9 comentários:
De Bic Laranja a 27 de Março de 2006
Compreendo a sua preocupação. Cumpts.
De tron a 26 de Março de 2006
Não queremos ser mais um tijolo na muralha da ditadura socialista ou na nojice feita pela tv cabo juntamente com a IURD le no meu blog os detalhes e passa palavra
De Bic Laranja a 24 de Março de 2006
Sinto o impulso para a fuga ao ouvir... Aliás, foi isso que motivou este artigo. Mas não sei se entendo bem toda a letra. Cumpts.
De riacho a 23 de Março de 2006
Infelizmente, a tal 'numbness' que nos é descrita no som, tem uma origem que induz ao erro. Mas o som é de facto lindo. Impulsiona a fuga. Abraço Bic.
De Bic Laranja a 20 de Março de 2006
E no entanto há aquela prazenteira recordação dos passeios escolares... (talvez o Paulo tenha razão). Tendes todos razão! Obrigado e cumpts.
De Bic Laranja a 20 de Março de 2006
Acho que este artigo foi desinspirado; se por mandriice se por dormência não sei. Mas ouvir o «Wall» não ajuda, apesar de ser uma boa obra. Cumpts.
De Paulo Cunha Porto: a 20 de Março de 2006
Meu Caro Bic Laranja:
Por uma vez tenho de discordar do Autor do Blogo: não de encontra "dormência" alguma em quem tanta atenção presta ao nosso Presente e ao nosso Passado, tão bem a expressando. Quanto à que se extrai de «THE WALL», tanto como as irradiações do mundo da época, talvez contribua para a caracterização a névoa do relembrar em que, um pouco, perdemos e nos perdemos.
Forte abraço.
De Aragana a 20 de Março de 2006
Eu fico dormente muitas vezes.. fico surda e muda... e passo-me para outra dimensão...
De Lipa Xana a 19 de Março de 2006
Por vezes apetece ficar dormente.. talvez assim os problemas, as coisas chatas não se lembrem de nós...

Comentar