Sexta-feira, 30 de Novembro de 2018

Política de melhoramentos municipal

Terreiro das Farinhas visto da Rua dos Arameiros antes das demolições, Lisboa (E. Portugal, 1940)
Terreirinho das Farinhas visto da Rua dos Arameiros antes das demolições, Lisboa, 1940.
Eduardo Portugal, in archivo photographico da C.M.L.

 

 Ouvi notícia de o farsante minoritário na presidência da C.M.L. somado a uma sinistra minoria de farsolas na assembleia municipal irem baptizar o velho Campo das Cebolas.
 Ora bem! Os gajos que levantaram a Ponte 25 de Abril num ápice e que foram numa manhã de Maio à Portela de Sacavém erguer lá em menos de nada o aeroporto do Humberto Delgado ao menos acertavam no lugar. Estes tolos da câmara agora nem isso; ignoram a real morada da fundação da D.ª Pilar, para quem o filho do Grande Afonso de Albuquerque mandou construir há 500 anos a casa dos bicos, e cuidam ser Campo das Cebolas todo o terreiro deixado das demolições do Terreirinho das Farinhas, Tr. das Portas do Mar, Tr. dos Bicos e Boqueirão da Palha, entre as ruas dos Bacalhoeiros, dos Arameiros e da Alfândega, contando ainda o pedaço desafectado à velha Alfândega a oriente do Ministério das Finanças.
 Porém, não duvido por um segundo que do vazio das cacholas hoje na C.M.L. ao vazio deixado daquelas demolições do tempo do Estado Novo se erguerá uma formidável obra sem a qual nenhum alfacinha de gema nem saloio dos arrabaldes poderiam viver: uma nobelitante e saramagal placa toponímica.

Campo das Cebolas, Lisboa (P. Guedes, 1940)
Campo das Cebolas
, Lisboa, 19....

Paulo Guedes, in archivo photographico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 15:10
Verbete | comentar | comentários (6)
Domingo, 25 de Novembro de 2018

Portugal rural

Companhia das Lezírias, Ribatejo (M. Novaes, s.d.)
Companhia das Lezírias, Ribatejo, [s.d.].
Mário de Novaes, in Bibliotheca d' Arte da F.C.G.

Escrito com Bic Laranja às 16:31
Verbete | comentar

Ex-Portugal rural

(Enquanto estradas se afundam num país ao deus-dará depois do fim…)

 Dependente de firmes exigências funcionais repartidas entre o armazenamento, o tratamento (limpeza ou calibragem) de cereais e um complexo sistema de circulação, recepção, expedição, aglutinando também a indispensável área administrativa […] A Federação Nacional de Produtores de Trigo desenvolveu um papel muito importante na dotação e regularização quase por todo o país de estruturas de armazenamento e calibragem de cereais, dependentes do incremento que nos primeiros tempos do regime corporativista português deu ao ciclo da produção do pão e consequentemente dos cereais.

Deolinda Folgado (Docomomo Ibérico), «Património Industrial — Arquitectura Industrial Moderna  (1925-1965); E.P.A.C. – Empresa Pública de Abastecimento de Cereais», in D.-G.P.C., 2002.

Projecto: 1954-55.
Autores: Arq.ºs José Bastos Coelho e António Ribeiro Modesto; Eng.º Ângelo G. Ramalheira – construções, estudos e projectos de estabilidade.

Federação Nacional dos Produtores de Trigo, Vila Franca de Xira (M. Novais, c. 1957)
Federação Nacional dos Produtores de Trigo, E.N. 10 à Vila Franca de Xira, 1957.
Mário de Novaes, in Bibliotheca d' Arte da F.C.G.

*   *   *

 […] Em 1935 com a criação da Federação Nacional dos Produtores de Trigo (F.N.P.T.) pelo Estado Novo, situando-se, a sua origem com precisão nos celeiros dos produtores de trigo instituídos a partir de 1932 no desenvolvimento da Campanha do Trigo, iniciada em 1929, a F.N.P.T. trabalhou então ao lado da F.N.I.M. (Federação Nacional dos Industriais de Moagem) criada em 1934 e estes dois organismos corporativos tiveram como cúpula o Instituto Nacional do Pão em 1936. Em 1972 o Governo procedeu à revisão do regime dos organismos de coordenação económica ligados à agricultura e determinou que na F.N.P.T., que passa a denominar-se Instituto dos Cereais (I.C.), [fossem] incorporadas as Comissões Reguladoras do Comércio do Arroz, das Moagens de Ramas, do Comércio dos Cereais [ dos] Açores e o Instituto do Pão, que ficaram extintos. Deste modo nasceu o Instituto dos Cereais. Em 1974 com o novo do regime democrático e consequência [da] extinção dos organismos corporativos obrigatórios foram integrados no I.C., a F.N.I.M., os respectivos Grémios regionais, os Grémios dos Industriais de Panificação e os dos Industriais de Arroz. Em 1976 foi instituída a E.P.A.C., E.P. [que] herdou o tecido patrimonial e humano de dezanove organismos distintos públicos e corporativos […]
 Os governos que exerceram a tutela da empresa nunca souberam o que fazer com a E.P.A.C. logo que se esboçou o [curso] do país no sentido da integração europeia com a inevitável liberalização do mercado dos cereais. […] Por outro lado, os sucessivos Conselhos de Administração nunca apresent[ar]am planos de estabilização da empresa, minimamente consistentes em termos económico-financeiros [...] Consumiram-se na gestão de curto prazo e na produção de actos irrealistas […] cujo principal negócio foi vender património, reduzir o quadro de pessoal [e] traduziu-se em não tomar decisões de fundo, com a consciência a partir de certa altura de qual seria o fatal destino da empresa. Depois , como muitas vezes se assume em Portugal, quem viesse no fim que «fechasse a porta» […]

E.P.A.C.: Uma longa história…, in , 2013.

