Domingo, 31 de Outubro de 2021

A cassete pirata

 Isto está em destaque pela 2.ª vez nos blogos do Sapo. O Sapo, como a imprensa, a rádio e a TV, é um templo do novo Deus-nos-valha pagão. São púlpitos de prègação da palavra da salvação, benza-os Deus. Só não podem dizer se Deus quiser!
 A Brites… (Beatriz é versão fidalga do nome; ao dizer-lho tenho a jubilosa esperança de estar a ajudar a que se conheça melhor, muito em boa hora não seja eu mulher e por tal, sabe Deus, a Brites me não vá ler.) A Brites escolheu, segundo a catequese que lhe deram, ler mais mulheres, para se conhecer melhor. É uma fé. Dizê-lo é anunciar o seu credo e, em simultâneo, rezar essa redentora espécie de Avé Maria dum rosário em voga onde não há (Deus nos livre!) um Pai Nosso.
 O destaque da Brites e do seu credo é a homilia duma missa que me rezam insistentemente os artistas prègadores da rádio, TV e, fosse noutros tempos, da cassete pirata. Ao presente, a cassete pirata são destaques como o do Sapo.

Escrito com Bic Laranja às 14:45
Verbete | comentar | comentários (2)
Sábado, 30 de Outubro de 2021

Do tempo…

 Quem não tem que dizer fala do tempo. Ou fala barato…

 Logo de madrugada temos a senhora da hora. Muda a hora de Verão, aquela que gostamos mais, mas que, poucos saberão, é a mais adeantada da nossa hora solar. Mesmo a hora de Inverno, em que anoitece cêrca das 5 da tarde, é a hora de Greenwich, na Inglaterra, não a hora portuguêsa. São quási 40 minutos de adeantamento ao fuso horário de Portugal. O que significa que no Inverno, pela nossa hora solar, haveria de amanhecer pelas 7 e meia e anoitecer pelas 4 e meia da tarde. — Hora solar, não esqueçais!  Coisas do passado, dum mundo rural regido pelo Sol e o sino da igreja. A República Portuguêsa tratou dêle…

 Em Portugal a hora legal largou do fuso próprio e do Observatório da Ajuda para alinhar por Greenwich em 1912, salvo êrro. Afinou em horas de Inverno e de Verão, como era lá fora na Europa, no ano 1916. Salvas umas hesitações em 22, 23, 25, 30 e 33 e um soluço de 42 a 45, a coisa foi andando. De 66 a 76 deixou de ir. Ficou a hora de Verão, sem afinar pela hora de Inverno como era lá fora na Europa. Uma heresia (heresia então, porque agora…) resolvida logo que houve tempo de pensar em ninharias, ao depois de alijar o Ultramar e se remediar o Portugalinho e ilhas na senda da Europa e do futuro. Risonho!…
 No tempo do Cavaco o futuro sorriu mais. Sorrimos todos, para não chorar. A hora legal portuguêsa ficou quási 3 horas adeantada. Lisbôa afinou pela hora de Varsóvia. O Sol punha-se pelas 11 da noite.
 De há pouco tempo querem os de lá fora na Europa fazer como os portuguêses de há mais ou menos 50 anos e permanecer na hora de Verão. Parece que em vindo dêles, de lá fora na Europa, já é moderno, scientífico, até natural e biológico, se vamos lá de fazer caso das creancinhas na escola e do bem que faz à saúde…
 A saúde… 

 Agora do tempo — o que faz, não o que se mede —, segundo vi no ex-Instituto de Meteorologia, em passando a chuva destes dias vem frio. Vale a notícia o que vale, que é tempo de Outono. Mais vale pelo alarme, o alarmismo. Vamos para Novembro mas, no mundo de jogos de computador em que se esta civilização de recreio de escola infantilizou, são dois fins do mundo: um fim do mundo por frio em Novembro a seguir ao fim do mundo por chuva em fim de Outubro. Ou o fim da macacada. Havemos de nêle acabar todos cheios de saúde, vacinados contra a chuva, o frio e alarmados da trovoada e do vento em geral. Só contra o medinho é que não há remédio, nem com todas as vacinas juntas, mai' las focinheiras. Mas, lá será, viver apavorado é, crêem os govêrnos e os povos agora, uma vida melhor do que morrer de mêdo.

