Sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Viva a partição! Abaixo Portugal inteiro!

 O bastoneiro traulitário -- ou traulitário bastoneiro -- perfila-se para aí com um novo partido. Um novo partido é o que mais faltava; há de certo reforçar a democracia, como o novo banco reforçou já a finança e o novo seleccionador que há-de vir reforçará o fado-futebol-e-Fátima.
 É. Andamos nisto.


(Imagem em Lérias e Velharias.)

Escrito com Bic Laranja às 19:01
Verbete | comentar | comentários (10)
Quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

Dum grilo

 Havia um grilo onte' à noite na minha rua. «Grilava» a rua através do contínuo da viação e trânsito, esse «cântico» de 24 sôbre 24 horas que Lisboa entoa. -- O que torna mais deslocado o grilo, que havia de caber a noites mais estivaes que a de ontem e a scenário romanceadamente campestre.
 Pois o grilo imaginei-o eu nalguma sacada, numa gaiolinha de grilo, como espécie de bucolismo plastificado dalgum vizinho dado a devaneios pastoris, mas mais diligente que eu em nos prosseguir. É que ter um grilo na minha prezada sacada foi coisa que me já ocorreu...
 Disse-me o snr. do café que não, e que é novidade antiga êste grilo cantando por aqui nas noites quentes. Engano e distracção minhas porque o não ouvira antes, nem no supunha agora em lora perdida no meio da buliçosa cidade.
 Um grilo à noite na minha rua alegra-me sem me incomodar o sono. O ruído da cidade é que me desengana de, com êle, conseguir sonhar com o campo.

Cruzamento da Artilharia 1 com a Joaquim Ant.º de Aguiar, Lisboa (A. Madureira, 1961)
Cruzamento da Rua de Artilharia Um com a Joaquim António de Aguiar, Lisboa, 1961.
Arnaldo madureira, in, Archivo Photographico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 18:03
Verbete | comentar
Terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Ludismo de calhaus

 A Câmara Municipal de Lisboa do Intendente anda para aí a promover um Peddy paper, com o objectivo de divulgar, de forma lúdica, a calçada artística portuguesa.

  1. Peddy [?!!!] paper!... Crioulo amaricano saloio para o alfacinha ver.
  2. Divulgar, de forma lúdica... Divulgação, ludismo? Na realidade iludismo; sem trabalho, hão-de realmente conservar a calçada, hão!...
  3. Calçada artística portuguesa... Precisam de ressalvar artística para melhor materializar o... iludismo. E percebe-se. Podemos é começar já a esquecer a calçada não artística...

 Para a vereação do Intendente (a cavalgadura do Costa nem conta, por ausente a tempo inteiro), a calçada portuguesa (melhor, os passeios da cidade inteira) tornou-se só mais um nicho de mercado. «Peddy papers», ou o raio que lhe chamem, são antolhos para burricadas de asnos não notarem o monumental negócio que se arma (ou já armou?): a substuição do calcário nos passeios de Lisboa.


Lisboa, no tempo em que os calceteiros pavimentavam a cidade inteira, Rua Morais Soares, 195...
Judah Benoliel, in Archivo Photographico da C.M.L..

(Revisto ás duas e meia da tarde.)

Escrito com Bic Laranja às 13:00
Verbete | comentar | comentários (4)
Segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

A censura era dantes

 O Papillon tornou hoje ao microfone da emissora nacional onde tem púlpito e conezia. De que se lembrou de falar? Do ex-administrador de toilette Nuno de Matos, do ex-B.E.S., mai-lo seu inacreditável solfejo ao «I» na semana passada.
 Pois o Papillon cá nos papagueou gravemente, hoje (Contas do Dia, Antena 1, 8/IX/2014), do administrador «verbo de encher», aferiu-lhe a remuneração (com mais demagogia que rigor) pelo ganho anual de «80% dos portugueses», mas, admiràvelmente omitiu o maior trabalhinho que o não-executivo afinal executou...

Escrito com Bic Laranja às 14:45
Verbete | comentar | comentários (6)
Quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

Da pureza de «tal [e] qual»

Sobre a pureza do uso da expressão tal qual ante tal e qual houve há semanas um comentário inesperado dum leitor.

Desculpai [...] tenho de vos corrigir: «tal qual» e não «tal e qual». Considero curioso como ninguém se engana em «tal como», «tal que» e outros advérbios, mas a patetice do «tal e qual» vai medrando. «Um erro mil vezes repetido...»

