Terça-feira, 24 de Junho de 2008

Rua das Cangalhas

 A Rua de S. Sebastião, percebe-se pela irregularidade — quem se deite a pensar nestas coisas, bem entendido —, é caminho muito antigo que sobrevive apesar da Av. António Augusto de Aguiar. O mesmo com a Rua de São José e a de Santa Marta, que entroncam nela, em relação à Avenida. Os planos de Ressano Garcia que estão na origem da expansão de Lisboa nos finais de Oitocentos e início de Novecentos tiveram, além de tudo o mais, o mérito de respeitar estradas antigas e caminhos rurais que se desprendiam de Lisboa campos afora. Nem o Estado Novo nem os que se lhe seguiram tiveram esse condão. São esses velhos caminhos sobreviventes, apanhados hoje na malha urbana, mais ou menos perceptíveis pela sua extravagância no plano ortogonal das avenidas novas projectadas, mesmo apesar de regularizados. Um de que há pouca ou nenhuma memória é o que prolongava a Rua das Picoas até ao Rego. Chamava-se Rua das Cangalhas, que foi entretanto regularizada e promovida. Chamam-lhe avenida, do Conde de Valbom, mas num bom pedaço confunde-se com um jardim diluido na Marquês de Tomar, e no troço final não passa actualmente dum beco.
  Av. Conde de Valbom, 90-94, Lisboa, 1965.
  Aug.º de Jesus Fernandes, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.
 A fotografia acima à direita, não o posso garantir, mas tem todo o ar de ser um prédio sobrevivente da velha Rua das Cangalhas na Av. Conde de Valbom. Não vos admireis: veio a ser demolido.
 A imagem abaixo, a alguns benévolos leitores que gentilmente visitam este blogo pode à primeira vista parecer que a já publiquei quando cá escrevi sobre a Av. António Maria de Avelar. Retrata o mesmo lugar que a que lá pus e foi tirada do mesmo sítio, mas não se trata da mesma fotografia. Dá-me impressão que o fotógrafo repetiu a chapa por ter surgido entretanto um motivo novo diante da lente...
 Menos verosimilhança que esta insinuação teve então a minha conjectura do local da chapa, em que a propus batida do antigo jardim do palacete da Av. Cinco de Outubro, 38. É mais provável que tenha sido do jardim doutro palacete sito na esquina a seguir, no nº 52 (ou dum casarão na João Crisóstomo 34), apontando a ocidente, dando a ver o Monsanto ao fundo, mostrando à esquerda a feitura da dita João Crisóstomo e, atrás dos palacetes em primeiro plano, uma velha casa rústica meia de esguelha; perecebe-se atrás dela o eixo da Conde Valbom oblíquo em relação ao plano ortogonal das avenidas. Presumo ver ali a velha Rua das Cangalhas, prolongando naturalmente o que sobeja ainda hoje da Rua das Picoas.

Av. António Maria de Avelar (hoje dita de Cinco de Outubro, nº 67-73), Lisboa, 1898-1908.
Av. António Maria de Avelar (hoje dita de Cinco de Outubro, nº 67-73), Lisboa, 1896-1908.
Machado & Souza, in Arquivo Fotográfico da C.M.L.

 

Escrito com Bic Laranja às 23:55
Verbete | comentar
15 comentários:
De T a 25 de Junho de 2008
Eu adoro estes seus posts Mestre Bic!
A Rua das Cangalhas é genial. Agora, andamos nós todos de cangalhas, para que é precisa rua?
Cumpts:)
De Bic Laranja a 25 de Junho de 2008
Sempre generosa e bem disposta. Obrigado!
De T a 25 de Junho de 2008
Daqui a dez minutos pode ir ao Dias, que terei lá uma surpresa para si:) Eu mandava por e-mail mas sei que desgosta de o consultar:)
Cumpts!
De David a 25 de Junho de 2008
"o fotógrafo repetiu a chapa por ter surgido entretanto um motivo novo diante da lente..."

Nesta fotografia está alguém a passar na rua, o que não acontece na anterior

:)
De Bic Laranja a 26 de Junho de 2008
Olho vivo! Cumpts.
De André Santos a 25 de Junho de 2008
Excelente! Adoro estes seus posts sobre Lisboa.

Ainda há uns tempos uma amiga, em conversas sobre a cidade, chamou-me a atenção para o plano obliquo em que se encontra a Av. Conde Valbom face às restantes avenidas. Desconheciamos o nome primitivo até à uns minutos atrás, "Rua das Cangalhas".
A fotografia com a casa atrás dos palacetes foi um toque de mestre!

Cumprimentos :)
De Bic Laranja a 26 de Junho de 2008
A memória destas coisas perde-se com muita facilidade. Cumpts.
De O Réprobo a 26 de Junho de 2008
Meu Caro Bic,
excelente postal! E permito-me, pensando no que lá existe hoje, pensar se não teria sido muito mais económico e avisado mudar o nome para "Rua dos Escangalhas".
Abraço
De Bic Laranja a 27 de Junho de 2008
Para rua ou avenida está muito escangalhada, sim. Mas será que os que escangalharam merecem nomoe numa rua?
Cumpts.
De Atentti al Gatti a 27 de Junho de 2008
Na zona da Rua das Cangalhas, terá sido construída a estação principal do curioso comboio Larmanjat, cuja companhia tinha escritórios no nº 28 do Lgº de S. Sebastião da Pedreira. A sua antecessora, esteve instalada no palácio dos Condes de S. Miguel, na Rua de Arroios, também já aqui falada neste blogue (cfr. Jaime Fragoso Almeida, O Incrível Comboio Larmanjat, ed. Mediatexto, págs.55).
A.v.o.
De Bic Laranja a 27 de Junho de 2008
Grato pela interessante indicação e pela referência. Não teve grande êxito o Larmanjat, ao que sei.
Cumpts.
De Atentti al Gatti a 1 de Julho de 2008
É verdade. A concepção técnica, em relação ao comboio clássico, de que é contemporâneo, já evidenciava fraquezas que se encarregariam, a seu tempo, de lhe encurtar a existência. Mas o que o matou, em primeira mão, foram as deficiências da administração. Há males que já vêm de longe.
A.v.o.
De Bic Laranja a 15 de Julho de 2008
Pois!... Cumpts.
De paulo cangalhas a 26 de Outubro de 2008
Pois é
SR. Bic Laranja.

quem diria uma rua com o meu nome ,pois é; e agora tão com o problema de ter de andar com as cangalhas em cima ... , não se massem que os animalzinhos também bem já usaram, como a tempos a trás as bestinhas precisavam para andar na linha .
O mais curioso é que eu pensava que só havia cangalhas nos Alentejos , mas por visto alentejo tambem tá em Lisboa.
De Bic Laranja a 30 de Abril de 2013
:) Cumpts.

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____