18 comentários:
De Bic Laranja a 27 de Julho de 2008
Indesmentível.
Não creio. Vejo gente na apanha um, dois dias em cada ano que lá vou. É porque não compensa, julgo.
Cumpts.
De MCV a 28 de Julho de 2008
Pois. Eu ainda fiz, lá para o sotavento, os meus dois ou três arrastos de pé e mão. Coisa de pouquíssima monta que ainda assim provia o jantar.
Já no barlavento era a lapa e o caramujo. Coisas que me parecem ser (e são) de outro milénio.
Aqui pelas bandas que retrata, recordo-me de uma ida e volta, pela areia, dos toldos de Vilamoura junto à marina, até aos Olhos d'Água.
São, como digo, coisas de outro milénio. Para já não dizer de outro século.
Abraço
De Bic Laranja a 29 de Julho de 2008
Recordou-me um engº da CP que também no arrasto de pé e mão providenciou um petisco para uns quantos da família. E tinha jeito para a cozinha. Eu lavei a frigideira não fosse o caso de parecer que só lá fui para comer.
Esse passeio da Vilamoura aos Olhos de Água é um feito só para se levar a cabo pela baixa-mar. O problema ao depois é voltar...
Cumpts.
De MCV a 29 de Julho de 2008
Não me recordo dos pormenores. Julgo que havia uns cabos a transpor, mas nada que nos pusesse problemas.
Certo, certo, é que chegados aos Olhos d'Água, ali mesmo requeríamos um carro que nos levasse a casa. Mas não. Não apareceu nenhum.
Voltámos pelo mesmo caminho e quase de pronto. O que diz que aproveitámos a maré. Muito embora eu não me recorde de ter havido cuidado com tal.
Coisas de tineijâr incon'ciente.
Abraço
De Bic Laranja a 31 de Julho de 2008
:) Cumpts.

Comentar