Mulher com bilha de água e cavador de enxada, E.N. 249 a Queluz (M. Novais, s.d.)
Mulher com bilha à cabeça e cavador de enxada ao ombro, E.N. 249 a Queluz, [s.d.].
Mário de Novaes, in bibliotheca d' Arte da F.C.G.

Escrito com Bic Laranja às 17:30
Verbete | comentar | comentários (11)
Sexta-feira, 29 de Outubro de 2021

Do (ou de) Andaluz

Largo de Andaluz, Lisboa (E. Portugal, c. 1940)
Andaluz (Largo do Chafariz de), Lisboa, 1940.
Eduardo Portugal, in archivo photographico da C.M.L.

 Gomes de Brito, nas Ruas de Lisboa (vol. 1, 1935), diz-nos de entrada:

Andaluz (Largo do Chafariz de) — «Tem um padrão aonde se diz ter sido feita em 1374; e é a maior antiguidade que temos encontrado em tôda esta nossa curiosidade. A sua água vem do poço de uma quinta na rua de S. Sebastião da Pedreira n.º 141, a qual pertence à sr.ª D. Maria Gertrudes, viúva do ex-ministro do Bairro de Andaluz João António Mayer.


 Ao depois refere demandas sobre a água que constam no Senado da Câmara, em 1522 e nos anos posteriores ao terramoto de 1755. Nada adianta sobre a origem do nome.

 Mestre Julio de Castilho refere-se ao Vale do Andaluz (Lisboa Antiga; Bairros Orientais, 2.ª ed., vol. IV, 1936, pp. 257, 262, 280) — «Esta denominação ainda existe, mas muito afastada para o norte, e confinada ao Largo do Chafariz do Andaluz» (ib., p. 257). O «risonho e aprazível vale do Andaluz» foram as terras acima da Annunciada, adjacências do caminho que genèricamente hoje chamamos Rua de São José e Rua de Santa Martha. Mas também aqui nada da origem de tal nome. Parece que perdura o misterioso Andaluz mais pelo chafariz do que por quem haja sido.

 A explicação mais natural da origem do nome do lugar é a que se sabe — He appellido de hum homem natural da Andalusia, de quem o lugar tomou o nome. — De ou do parece indiferente.

https://archive.org/details/vestigiosdalingo00sous/page/70/mode/2up?q=andaluz
(Fr. João de Sousa, Fr. Jozé de Santo Antonio Moura, Vestigios da lingoa arabica em Portugal, ou, Lexicon etymologico das palavras, e nomes portuguezes, que tem origem arabica, Academia Real das Sciencias, Lisboa, 1830.)

 

Escrito com Bic Laranja às 12:13
Verbete | comentar | comentários (2)

Estimular perdas cognitivas…

 Uma coisa em que a brasiLusa e o Observidor (isso mesmo) laboram com afã diário.

Escrito com Bic Laranja às 08:28
Verbete | comentar | comentários (2)
Quinta-feira, 28 de Outubro de 2021

Não terão sido antes 15 mânfios da Juve Leo?!…

Sim, porque treinados em enfiar cenas pelo nariz acima…

 

Escrito com Bic Laranja às 00:16
Verbete | comentar | comentários (2)
Quarta-feira, 27 de Outubro de 2021

Pobre bicho! Vítima cá duma daquelas PANcadas!…

Escrito com Bic Laranja às 23:44
Verbete | comentar

Ciências ocultas

Screenshot 2021-10-27 at 19.12.59.png

 Há quem diga que lhes caiu um calhau em cima.
 Também dizem que a Cleópatra era a mulher mai’ bela do Mundo Antigo. A verdade é que não sabemos.