Escrito com Bic Laranja às 11:17
Verbete | comentar | comentários (2)
Sábado, 24 de Novembro de 2018

Av. de Guerra Junqueiro, Lisboa

Com tráfego e ao mesmo tempo desafogada.
O segundo autocarro de dois pisos que se vê ao cimo é o Leyland 201 ou o seu irmão, o 202.

Av. de Guerra Junqueiro, Lisboa (A. Passaporte, 195...)
Av. de Guerra Junqueiro, Lisboa, 195…
António Passaporte, in archivo photographico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 13:34
Verbete | comentar | comentários (3)
Quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

Um 40 em 77

Autocarro para a Boa-Hora com o cemitério dos Prazeres em fundo…
O centro é para a direita.

Carris: n.º 255, carreira 40, Alcântara-Terra (Guy, 1977)
Carris: n.º 255 na carreira 40, Alcântara, 1977.
Guy, in «Autocarros de Lisboa».

Escrito com Bic Laranja às 12:40
Verbete | comentar | comentários (2)

Um 39 em 87

 A Estr. de Marvila junta ao Ateneu da Madre de Deus em Fevereiro de 1987. Em 31 anos o panorama mudou pouco por ali. Não sei se se algum autocarro mete hoje por estes caminhos. — Eu, há uns pares de décadas é que não! E recuando mais no tempo, posso ver o lugar aqui retratado com uma amplitude mui maior…


Fotografia: Carris: n.º 721 na carreira 39, Estr. de Marvila, 1987. Guy, in «Autocarros de Lisboa».

Escrito com Bic Laranja às 11:55
Verbete | comentar | comentários (6)
Domingo, 18 de Novembro de 2018

Excerto de Lisboa do passado

António Lopes Ribeiro, Lisboa de Hoje e de Amanhã
(1948)

_______
Adenda: (14'28") um táxi vira da Estr. do Poço dos Trapos para a Estr. de Sacavém; um camião no sentido Sul-Norte [Norte-Sul] na Rot. da Encarnação e outro no sentido Norte-Sul [inverso]; Av. do Aeroporto, descendo do Areeiro quase por altura da quinta de Fronteira (Av. do E.U.A., aprox.); chegada ao Aeroporto da Portela; escadaria e porta principal do dito; cerca da pista com gente observando os aviões; aterragem suave dum DC-3 com os arranha-céus do lado Sul do Areeiro em fundo e um Super Constellation estacionado com motores a trabalhar; retorno do aeroporto, caminho da Praça do Aeroporto (futura rotunda do Relógio), possivelmente filmado do andar de cima dum dos primeiros autocarros de 2 pisos; Praça do Chile com o lago, mas já sem a estátua do Neptuno; eléctricos na Rua da Palma; rua oriental do Campo Grande tirada por cima da igreja paroquial dês da esquina da Av. do Brasil, com um eléctrico e um dos primeiros autocarros da Carris chegando à paragem ante uma cabina telefónica das antigas (17'16").

Escrito com Bic Laranja às 12:59
Verbete | comentar | comentários (6)
Sábado, 10 de Novembro de 2018

II-13-09, n.º de frota 201

O primeiro autocarro de dois pisos da Carris... na carreira do aeroporto.

Autocarro nº 201, o primeiro de dois pisos a integrar a frota da Carris, Praça do Areeiro, post 1947. António Ventura, História da C.C.F.L. (1946-2006), v. 3, Carris e A.P.H., Lisboa, [2008], p. 115.
Autocarro n.º 201, Praça do Areeiro, post 1947.
António Ventura, in História da C.C.F.L. (1946-2006), v. 3, Carris e A.P.H., Lisboa, [2008], p. 115.

II-13-09, Aeroporto da Portela (A. Passaporte, post 1947)
II-13-09, n.º de frota 201 da Carris, Aeroporto da Portela, post 1947.
António Passaporte, in archivo photographico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 17:21
Verbete | comentar | comentários (8)

O autocarro do Torel

 Um vislumbre do Arco do Cego em Setembro de 68. O motivo da fotografia é o eléctrico, mas o que me despertou a curiosidade foi o autocarro na Filipa de Vilhena. No meu tempo de passo-social não me recorda de ver autocarros alguma vez naquela rua. Muito menos um com bandeira para o Torel. Não consigo perceber na imagem qual o n.º desta carreira nem o descobri em mai' lado nenhum. Do Torel só me lembro de lá ver velhos carris de eléctrico sem serventia, se me não engano da carreira 4.

O eléctrico 19 e o autocarro do Torel, Arco do Cego (J. F. Bromley, 1968)
O eléctrico 19 e o autocarro do Torel, Arco do Cego, 1968.
John F. Bromley, Lisboa: diapositivos 1962–2004, in Flickr.

Escrito com Bic Laranja às 16:12
Verbete | comentar | comentários (7)

Santo e senha

 A Nação eleitora e abstencionista há-de ter descoberto pela imprensa há dias que tinha um sr. deputado à Assembleia chamado Silvano. Ontem descobriu que a somar havia também uma sr.ª deputada Emília Cerqueira. Um ex-ignorado par de jarras representante da democratíssima III.ª República.
 Aleluia!

Silvano & Emília, Deputados da III.ª República Portuguesa (in Notícias de Coimbra, 2018)
S. Silvano & Virgem Senha ofendida, Portugal, post 1974.
Imagem in Notícias de Coimbra.

Escrito com Bic Laranja às 15:15
Verbete | comentar | comentários (2)

Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
14
18
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS

____