15 comentários:
De Atentti al gatti a 31 de Outubro de 2008
Isto ainda foi no tempo em que a Doca de Alcântara era conhecida por Doca do Espanhol e a de Stº Amaro por Doca do Pinho. Áh! E não havia bares. A tasca mais próxima ficava na Rua da Cozinha Económica.
A.vo.
De Margarida Pereira a 31 de Outubro de 2008
Caríssimo "Attenti" (com licença do anfitrião), V.Exa. por acaso tomou conhecimento das interrogações que lhe coloquei há uns dias?
'Perdi' o acesso (aproveito para explicar ao paciente 'Bic' que às vezes não consigo 'abrir' este blogue durante o dia todo...; já aumentaram a capacidade do computador, mas estando tudo 'activo' (falo de dia de trabalho e de computador idem), este simpático e vital espaço de memórias e reflexões é - dizem - 'muito pesado'. Daí às vezes, desesperada e com os nervos já em franjinha, só conseguir 'abrir' muitas horas depois do que desejava... - agora, p.ex., foi 'uma sorte'!!! :))) - só tenho este problema consigo - soit disant - e com o excelso Jansenista...- o 'peso' da erudição e da beleza supera o dos metais preciosos, está bom de ver...)
Bom, mas dizia ao querido "Attenti" que não consigo recuar ao 'histórico' para ver se 'respondeu'...
(o mesmo sucede com o sábio Carlos Portugal, com imensa pena minha, pelo que, sabendo V.Exas. do meu e-mail, escrevam-me. Garatujo num 'belogue', está por aí. Por gentileza.)
Grande xi-coração para todos.
E, ao magnânimo 'Bic Laranja', um beijinho muito especial por ser tão querido com esta chata!
De Bic Laranja a 31 de Outubro de 2008
Obrigado pela estima e pelo alerta! Lastimo mas não sei que fazer, mais do que escrever ao Sapo a pedir ajuda. Vamos aguardar.
Cumpts.
De Atentti al gatti a 2 de Novembro de 2008
Com um pedido de desculpa a Bic Laranja pela ocupação abusiva (estou a treinar para contentor alcantarense) informo a estimada Margarida que receio bem não ter tomado conhecimento da sua amável comunicação. Com grande mágoa, acrescento. Ao contrário da Margarida, não tenho problemas no acesso a este forum. mas também costumo trafegar a horas menos movimentadas. Se informasse quais são o blogue e o e-mail, mais fácil sería chegarmos à fala.
B.p.a.m.
De Margarida Pereira a 3 de Novembro de 2008
Bom, abusando da régia hospedagem - princípio do qual nunca se deveria abusar, mas enfim... - cá vai:

http://criativemo-nos.blogspot.com/

o mail está no perfil, as usual...
:))
De Bic Laranja a 31 de Outubro de 2008
Mas havia muita marmita, certamente; que acalmaria o estômago a estivadores eventualmente assanhados.
Cumpts.
De Atentti al gatti a 2 de Novembro de 2008
Desde os tempos da Casa do Conto, que a marmita foi trocada pelo tacho.
A.v.o.
De Margarida Pereira a 31 de Outubro de 2008
... não faltam aqui uns contentores?!
De Bic Laranja a 31 de Outubro de 2008
Está a tratar-se disso...
Cumpts.
De Luísa a 31 de Outubro de 2008
O que me aflige, Bic, é que, se tratarem disso, o nó de Alcântara vai emaranhar-se num formidável nó cego. Não consigo imaginar o que será a circulação naquela zona (por onde tenho de passar quase todos os dias) durante os seis, ou oito, ou dez anos de obras… nem, a bem dizer, depois dos dez anos! E não vai ser só a zona dos contentores que vai esconder-nos o rio. Vamos ter, durante essa eternidade, quilómetros de taipais! :-(

De Bic Laranja a 31 de Outubro de 2008
Descanse. Arregimentados os cidadãos Helena Roseta e Sousa Tavares (mais os préstimos do Mário Crespo) o negócio dos contentores e das obras ali disparou os custos... eleitorais. Bem vê, o mecenato a partidos só existe por contrapartidas e vice-versa.
Cumpts.
De Luciana a 1 de Novembro de 2008
Eh, pá! Fechem já isso! Não deixem entrar a “modernidade”!!!


De Bic Laranja a 1 de Novembro de 2008
Quer dizer o 'pugresso'? Impossível.
Cumpts.
De Atentti al gatti a 2 de Novembro de 2008
Pois, segundo a Liscont, não haverá uma "muralha de aço". Mas a gente olha para o terminal de contentores de StªApolónia e é exactamente isso que vê. Também não cobra o argumento de que os ditos contentores irão ocupar o lugar de edifícios com cérceas mais altas. Faltou acrescentar: «pouco» mais altas e espaçados entre sí. É que mesmo assim, prefiro os edifícios. E também prefiro não ter que suportar os prejuízos para a circulação, para o meio ambiente e para o asfalto, provocados pelos 234 mil camiões anuais que, no mínimo, se juntarão aos já existentes. Já não prefiro que me metam os dedos nos olhos, em lugar de um debate honesto onde, com um máximo de informação fidedigna, se discutam os prós e os contras.
A.v.o.
De Bic Laranja a 2 de Novembro de 2008
Estou para ver a lotaria que sai ao dr. Sousa Tavares e à arqª Helena Roseta.
Cumpts.

Comentar