórias de excursões escolares em maios mais soalheiros: país afora aos doze anos, com a cambada da escola numa espécie de fuga e descoberta de novas vivências, de cenários novos. Talvez a ligação advenha do «teacher leave the kids alone» que se atirava aos professores.
  Luminosas recordações da infância ligadas ao sombrio muro...
Ao final, a criança está crescida, o sonho foi-se.
Tornei-me acomodadamente dormente.

 


Pink Floyd – Comfortably Numb
(Gilmour/Waters)

Hello?
Is there anybody in there?
Just nod if you can hear me.
Is there anyone at home?
Come on, now,
I hear you're feeling down.
Well I can ease your pain
Get you on your feet again.
Relax.
I'll need some information first.
Just the basic facts.
Can you show me where it hurts?

There is no pain you are receding
A distant ship, smoke on the horizon.
You are only coming through in waves.
Your lips move but I can't hear what you're saying.
When I was a child I had a fever
My hands felt just like two balloons.
Now I've got that feeling once again
I can't explain you would not understand
This is not how I am.
I have become comfortably numb.

O.K.
Just a little pinprick.
There'll be no more aaaaaaaaah!
But you may feel a little sick.
Can you stand up?
I do believe it's working, good.
That'll keep you going through the show
Come on it's time to go.

There is no pain you are receding
A distant ship, smoke on the horizon.
You are only coming through in waves.
Your lips move but I can't hear what you're saying.
When I was a childI caught a fleeting glimpse
Out of the corner of my eye.
I turned to look but it was gone
I cannot put my finger on it now
The child is grown,The dream is gone.
I have become comfortably numb.


The Wall
(Capitol -1979)

Escrito com Bic Laranja às 13:55
Verbete | comentar
9 comentários:
De Bic Laranja a 27 de Março de 2006
Compreendo a sua preocupação. Cumpts.
De tron a 26 de Março de 2006
Não queremos ser mais um tijolo na muralha da ditadura socialista ou na nojice feita pela tv cabo juntamente com a IURD le no meu blog os detalhes e passa palavra
De Bic Laranja a 24 de Março de 2006
Sinto o impulso para a fuga ao ouvir... Aliás, foi isso que motivou este artigo. Mas não sei se entendo bem toda a letra. Cumpts.
De riacho a 23 de Março de 2006
Infelizmente, a tal 'numbness' que nos é descrita no som, tem uma origem que induz ao erro. Mas o som é de facto lindo. Impulsiona a fuga. Abraço Bic.
De Bic Laranja a 20 de Março de 2006
E no entanto há aquela prazenteira recordação dos passeios escolares... (talvez o Paulo tenha razão). Tendes todos razão! Obrigado e cumpts.
De Bic Laranja a 20 de Março de 2006
Acho que este artigo foi desinspirado; se por mandriice se por dormência não sei. Mas ouvir o «Wall» não ajuda, apesar de ser uma boa obra. Cumpts.
De Paulo Cunha Porto: a 20 de Março de 2006
Meu Caro Bic Laranja:
Por uma vez tenho de discordar do Autor do Blogo: não de encontra "dormência" alguma em quem tanta atenção presta ao nosso Presente e ao nosso Passado, tão bem a expressando. Quanto à que se extrai de «THE WALL», tanto como as irradiações do mundo da época, talvez contribua para a caracterização a névoa do relembrar em que, um pouco, perdemos e nos perdemos.
Forte abraço.
De Aragana a 20 de Março de 2006
Eu fico dormente muitas vezes.. fico surda e muda... e passo-me para outra dimensão...
De Lipa Xana a 19 de Março de 2006
Por vezes apetece ficar dormente.. talvez assim os problemas, as coisas chatas não se lembrem de nós...

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____