Sexta-feira, 6 de Janeiro de 2006

O lugar de Sete Rios com mais alma

 Tenho pregado na parede aqui do blogo algumas imagens antigas de lugares de Lisboa; aponho-lhes às vezes breve nótula e pouco mais. Vale-me que vão comentando os benévolos leitores, o que melhor compõe as coisas.
 O que publiquei n' O lugar de Sete Rios recebeu este emocionante comentário duma amável leitora:

  Não me lembro de si mas lembro-me muito bem de Sete Rios e ao ver estas fotografias a comoção é enorme.
  Fui um dos primeiros nascimentos da maternidade Alfredo da Costa e um dos primeiros baptismos na Igreja de Fátima até onde íamos a pé, pela mão de nossa Avó, aos Domingos, ouvir a missa. Quando não íamos a Fátima íamos à capela dos Condes de Caria ou à Quinta das Mil Flores dos Carvalho. Pela manhã juntávamo-nos no cruzamento da rua de Campolide com a rua de Carnide e com a parte velha da estrada de Benfica esperando as camionetas dos respectivos colégios. Entre a criançada estava José Carlos Ary dos Santos e irmãs que vinham de Carnide e declamava. Às vezes era a mãe dele que nos ía buscar para juntos irmos ouvir a missa.
  Ali vivemos até nos terem demolido e a câmara nos ter dado tuta e meia pelas casas e terrenos. A casa dos meus trisavós beijava a linha do combóio, foi vendida posteriormente a Caeiro da Mata e nós vivíamos naquelas casas que as árvores escondem. No prédio da direita viviam os Burnay gémeos e por baixo um parente nosso da família do conde de Farrobo. Um irmão da minha mãe morreu ali à porta de casa. Trucidado por um eléctrico que esmagou o seu
side-car quando vinha duma festa no palácio dos marqueses da Fronteira. O palácio dos Fronteira já era em Benfica. A minha avó tinha como inquilino um tal advogado Palma Carlos e a firma Pardal Monteiro para onde me escapava pois adorava talhar a pedra.
  Que Saudades!!!
  Saí dali com 11 anos, não posso esquecer o enorme jardim onde demos nomes a cada rua e onde andávamos de bicicleta, jogávamos
volley, tínhamos horta e estrumeira, e enchíamos de amigos e primos todos os fins-de-semana. Na rua de Campolide morava o nosso médico, o dr. França e os Paraty, irmãos da D. Teresa de Noronha que visitava a minha avó. Mais adiante na estrada de Benfica morava a Srª. D. Ângela Calheiros, amigos da minha família que visitávamos com certa assiduidade, tinham um jardim lindo. Parece ter sido uma repartição da polícia e agora em ruínas.
  Muitas histórias e muitas recordações o sr. me veio acordar. Hoje já com uma dúzia de netos estranho a emoção que estas fotografias me proporcionaram e me fez correr Sete Rios pelos olhos. Obrigada!!! Nem sei como o seu blog me apareceu na frente... É tudo tão estranho... Eu nem procurava Sete Rios... A vida tem coisas...
  Tudo de Bom para si e seus familiares no Novo Ano de 2006.

(Escrito por Verdade, em 3 de Janeiro de 2006, 05:55 PM.)

Sete Rios, Lisboa (J.Benoliel, 195...)
Estrada de Benfica, viaduto de Sete Rios, Lisboa, 195...

Sete Rios, Lisboa (J.Benoliel, 195...)
[Troço da Estrada de Campolide junto ao viaduto de Sete Rios], Lisboa, 195...

Rua Campolide, Lisboa (J.Benoliel, 195..)
Avenida Columbano Bordalo Pinheiro em construção, Lisboa, 195...


Nota: ainda outra imagem do cruzamento da Estrada de Campolide com a de Benfica n' O Caneiro.
Fotos: Judah Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 07:05
Verbete | comentar
12 comentários:
De Bic Laranja a 2 de Junho de 2006
Grato por saber. Cumpts. e obrigado!
De Gomezzz a 1 de Junho de 2006
E assim de repente, quando leio o comentário da senhora, lembro-me do meu avô, e das saudades que tenho dele... Foi guarda-nocturno por São Domingos de Benfica, Sete-Rios e Campolide........

Um beijo avô...
De Bic Laranja a 1 de Fevereiro de 2006
Minha senhora:
Sou eu que lhe agradeço o seu amável comentário. Respeitosos cumprimentos.
De Angela Calheiros a 1 de Fevereiro de 2006
Encontrei o blog por acaso e também eu devo dizer que a vida tem por vezes estranhas coincidências... O comentário é magnífico e pessoalmente muito comovente. Permitiu-me viajar de até à minha Avó da qual guardo o nome (Ângela Calheiros) mas que infelizmente não cheguei a conhecer, ao ambiente da época e à casa de Sete Rios de onde desde sempre ouvi relatos de pedaços de vida por lá passados... Obrigada pela agradável surpresa!
AC
De Bic Laranja a 8 de Janeiro de 2006
É o tempo, é... Cumpts.
De Insolente a 8 de Janeiro de 2006
fantasticas fotos que tu arranjas pá... as mais antigas pelo menos... é o tempo a passar que transforma lisboa... ora entao um grande bem haja
De Bic Laranja a 7 de Janeiro de 2006
Também achei o comentário excepcional, Dª Mocho, não desfazendo doutros que recebo! Sobre a Vilamoura hei-de procurar. - Sete Rios mostra que as quintas e as belas casas de outrora estão proibidas na cidade: especulação imobiliária mascarada de progresso! Eis com se não reconhece o lugar, caro Paulo. Cumpts. a ambos.
De Paulo Cunha Porto a 7 de Janeiro de 2006
Notável lembrança. Sete Rios tem mudado tanto que, mesmo desde os meus tempos de Faculdade, já só o Zoo o faz reconhecível.
Parabéns.
De Mocho a 7 de Janeiro de 2006
É de facto um testemunho magnífico aquele que a bloguista viveu, escreveu e tão bem soube explorar. A junção das tuas fotos a este texto deu um "casamento excepcional", passo a expressão. Fica bem, Bic. P.S. - Não arranjas fotografias antigas do Algarve, nomeadamente de Vilamoura (que não é antiga mas teve um início de vida como todas as outras?)
De Bic Laranja a 6 de Janeiro de 2006
É de uma grande generosidade o que me diz. Muito obrigado pela sua gentileza! Cumpts.

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____