Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

Imagem raríssima do «galheteiro» do Rossio

 O famoso «galheteiro» do Rossio, que não teve sequência como monumento, dá-a agora melhor a um verbete falhado...

Lisboa, 1858~(Amédée Lemaire de Ternante)
Albumina de Amédée Lemaire de Ternante. Lisboa, 1858.
Colecção Alcídia e Luís Viegas Belchior, © CPF ANTT/MC.
(Via
Lisbon Revisited e Associação Portuguesa de Photographia.)

Escrito com Bic Laranja às 23:31
Verbete | comentar | comentários (9)

Universidade Light

"Escolhe já o teu adjectivo e habilita-te a uma licenciatura!" - Marketing Lusófono (c) 2008

Licenciaturas com 0% de calorias.

Escrito com Bic Laranja às 00:01
Verbete | comentar | comentários (8)
Terça-feira, 19 de Maio de 2009

História do desenvolvimento de um país

Bilhete de Identidade ( mod. nº 2-A.I. - Instituto de Reeducação Padre. António de Oliveira - CAXIAS)Do meu estimado amigo Fernando C. recebi o seguinte relato que merece aqui pública forma:


O B. I. da menina está a caducar. Renová-lo, não, isso é coisa de outro tempo! Vai ser premiada com o Cartão do Cidadão.
Onde se obtém? No Registo Civil.
Os "crescidos" vão lá... um dos "crescidos" já tinha perdido um dia de trabalho!

- Só damos 28 senhas por dia... (risos). Tente a Loja do Cidadão... 
Feito, lá era... pior...
- Solução?
- Vir cedinho... 
- Abrem às 09h00? 
- Sim, mas tem de vir muuuuito antes!
Estou lá às 07h30, serei dos primeiros...

18 pessoas, as primeiras desde as 05h00, na rua! Esperam "os crescidos" na rua de um país cujas coordenadas serão tropicais...

08h30; surge uma trabalhadora!
- Entrem para aqui (um vão antecedendo a entrada), MAS NÃO FALEM.
Os "utentes" (termo zoológico para cidadãos) acatam.

09h05, a tão almejada senha!
- Queira dizer-me, a menina está na escola, quando devo trazê-la?
- Não sei, vá telefonando!

Uma hora e meia depois:
- Já atendemos três...

No Outono votaremos todos por um Cartão do Cidadão, não tanto do "utente"...

É só um desabafo
do Fernando C.

P. S.: Daqui por um mês estará pronto...

Escrito com Bic Laranja às 00:05
Verbete | comentar | comentários (12)
Segunda-feira, 18 de Maio de 2009

Novíssimas oportunidades

 O caixoteiro da J.P. Sá Couto arranjou um part-time. Trabalha agora ao fim de semana promovendo o nicho de mercado das universidades light. Foi uma novíssima oportunidade que lhe surgiu porque - nem de propósito - o Ministério da Educação calhou mandar abrir uma escola ao domingo para certificação solene de cristãos-novos.

Margarina do Chefe (anúncio dos anos 50; CMC)

Escrito com Bic Laranja às 18:55
Verbete | comentar

Novas oportunidades

Alheiras (Cozinha com Alma, no blogspot)

 No início do seu reinado ordenou el-rei D. Manuel I que juntassem quantos judeus se pudesse no Terreiro do Paço, em Lisboa, e que se lhes deitasse uns baldes de água benta por cima para baptizá-los a todos com o 12.º ano. Com as novas qualificações obtidas, os cristãos-novos abriram uma manufactura de alheiras.

 (Imagem da Cozinha com Alma.)

Escrito com Bic Laranja às 18:07
Verbete | comentar | comentários (6)
Domingo, 17 de Maio de 2009

Farol de Eddystone

« Durante a construção, em 1697, ficou célebre a história do ataque ao estaleiro das obras por um corsário que capturou Winstanley [que o estava a construir] e o entregou aos franceses, então em guerra com a Inglaterra. Ao saber do incidente, furioso, Louis XIV prontamente o devolveu ao outro lado do canal, clamando que a sua guerra era com a Inglaterra, não com a humanidade.»