 Empreendendo na curiosa questão que me nunca pusera, reflecti. Não será antes uma questão de estilo, de ênfase? — A conjunção funcionando como reforço de realce. — Ou até de fonética, já que se interpõe como epêntese para dissimilar duas sílabas de vocalismo idêntico?
 Não obstante o uso corrente de tal qual desde a Idade Média e de Epiphanio Dias se lhe referir apenas nesta forma na sua Syntaxe Histórica, a locução comparativa tal e qual já nos surge em Rodrigues Lobo, no Diálogo VIII de Côrte na Aldeia e Noites de Inverno como arrimos, a que se pega ou encosta o que fala, quando as palavras lhe cançam,

[...] são mettidos na mesma pratica com alguns, que em cada palavra d'ella mettem um «diz», «assim que digo», «tal e qual», «sim senhor», «vae vem», «então», «senão quando», «espere vossa mercê», «assim que», «senhor», «estaes commigo»; e outros muitos [...] (p. 116)

... o que nos atesta o seu uso desta maneira desde os alvores do séc. XVII, pelo menos.
 Garrett também a aplicou tal..., em discurso directo, nas Viagens

— Tal e qual quando fazes essa cara. Olha: ahi estás tu na mesma. Vamos! ria-se e esteja contente (Vol. I, cap. XXIV).

 Há cousas que vareiam na voz do povo sem haver despachos nem decretos... Leixá-las assi bem variar.

É de feira em concrusão
e bailam-na cada dia
porque sai a melodia
tal qual fica o coração,
ao revés do que soía.
(Gil Vicente, Triunfo do Inverno.)

 

 

 

Os bonecos são d' A Farsa de Inês Pereira do Rafael que, parece, lê português, 
mas escreve num crioulo qualquer (quem lhe chamar português engana-se).

Escrito com Bic Laranja às 23:00
Verbete | comentar | comentários (20)
Segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Ao serão

 Ganhou a senhora o hábito há anos de, nestas noites quentes, desligar a televisão e pôr algo mais apropriado na grafonola. A estranheza que senti pela falta do fundo televisivo em casa ao serão -- e no meu caso cresci com isso -- não resistiu trinta segundos ao embalo desta cantora. E desde então...



Diana Krall, Let's Face The Music And Dance

Escrito com Bic Laranja às 22:00
Verbete | comentar | comentários (6)

Setembro

Entra Setembro com a «Vindima» em 1.ª edição. Embora esteja calor de mais para ela...

 

Miguel Torga, Vindima, 1.ª ed. Coimbra, Coimbra Editora,1945.
Exemplar n.º 1822 desta edição [outrora] na Estante Usada.
Escrito com Bic Laranja às 18:07
Verbete | comentar | comentários (4)

Sirigaita (teste à «gaita» dos novos blogos)

Sirigaita (ssi-ri-ghái-ta), s.f. (zool.) ave de bico comprido semelhante á carriça. || (Fig.) Mulher muito inquieta e buliçosa ; mulher que se saracoteia muito. || Espertalhona ; mulher que tem resposta para tudo ; mulher espevitada, ladina. || F. r. Sara.

Diccionario Contemporaneo da Lingua Portugueza (Aulete), 1.ª ed., Lisboa, Imprensa Nacional, 1881.

Nota: este verbete foi publicado em de 1 de Outubro de 2014 a partir dum rascunho guardado em 1 de Septembro do mesmo anno; acabou publicado na data de 1 de Septembro de 2014 devido ás alterações no módulo de edição dos blogos do Sapo, que deixaram de sobrepor automaticamente a data da publicação dos verbetes á data primitiva de gravação dos rascunhos.

Escrito com Bic Laranja às 13:05
Verbete | comentar

Abertura da Av. Marechal Gomes da Costa

Rotunda do Aeroporto, depois do Relógio (E. Portugal, 1944)
Rotunda (ou Praça) do Aeroporto, vulgo Relógio, Lisboa, 1944.
Eduardo Portugal, in Archivo Photographico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 13:01
Verbete | comentar | comentários (2)

Ex-Viegas secretário



 Sabemos de a criatura ser mais ventre que cérebro. Aflige-se com o estrago que a demência à solta venha a fazer na feijoada à brasileira, só pode. Não o mando tomar passivamente na Autoridade Tributária por respeito ao vernáculo. Ele que vá portuguesmente prò...

Escrito com Bic Laranja às 00:01
Verbete | comentar | comentários (10)

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____