Domingo, 16 de Novembro de 2008

Perfumaria da Moda

De Santa Catarina ao Grandella. Do Grandella a Santa Catarina.
Com paragem na Perfumaria da Moda.
 


Leonor Maia e Ribeirinho, O Pai Tirano, 1941. 

Escrito com Bic Laranja às 20:41
Verbete | comentar | comentários (8)

Tatão

Perfumaria da Moda, Rua do Carmo 5-7 (M. Novais, post 1943)
Parfumaria da Moda, Rua do Carmo, 5-7,  [post 1943].
Fotografia: Estúdio de Mário de Novaes (1933-1983), in
Biblioteca de Arte da F.C.G.

Escrito com Bic Laranja às 13:59
Verbete | comentar | comentários (12)
Sábado, 15 de Novembro de 2008

O eléctrico 1

 E um senhor à procura de táxi....?
 E um padeiro com a cesta às costas. É de manhã, mas não vai alta que as sombras são longas. Fazia-se era tarde para o senhor à procura de táxi.
 E o gasolineiro que pousa a bomba. Ia lá eu imaginar uma bomba de gasolina naquele sítio.
 E uma costureira aqui apressada, será? - Costureira, quero dizer.
 E o cartaz do Valentão das Dúzias, no Éden, atira-me um ano para a fotografia:1948; mais o tempo que demorou a cá chegar...
 O eléctrico 1 era o de Benfica.

Restauradores, Lisboa (M. Novais, post 1937)
Restauradores, Lisboa,  [post 1948].
Fotografia: Estúdio de Mário de Novaes (1933-1983), in
Biblioteca de Arte da F.C.G.

Escrito com Bic Laranja às 23:04
Verbete | comentar | comentários (6)
Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

E.N. 6

 Estrada Marginal, Santo Amaro (M. Novais, post 1937)
Estrada Marginal, Santo Amaro,  [c.1950 post. 1937].
Fotografia: Estúdio de Mário de Novaes (1933-1983), in
Biblioteca de Arte da F.C.G.


Adenda: a datação inicial da fotografia pareceu-me agora demasiado grosseira. Atendendo às matrículas julgo que posso recuar a data da fotografia para os anos 30. A matrícula do carro à direita decorre do Código de 1911, que foi mudado em Novembro de 1936 para o esquema que todos conhecemos de duas letras, dois números, dois números (cf. História das matrículas). Não sei quanto tempo levou a converter todas as matrículas das séries de 1911 mas cuido que para aquele carro ainda a ostentar se estaria muito provavelmente em fins de 36 ou início de 37. As roupas dos transeuntes (especialmente da senhora) indiciam tempo frio: arrisco o Inverno de 36/37, princípio da Primavera, talvez. Ou, dilatando mais, pode ser admissível o fim do ano de 37. As restantes matrículas podem corroborar o ano de 1937: o carro à esquerda foi matriculado em 1935-36 e vê-se já rematriculado; ostenta uma série de letras reservada à D.G.V. de Lisboa para converter as antigas matrículas; os restantes dois carros ostentam matrículas de 1937-38 (a 1ª série de números, neste caso o 10, marca os anos).
 Todo este arrazoado pode apenas definir, bem sei, um limite a quo e não invalida por si só que a fotografia seja mais recente. Sucede que a matrícula do N-15689, na pendência de ser mudada, não permite uma margem de datação muito alargada. Mas não descarto absurdos. A chave está na demora da D.G.V. do Porto ou algo que a valha, em rematricular aquele carro. Uma coisa é certa: não tendo demorado até 1945, o título deste verbete torna-se anacrónico.

Escrito com Bic Laranja às 21:21
Verbete | comentar | comentários (11)
Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Agora tem diabetes

 Duas semanas e meia sem publicidade havia de dar nisto: o Saldanha tem diabetes. Unidos pela diabetes - parece-
-me que é o que dizem as bandeirinhas lá plantadas agora.


Praça Duque de Saldanha e Av. da República, Lisboa, 1968.
João Brito Geraldes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 14:14
Verbete | comentar | comentários (8)
Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

O simplex da administração rodoviária


 De início não soube muito bem o que pensar desta missiva.
 O sr. presidente do conselho directivo da D.R.M.T.L.V.T., Crisóstomo Teixeira, não aparenta ter grandes maneiras. Dirige-se-me numa gritaria (as maiúsculas são o quê?) despropositada, e aquele modo imperativo na última frase que significa?!...
 Se este oficial da administração rodoviária acha necessário berrar-me com mau modo para eu cumprir o Código, porque arrisca ele enviar-me a carta de condução?

