De Paulo Cunha Porto a 23 de Setembro de 2008
São fotografias destas que me fazem compreender Chesterton, quando se insurgia contra a frase de Oscar Wilde, segundo a qual o pòr-do-Sol era coisa para esquecer, porque não se podia pagar. Dizia ele que qualquer um poderia pagar o pôr-do-Sol, bastava não ser Oscar Wilde. Aqui está a prova como - contemplando-o.
Abraço
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.