In Funes, el Memorioso, Faróis de Domingo; Eddystone Lighthouse.

Farol de Eddystone, Plymouth, 1759
Farol de Eddystone, elevação sul
In Smeaton, John (1724-1792),
A Narrative of the building and a description of the construction of the Eddystone Lighthouse
 with stone
. London: Printed for the author by H. Hughs, 1791.

 

Escrito com Bic Laranja às 22:29
Verbete | comentar | comentários (2)

Notícas do jardim

Anémonas num vaso (c) 2009

Ou melhor, da varanda.

Escrito com Bic Laranja às 14:01
Verbete | comentar | comentários (8)
Sábado, 16 de Maio de 2009

Orchestral Manoeuvres In The Dark (*)


Orchestral Manoeuvres In The Dark - Electricity
(1979)

(*) Verbete liricamente sustentável...

Escrito com Bic Laranja às 14:24
Verbete | comentar | comentários (2)

Souvenir

 Acordei esta manhã embalado por um eco longínquo — a senhora ligara a telefonia enquanto as torradas não saltavam. Devo ter levado um instante naquela vaga noção — vós sabeis — donde estava e qual cantiga era aquela.
 — Ah! pois era... era o Souvenir.
 Veio-me que o estranho nome dos Orchestral Manouvers in the Dark me tinha despertado a curiosidade, há muitos anos, quando pela primeira vez ouvi deles, precisamente porque fazia sentido com a primeira canção que editaram: Electricity.
 Je me souviens...
desse tempo, de ter comentado isso da minha janela para o Pedro, que costumava estar no quintal da avó: — Aqueles fizeram uma cantiga sobre electricidade porque andavam às escuras.
 Hoje, com tantos anos passados, orquestrar manobras no escuro não daria azo a uma interpretação tão... linear.
 


Orchestral Manoeuvres In The Dark - Souvenir
(1981)

Escrito com Bic Laranja às 13:29
Verbete | comentar | comentários (9)
Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

Da alforria

P%FAblico %2815-5-.jpg

 O jornalista Osório ufanava-se por alguma razão hoje de manhã do título de primeira página do Público. O título é tudo menos notícia. Exprime uma dúvida só muito remotamente ligada ao que sucede e que, isso sim, seria notícia: a visita do primeiro ministro á Madeira.
 É sabido comummente que jornais como o Público - ditos de referência - abdicam de noticiar factos e optam pela conversa fiada que lhes condicionantemente brota aos borbotões das agências de informação. É isto, cuido, a referência que qualifica o Público e afins: uma ponderada e nada ao acaso agenda mediática. Quem na faz e com que propósito tem muito que se lhe diga. Claro que deve condimentar-se a preceito com prosa alegre e espirituosa. E bonecos giros...
 Pois, assim sendo, deixemos então de notícias sérias e fiquemo-nos pela conversa espirituosa: — Não acha o benévolo leitor que se devia Portugal tornar independente da Madeira?

Escrito com Bic Laranja às 16:46
Verbete | comentar | comentários (4)

Avenida da República, 46 — Lisboa

Av. da República, 46-48; Lisboa (A.C.Lima, s.d.)