Escrito com Bic Laranja às 18:26
Verbete | comentar | comentários (31)
Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

Novo postigo da Rua da Palma e a torre da Péla

Martim Moniz, Lisboa, 2008

Quando aqui me referi à abertura da Rua Nova da Palma assinalei onde passava a cerca fernandina. Àqueles que tenham curiosidade por estas memórias do que foi e do que é cá deixo agora a recriação esboçada com supina arte e design. Não é bem a muralha, é antes um supônhamos. Ali onde esvoaça a bandeira da C.E.E. é outro supônhamos:da porta ou postigo da Rua da Palma original (hoje desviada para o eixo da Rua do Socorro); o artista que reconstruiu o troço da cerca há talvez de ter sacado algum da caixa da comunidade, que lá nisto de arte moderna sempre são (cuido eu) os senhores alcaides mui benfazejos...
 Mas apreciai a torre ali adiante atrás duma grua, entre os novos edifícios da E.P.U.L. que se alevantam. É a torre do jogo da péla - porque havia ali há muitos séculos umas casas do jogo da péla que passaram o nome ao lugar: à calçada debaixo do plástico preto das obras; e à torre. - É genuína, do séc. XIV, a torre.

Escrito com Bic Laranja às 13:00
Verbete | comentar | comentários (13)

Calçada do Jogo da Péla

 Ao fundo um dos primeiros pavilhões de lojas do Martim Moniz, no lugar do quarteirão demolido onde estava desde o séc. XVII o palácio do Marquês do Alegrete. O Salão Lisboa é a casa mais adiante no sopé do monte do Castelo.

Calçada do Jogo da Péla, Lisboa (J.Benoliel, 195-)
Calçada do Jogo da Péla, Lisboa, 195...
Judah Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 12:59
Verbete | comentar | comentários (4)
Domingo, 9 de Novembro de 2008

Da Rua da Adiça...

Parece que boletim meteorológico estava errado.

Igreja de Santo Estêvão, Alfama, 2008

Rua Norberto de Araújo (Rua da Adiça), Alfama, 2008.

Escrito com Bic Laranja às 12:18
Verbete | comentar | comentários (8)

Automatizada

Cobrança pelo motorista guarda-freio.

Largo das Portas do Sol, Lisboa (c) 2008
Largo das Portas do Sol, Lisboa, 2008.

Escrito com Bic Laranja às 11:27
Verbete | comentar | comentários (3)
Sábado, 8 de Novembro de 2008

Eles amanhã acho que dão chuva

Escrito com Bic Laranja às 16:00
Verbete | comentar | comentários (11)
Domingo, 2 de Novembro de 2008

Postal do Saldanha

 Passei hoje e vi a Praça Duque de Saldanha desafrontada da ignóbil publicidade à Audi que a C.M.L. lá deixou pôr.
 Considerando o que se deu depois da última desafronta, desta vez será por quanto tempo...?



Fotografia de António Passaporte, in Arquivo Fotográdfico da C.M.L..

 

Escrito com Bic Laranja às 21:00
Verbete | comentar | comentários (14)

A cerca da casa da avó Bama?!

 Esta R.T.P. é um fartote. Vi há pedaço um mamífero a que chamam jornalista plantado na selva ao pé duma cerca que parece que é da casa da avó Bama. Dizia que estava vedada e que a sua espécie não se podia aproximar.
 Quem andará a financiar este jornalismo?!...
 (Talvez seja melhor ficar por aqui...)

Escrito com Bic Laranja às 20:50
Verbete | comentar | comentários (4)

Vítor Gonçalves, R.T.P., em Richmond na Virgínia

 Um dos repórteres Especial América 2008 foi entrevistar o primeiro governador negro dum Estado norte-americano. Um marco [para o futuro], no entender do repórter. Um marco é a raça dum candidato a eleições nos E.U.A. ser mais conveniente? Vede lá o alarido politicamente correcto gerado por um dos candidatos [agora] ser mulato. A raça certa continua a existir, parece é que varia. Cuido que quando variar ou não, e já se não ouvir ruído em função da raça mais correcta, então sim, será um marco.
 Entretanto racista será ferrete para mim porque usei a palavra mulato. É o que indicam as sondagens.

(Revisto às 6h00 da tarde.)