Escrito com Bic Laranja às 19:18
Verbete | comentar

Do papão e de papõezinhos

 Há pedaço ouvi na Emissora 2 uma sumidade. Falava ao microfone da rádio, há-de ser uma sumidade. Um tal Fróis (ou Froes, não interessa). Já fui ver quem era.
 Da converseta, quere ele tornar a enfiar o cabresto na gente em todo o espaço público fechado. — Valha-nos (por agora) que deixou de receitar tal arreio nas ruas. Uma coisa simpática!…
 E prosseguia, a manter as pobres alimárias à rédea curta pelo medinho: a gripe, disse, não houve no ano passado graças às focinheiras (ele chama-lhe algo como adereços de Carnaval), mas uma infecção simultânea de gripe e de CoViD é o dobro do perigo. E distinguiu a gripe da outra, agora… Fôra eu, pobre alimária, uma besta e haveria de naturalmente pensar que a gripe se não viu no ano passado porque esqueceu; deixaram-na de apregoar os Fróises (ou Froeses) desta nova ordem de (in)sanidade, logo, esqueceu; e porque o concerto de covidartes e manhas a mascarou… — Rebranding, diriam os amaricanos. — Mas este não: foram as focinheiras que a evaporaram.
 Pois este papa das farmacêuticas lembra-se agora da gripe. Vem em boa hora. Na América, há mêses que ouvi que estava na calha um teste 2-em-1 à medida da esquecida (agora revigorada) gripe e, daqueloutra chamada CoViD.

 Ao preço que vai não nos havemos de livrar de papões.

Untitled-1.jpg

Escrito com Bic Laranja às 09:36
Verbete | comentar | comentários (2)

Mas que bem!

Houve vichyssoise?

Escrito com Bic Laranja às 08:35
Verbete | comentar
Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021

Noção de Natal

 Quando é a falta de abastecimento de brinquedos que, dizem-me, põe o Natal em risco, bem vejo a noção de Natal…

Carla de Carvalho, «Natal em risco…», Observidor (isso mesmo), 25/X/21

Escrito com Bic Laranja às 10:43
Verbete | comentar | comentários (2)
Sexta-feira, 22 de Outubro de 2021

Gil Vicente tinha personagens chiques a valer

Markus», Observidor (isso mesmo), 22/X/21

 Mas o Observidor (isso mesmo) tem jornalistas ainda mais.


*     *     *

Os braços trago cãſados
de carpir eſtas queyxadas
as orelhas engelhadas
de me ouvir tantos brados.
Quero mir as tauerneyras
tauerneyros, medideyras
que me dem hũa canada
ſobre meu roſto fiada
a pagar la polas eyras.

 

Escrito com Bic Laranja às 21:21
Verbete | comentar

Música de à tardinha


Champagne & Quail— Dan Fontaine e sua Orquestra
(Original de Henry Mancini para o filme de Blake Edwards, «A Pantera Cor-de-Rosa», 1963)

Escrito com Bic Laranja às 19:01
Verbete | comentar

Dum desorientado que até perde o Norte

Ele até transcreve do árabe, mas é des + Oriente + ado.

«Largo de Andaluz»,in Lisboa de Antigamente, 22/X/21
Largo de Andaluz c. 1940 com o viaduto da Av. de Fontes sobre a R. de Santa Martha, segundo o A. da Lisboa de Antigamente (pub), 22/X/21.

Escrito com Bic Laranja às 15:45
Verbete | comentar | comentários (2)

Pub

Carolina Carvalho, «World Travel Awards…», Observidor [isso mesmo], 22/X/21

 Por 400 libras (467 euros) os vencedores podem adquirir o «Digital Winner Pack», que inclui o certificado de vitória que pode ser «impresso, emoldurado e exposto» e por 650 libras (760 euros) o troféu de 2,4 quilos com um globo, a imagem marca dos prémios, para exibir em «recepções de hotéis, escritórios e expositores de troféus», sugere-se. Aos vencedores são oferecidos preços especiais na compra de anúncios na revista Best in Travel e até artigos para «celebrar a conquista com figuras centrais da indústria e influencers de todo o globo». Mil libras custa um artigo especial no site breakingtravelnews.com.

Marta Reis, «O que se sabe sobre os World Travel Awards?», Jornal I, 30/III/21.

