21 comentários:
De MCV a 18 de Agosto de 2008
É uma boa fotografia e um documento muito interessante.
Já fiz parte do percurso que tinha planeado para essa zona mas, por circunstâncias várias, foi feito sem o tempo necessário à fotografia.
Conto lá voltar um destes dias.
Abraço

P.S. Será impressão minha ou a ponte dita terceira travessia está assim como a viola, no saco?
De Bic Laranja a 18 de Agosto de 2008
Atente neste velho troço da Estrada de Chelas se puder. Entre a Afonso III e a Gualdim Paes. Mas tome por favor cautela que é um troço de estrada mal frequentada.
A 'travessia' (ai!) parece que está em banho maria.
Cumpts.
De Paulo a 18 de Agosto de 2008
Apetece-me comentar esta foto por duas razões, andei na Patricio Prazeres e a Afonso III é-me familiar porque descia e apanhava o Eléctrico.
A outra é porque hoje visitei um amigo de há muitos anos que mora ao pé da Zona J em Chelas, e que se chama Zé da Guiné.
Desculpe estar a ocupar este espaço com esta conversa, mas se alguém se lembra da noite de Lx dos anos 80 e 90, decerto vai lembrar-se dele.
Actualmente está pregado a uma cama, com uma doença.
De Bic Laranja a 18 de Agosto de 2008
Lamento saber do seu amigo. Estimo as melhoras!
Cumpts.
De T a 19 de Agosto de 2008
Essa estrada é mesmo perigosa.Uma vez iam caindo ossários aí!!
Lembro-me do Zé da Guiné. Sabia que ele estava doente.
De Bic Laranja a 21 de Agosto de 2008
Desta vez disseram-me que era perigosa por causa dos vagabundos que vivem nas rúínas. E pode ser.
Cumpts.
De jrd a 19 de Agosto de 2008
Aqui, nem se mudaram os tempos nem, pelos vistos, as vontades.
De Bic Laranja a 21 de Agosto de 2008
Mudaram-se os tempos sim. Demoliram muita coisa, inclusive os muros altos que a caracterizavam. Mas deixaram o entulho, que demonstra não terem mudado as vontades.
Cumpts.
De Paulo a 19 de Agosto de 2008
T. acho que o BIC orange não vai levar a mal, o Zé foi para mim e para muitos, um icon da nossa querida Lisboa.
Fico feliz por saber que você se lembra dele.
Obrigado em nome dele, e obrigado ao BIC.
De Bic Laranja a 21 de Agosto de 2008
De nada. Cumpts.
De Atentti al Gatti a 20 de Agosto de 2008
Efectivamente, este toço está um destroço. Idem, as adjacentes Calçadinha de Stº António e Travessa da Amorosa. Contudo o lado da Av. Afonso III está em melhor estado. Por lá se queda um bonito chalet de fazer inveja ao bairro da Lapa.
A.v.o.
De Bic Laranja a 21 de Agosto de 2008
A calçadinha de Santo António já não leva a lado nenhum: não passa das escadinhas no entroncamento com a Estr. de Chelas. A Tr. da Amorosa ainda é transitável, creio. Mas tem razão a estrada aqui é um destroço.
Cumpts.
De Agostinho de Paiva Sobreira a 21 de Agosto de 2008
Desculpe a ousadia mas esta centenária Estrada de Chelas merece mesmo ser comentada.
Efectivamente (já lá vão muitos anos) vieram parar à Estrada ossadas do Cemitério.
No ano (2006) fui visitar essa Estrada e fiquei surpreendido com as casas que estavam em ruínas, principalmente depois da Travessa da Amorosa até à bifurcação com a Rua Gualdim Pais, passando pelo Pátio José Inglês.
Quando rapaz (nos anos 40 do século passado) ia
muitas vezes comprar folhas de amoreira (para alimentar os meus bichos-da-seda) a uma quinta que ficava na Calçadinha de Santo António (salvo erro). Hoje mete medo passar por ali.
Um abraço
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Desculpe a ousadia mas esta centenária Estrada de Chelas merece mesmo ser comentada. <BR>Efectivamente (já lá vão muitos anos) vieram parar à Estrada ossadas do Cemitério. <BR>No ano (2006) fui visitar essa Estrada e fiquei surpreendido com as casas que estavam em ruínas, principalmente depois da Travessa da Amorosa até à bifurcação com a Rua Gualdim Pais, passando pelo Pátio José Inglês. <BR>Quando rapaz (nos anos 40 do século passado) ia <BR>muitas vezes comprar folhas de amoreira (para alimentar os meus bichos-da-seda) a uma quinta que ficava na Calçadinha de Santo António (salvo erro). Hoje mete medo passar por ali. <BR>Um abraço <BR class=incorrect name="incorrect" <a>APS</A>
De Bic Laranja a 21 de Agosto de 2008
O pátio já não existe. O resto é cenário de guerra mesclado de lixeira. Sobrevivem umas casas muito velhas além da Tr. da Amorosa.
Cumpts.
De T a 23 de Agosto de 2008
Os ossários terá sido há uns 8 anos talvez. Ficaram pela encosta e fechou-se durante um tempo a estrada.
Estavam vazios, felizmente.
De Bic Laranja a 24 de Agosto de 2008
Sem chegar à estrada, portanto. Mas há um muro muro muito alto num pedaço da estrada que confina com o cemitério. E a cota do cemitério atrás do muro é bem mais alta que a estrada. Se o muro cede... Cumpts.
De Luciana a 25 de Agosto de 2008
Os amantes dos “chavões” televisivos e jornalísticos deveriam estar mais atentos!
Bem... o pior é que para esta estrada não se vai com estatuto de enviado especial, nem se viaja em primeira classe!… :-)

Abraço
De Bic Laranja a 25 de Agosto de 2008
Essa é a verdade. Cumpts. :)
De marco mendes a 30 de Março de 2010
desculpem intrumeter me na vossa conversa e por ela os senhores devem ter muito mais idade que eu mas eu morei na calçadinha de st antonio nº1 que era ao cimo das escadas do lado esquerdo muitos anos (19) e nao foi assim tao mau, muito pelo contrario, fiz varias amizades que ainda hoje persistem e tenho varias saudades do bairro. a minha casa era essas 3 janelas que se encontram la a frente nesta fotografia, as 3 janelas de baixo, por cima morava o pardal.agora e que esta muito mau devido ao centro de acolhimento que la contruiram na gualdim pais.cumprimentos
De Bic Laranja a 31 de Março de 2010
Grato pelo seu testemunho.
Ainda será do seu tempo a Calçadinha continuar até à Rua do Sol a Chelas?
Cumpts.

Comentar