Escrito com Bic Laranja às 13:38
Verbete | comentar | comentários (4)

Prefira os produtos d' O Bama

 No supermercado das notícias parece que a marca de produtos d' O Bama é um êxito mundial, equiparável à Coca-
-Cola e ao McDonalds. Dizem-me os noticieiros de bairro que é a marca que mais se vende, inclusive em África, onde é baixo (em geral) o poder de compra. Os produtos brancos - parece, mas há menos informação - andam muito mal de vendas, mesmo apesar da crise. A menos que esteja a acontecer dumping da marca d' O Bama por esses mercados...

 No entanto há artigos gourmet que apenas se encontram em certas lojas de conveniência...

Escrito com Bic Laranja às 12:24
Verbete | comentar | comentários (2)

Bruno Jesus e Márcia Rodrigues, R.T.P., Oeste selvagem

 No liceu, a malta mais dada à folgança que ao estudo encarregava-se de sempre organizar umas excursões de veraneio. Convinha, para sustentar a coisa, incluir uns professores e chamar-lhe muito institucionalmente 'visita de estudo'. E lá se faziam os passeios, quotizando-se todos, incluindo a conta gorjeta para o chauffeur.
 Pois ele há agora umas reportagens parecidas em que, quotizando-se todos, vão uns repórteres daqui ao Oeste selvagem para nos dizer que os gentios da América do Norte botarão todos voto pelo pajé. Parece-me natural, mas fica-me a dúvida: se fossem os gentios (todos) pelo homem branco, iriam daqui lá fazer excursão reportagem?

Escrito com Bic Laranja às 11:58
Verbete | comentar | comentários (2)
Sábado, 1 de Novembro de 2008

Travessa da Palha (Rua dos Correeiros)

 Não posso nem quero andar para diante sem te dar duas brevíssimas notícias retrospectivas, sabidas «por tôda a gente que sabe», o que não quere dizer que - como tantas que darei - elas estejam na tua memória e eu esteja no meu direito de as omitir.

 Neste troço da Rua de Santa Justa, entre as Ruas dos Correeiros (vulgo Travessa da Palha) e a Rua da Prata, passava antes de 1755 em terminus a formosa Rua das Arcas, o Largo da Palha, do qual nascia a Rua da Palha que ia desembocar na Rua da Betesga, velha. A Rua dos Correeiros, que foi destinada aos ofícios dos seleiros - ainda hoje [1939] subsistentes - e que se chamou também Correaria Nova, e Nova dos Correeiros, deve a sua designação oral, sobrevivente, à vizinhança com o Largo e Praça da Palha.

Norberto de Araújo, Peregrinações em Lisboa, livro XII, 2ª ed., Vega, 1991, p.42.

 

Colocação de tapumes na praça da Figueira, Lisboa (J. C. Alvarez, 1949)
Colocação de tapumes na Praça da Figueira; ao fundo a Rua dos Correeiros, Lisboa, 1949.
J. C. Alvarez, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..


 Antes de 1755 a Rua da Palha desembocava naquela esquina que vedes ao fundo (cruzamento da Rua da Betesga com a dos Correeiros). Nasceria essa Rua da Palha por alturas do nº 43 da Rua de Santa Justa, entre as actuais Rua dos Correeiros e Rua da Prata. Seriam por aí o Largo e a Travessa da Palha.
 O fado Foi na Travessa da Palha, de 1958, cantado originalmente pela Lucília do Carmo (letra de Gabriel de Oliveira, música de Frederico de Brito), diz-me que a memória oral se mantinha nesse tempo. Mas a voragem destas coisas, dos anos 60 para cá tem sido grande. Não sei se a velha designação oral da Rua dos Correeiros perdura além do fado, mas afoito-me a pensar que não. Eu não a conhecia (mas todavia que sei eu...).
 O fado menciona a taberna dum certo Friagem, que as Páginas Amarelas dão como Adega Restaurante, precisamente na Rua dos Correeiros, ou, como já vimos, na Travessa da Palha. Nunca lá comi.
 Tudo isto a propósito dum comentário que o leitor italiano Roberto simpaticamente me deixou na Abertura da Rua Nova da Palma.

 Rua dos Correeiros, Lisboa (J. Benoliel, início do séc. XX.)
Rua dos Correeiros, Lisboa, início do séc. XX.
Joshua Benoliel, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Adenda (13h37): só agora me dou conta - ampliando a fotografia - que os dizeres naquela tabuleta pendurada mais adiante na rua, do lado direito, dizem quase de certeza Adega Friagem. Sendo que estamos à porta do nº 151 e voltados para a Praça da Figueira, a tabuleta coincide com a morada das Páginas Amarelas: o nº 170. É extraordinário!

Escrito com Bic Laranja às 12:56
Verbete | comentar | comentários (13)

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____