Escrito com Bic Laranja às 14:43
Verbete | comentar

Dos animais racionais

 Do criado de mesa ao caixeiro de balcão, os símplices histéricos de medinho que rebentavam de autoridade ante mim quando… é vê-los agora; pio calado, trombil na focinheira. Sempre lhes tapa as vergonhas, mas, nem se dão conta. Alguns, como o da farmácia, deixam-nos ainda brincar ao carnaval. — «Nos estabelecimentos de saúde é obrigatório. Nós somos um estabelecimento de saúde.» — Tive de lhe explicar. — «Não senhor! Vós sois um estabelecimento de doença. Houvesse a gente saúde, ninguém cá parava.»

 

Pharmacia Folgosinho, Restaradores (F. da Cunha, s.d.)
Pharmacia Formosinho, Restauradores, [s.d.]
Ferreira da Cunha, in archivo photographico da C.M.L.

Escrito com Bic Laranja às 08:15
Verbete | comentar | comentários (2)
Quinta-feira, 21 de Outubro de 2021

Música de fim de tarde


Dreamy — Dan Fontaine e sua Orquestra
(Original de Henry Mancini para o filme de Blake Edwards, «O Regresso da Pantera Cor-de-Rosa», 1975)

Escrito com Bic Laranja às 19:43
Verbete | comentar
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

De Me(r)dina a Meca

 É das tais moerdas em que se logo, logo, abre o portão do curral… Neste Verão que se prolonga como a querer fundir-se com o S. Martinho é ainda mais fácil. Facílimo. A manada solta-se obediente e afoita, quási se atropela. É gado manso, domesticado, mas ardente. Chovera ele, naturalmente já o ardor não seria tanto como «um milhar de pessoas manifestam-se [sic] …»; haveriam de ser para aí umas dúzias e talvez (talvez!) a sintaxe calhasse melhor a publicistas analfabetos…

 De maneira que, pois é! O gado tresmalhado que se realmente vê naquela espécie de ciclovia não compareceu na manif. Reza virado para Meca, não tanto para Me(r)dina. Manifestou-se em todo o caso um milhar, dizem. De nacionais, afinal. Faltaram, foi, portanto, os ases do teicué a pedal importados a granel e que são os únicos a rolar naquela espécie de… bem, ciclovia. À frequência diurna de 1 por hora.

Ciclovia de Me(r)dina, Lisboa (J. Porfírio, 2021)
Ciclovia de Me(r)dina, Portugália (prox.), 2021.
João Porfírio, in Observidor (isso mesmo).

Ciclovia de Meca, Lisboa (N. Fox,  2021)
Ciclovia de Meca, Portugália (prox.), 2021.
Nuno Fox, in Expesso (isso mesmo).

Escrito com Bic Laranja às 14:30
Verbete | comentar | comentários (4)
Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

Lisboa doutras horas

Relojoaria Ourivesaria Horotécnica</em>, Lisboa — © 2019
Relojoaria Ourivesaria Horotécnica, Lisboa — © 2019

Escrito com Bic Laranja às 10:28
Verbete | comentar
Segunda-feira, 18 de Outubro de 2021

Postalinho de Lisboa

Rua do Almirante Barroso, 58 r/c, Lisboa — © 2021
Rua do Almirante Barroso, 58,  r/c, Lisboa — © 2021

Escrito com Bic Laranja às 10:21
Verbete | comentar
Domingo, 17 de Outubro de 2021

Observidor (isso mesmo), religião e culto

Associação ambientalista Zero lança campanha &c, Observidor (isso mesmo), 17/X/21

 

 Teicué é amaricano fino para dizer comida em trânsito. Normalmente às cavalitas dum gajo importado, montado numa bicicleta. É só janaria estrangeira.

 Sobre os Zeros ambientalistas, aguardo outra virtuosa campanha (e formação gratuita, já agora), para reutilizar restos de comida e cascas de marisco.

Escrito com Bic Laranja às 10:35
Verbete | comentar | comentários (8)

Dezembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante



Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente (pub)
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____