9 comentários:
De Luísa a 26 de Setembro de 2008
Não conheço a série, caro Bic, mas diria que a ideia pode ser, apenas e só, a de provocar o «frisson» de uma «guerra dos sexos». :-)
De cabo carvoeiro a 26 de Setembro de 2008
Os autores das series made in USA actuais, são como os banqueiros US , e os fabricantes de armas, quanto mais transacções houver mais comissões entram para o bolso, as guerras são indispensáveis para a economia US , mas para voltar as series, se bem que me lembro, li que há 10 atrás havia aproximadamente 700 000 advogados nos USA, esta gentinha tem que viver e bem, por isso a tv têm de reflectir a imagem do país , sabendo que tv tem um stock de advogados a sua disposição , eles naturalmente puxam a brasa para a sua sardinha, ou seja mostrar sempre um mundo violento aonde todos os seres humanos são culpados, e potencias criminosos, sendo assim hoje trata-se de mulheres amanha os cegos cães e sei lá mais o quê.
De Once a 26 de Setembro de 2008
provavelmente .. e com contornos de exemplo a seguir já que associa duas gerações :)

Bom fim-de-semana
De Paulo Cunha Porto a 26 de Setembro de 2008
Enfim, Caro Bic, tudo isso será grande novidade? Com a experiência multissecular de caçar partidos, este desenvolvimento até parece brincadeira de crianças....
Abraço
De Luciana a 27 de Setembro de 2008
Essa série não conheço… mas definitivamente não me identifico!
Deve faltar-me um ship feminino qualquer… :-) Não suporto séries tipo “Sexo na Cidade” ou “Donas de Casa Desesperadas”. Aliás, irritam-me a maioria das séries "só com mulheres" ou supostamente para mulheres. As séries, as revistas, as lojas… Haverá cura para o meu mal? :-)
E já agora… porque raio acharão algumas pessoas que o mundo seria melhor a preto e branco?

Abraço
De Bic Laranja a 27 de Setembro de 2008
Luísa: Se for calo-me já que não quero guerras. :) // Cabo carvoeiro: trata-se de promover as existências em armazém, portanto... // Once: Lançar fundamentos duma sociedade máscula? Cuja sequência evolutiva é o mundo demencial daqueloutra série... como é o nome? // Paulo Cunha Porto: Pode ser. Mas passar de raposa a lobo é retrocesso... // Luciana: O alcance desta série é o oposto. Propõe um modelo único (neste caso másculo) a todos independentemente do género. E um modelo único para todos é a sarna quotidiana... // Cumpts. a todos.
De T a 27 de Setembro de 2008
A série é fraca, tem pouco ritmo e é mal interpretada. Ontem os maus porém eram um casal! Menos mal.
Mas começam a surgir boas séries policiais com detectives femininas e só como exemplo refiro Cold Case e Saving Grace. A questão, como em tudo na vida, é ser selectivo. Ah e uma série generalista, risos, Brothers and Sisters. Um espectáculo.
Cumprimentos senhor Bic:)
De Bic Laranja a 28 de Setembro de 2008
Não selecciono. Apanho o que calha mas só de relance. A televisão marca-me mui pouco a agenda.
Dos irmãos vi uma vez um episódio; um deles era larilas (todas as famílias devem incluir orgulhosamente pelo menos um, pareceu-me ser a mensagem)... O resto também não me despertou interesse, desculpe a sinceridade.
Cumpts.
De T a 28 de Setembro de 2008
Não tenho nada a desculpar, cada um de nós tem os seus gostos e assim é que é:) Eu gosto de séries televisivas, mas não sou pessoa que veja televisão regularmente. Prefiro fazer o download ou comprar e ver o que me interessa.
Cumpts:)

Comentar