 
 Há coisas de nada que, quando nelas reparo nem sei que dizer.
 Por desfastio procurava a D.G.E.M.N.; deparei-me com um I.H.R.U.. Enquanto a espuma dos dias pousa nos buracos da calçada e a carrinha do Exército de Salvação distribui a sopa do Sidónio no Jardim Constantino a nossa administração pública recria-se: reestrutura-se, redenomina-se...
 Um portal na Internete, uma declaração de propósitos — O I.H.R.U., I.P. tem por missão blá blá blá, política definida pelo Governo olaré, habitação, reabilitação urbana, mais blá, Política de Cidades [assim mesmo, com maiúscula, porque tem laivos de ciência], mais blá blá salvaguarda e valorização patrimonial, blá blá, blá blá... -, afirmação dos valores do serviço público, rigor financeiro, nova filosofia de organização... tudo devidamente sustentado e sustentável na cartilha do POS_Conhecimento, com os devidos sinais da autenticação oficial e mais uns autocolantes da Ouropa, também oficialíssimos, como impõe o figurino de Bruxelas, porque se a miséria tem direito a subsídio, os fundos estruturais têm direito a propaganda.
 Tudo isto está lá no I.H.R.U.. Tudo isto enjoa. Deus queira que chova, que as ruas da cidade precisam ser lavadas e na administração pública não há lugar para almeidas; há só gestores de projecto. Nem para varrer servem e podia ser que a enxurrada os lavasse. - Ou Deus queira que não chova, que as sarjetas entopem e depois não há almeidas...
 A esquizofrenia das medidas em pacotes avulsos tem destas porcarias: a realidade é esta, a dos símplices (ou simplexes, para se perceber melhor); a realidade lá fora, na rua, é uma outra coisa completamente diferente que ninguém quer saber. Se for chata muda-se por decreto...
 O nº 46 da Avenida da República em Lisboa, esse, chegou à miséria que se vê. A ficha de inventário da D.G.E.M.N. é uma miséria ainda pior (cf. nº I.P.A. PT031106230476): há-de ter sido feita por alguma estagiária, que entretanto foi à vida; nada lhe foi acrescentado desde 1998. A D.G.E.M.N., reestruturada ou não, também não é para isto; deve ser para qualquer coisa que nem sei dizer.

 

Av. da Republica, 46 (c) 2009

 


 

 


Notas:
Edifício de habitação na Avenida da República, n.º 46, Lisboa, Nossa Senhora de Fátima; projecto de construção do arq.º Miguel Ventura Terra, 1906. Fotografias antigas de Alberto Carlos Lima, c. 1910 (fachada poente); Nuno Barros Roque da Silveira, 1972 (frisos de azulejo), as três do Arquivo Fotográfico da C.M.L.. Fotografia actual: Bic Laranja, 2009.
(Texto revisto em 3/8/09 a ¼ para as 6h00 da tarde.)

Escrito com Bic Laranja às 00:10
Verbete | comentar | comentários (14)
Quarta-feira, 13 de Maio de 2009

Devia haver uma A.S.A.E. contra isto...

Avenida Casal Ribeiro, nº 1, Lisboa, 2008

 Este prédio é na esquina da Casal Ribeiro com a Almirante Barroso. Já aqui me referi a ele e ao seu lastimoso estado. Outros o fizeram. As telhas foram retiradas, os frisos de azulejo roubados, as janelas escancaradas aos elementos; parace tão óbvio o propósito de derreter este prédio que nem faz sentido terem-no entaipado. Mas de pouco serve. Vedes o rombo aberto na porta entaipada? A fotografia é de há um ano e percebe-se nela que a porta do prédio por trás do tijolo estava fechada. Apercebi-me hoje, que por lá passei, que já não está; qualquer vagabundo que se meta naquele buraco tem entrada franca no prédio. Oxalá me engane, mas com o Verão avizinhando-se é muito possível que ainda as férias me sejam sobressaltadas com a notícia dalgum incêndio na Estefânia. Como no ano passado...
 Oxalá me engane!...

Escrito com Bic Laranja às 19:44
Verbete | comentar | comentários (8)
Terça-feira, 12 de Maio de 2009

TAP

(c) 2009
Céu de Lisboa (c) 2009

Escrito com Bic Laranja às 22:44
Verbete | comentar | comentários (4)

9h36

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 22:41
Verbete | comentar | comentários (2)

9h34: Pub

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 22:38
Verbete | comentar

9h30: Norte 1 - desnorte n

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 22:14
Verbete | comentar

9h27: apartamentos t2 alugam-se t2

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 22:01
Verbete | comentar

9h21

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 21:05
Verbete | comentar

9h17: ferro forjado

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 21:02
Verbete | comentar

9h09: anúncio simples

Lisboa (c) 2009
Lisboa, 12/5/2009.

Escrito com Bic Laranja às 20:58
Verbete | comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____