Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

24 | P.Chile

Tornando à esferográfica azul.

Eléctrico 24, Lisboa (MTUIR 1963)
24, Largo do Carmo, 1963.
Colecção do MTUIR.


Adenda:

 Este modelo de carro eléctrico, conhecido como "caixote" começou a ser fabricado nas oficinas da Carris, em Stº Amaro, a partir do final da II Guerra. Dediquei-lhes um òdiozinho de estimação, na minha infância. É que estes eléctricos eram feios. Com aquelas linhas direitas, pareciam cortados a machado. Ainda por cima, as janelas, com vidros de baixar, que não recolhiam completamente, deixando uns centímetros de fora, davam-me pelo ombro, além de terem portas que nos isolavam do bulício do exterior.
 E os atrelados ainda eram piores. Nesses as janelas davam-me pelo queixo. Para cúmulo, era sempre para aí que o meu pai me rebocava. Que raio de predilecção aquela! Os outro modelos, sim! Reboludinhos, com vidros de subir que escancaravam janelas onde, de cotovelo apoiado no peitoril víamos, de camarote, a rua a desfilar. Em vez de portas, tinham grades, que deixavam o mundo ao alcance da mão e ainda davam para confraternizar com a malta da "pendura". Eram outro luxo!
Os "caixotes" começaram a ser retirados a partir de 1992, sem que eu, traumatizado, tivesse feito as pazes com eles.
Actualmente, existe apenas um exemplar, para amostra, no Museu da Carris.
A.v.o.

Comentário de Atentti al gatti, 26 Nov 2008.

Escrito com Bic Laranja às 06:55
Verbete | comentar
19 comentários:
De Margarida Pereira a 24 de Novembro de 2008 às 20:47
Eh!... que lindo..., eu acabara de nascer há um mês!... mas a trezentos quilómetros.
:))
De Bic Laranja a 25 de Novembro de 2008 às 00:04
Do Carmo ou da Praça do Chile? :) Cumpts.
De Margarida Pereira a 25 de Novembro de 2008 às 11:01
:) De ambos, mais coisa menos coisa...
;)
De Bic Laranja a 25 de Novembro de 2008 às 22:33
:) Cumpts.
De Luciana a 25 de Novembro de 2008 às 13:15
Tantas vezes fiz eu esta viagem!... Penso até que a fiz dentro da barriga da minha mãe, uns anitos depois desta aqui.

Tantas memórias de – e em - Lisboa!…

Abraço
De Bic Laranja a 25 de Novembro de 2008 às 22:33
:) Cumpts.
De Atentti al gatti a 26 de Novembro de 2008 às 00:40
Este modelo de carro eléctrico, conhecido como "caixote" começou a ser faricado nas oficinas da Carris, em Stº Amaro, a partir do final da II Guerra.
Dediquei-lhes um ódiozinho de estimação, na minha infância. É que estes eléctricos eram feios. Com aquelas linhas direitas, pareciam cortados a machado. Ainda por cima, as janelas, com vidros de baixar, que não recolhiam completamente, deixando uns centímetros de fora, davam-me pelo ombro, além de terem portas que nos isolavam do bulício do exterior.
E os atrelados ainda eram piores. Nesses as janelas davam-me pelo queixo. Para cúmulo, era sempre para aí que o meu pai me rebocava. Que raio de predilecção aquela! Os outro modelos, sim! Reboludinnhos, com vidros de subir que escancaravam janelas onde, de cotovelo apoiado no peitoril viamos, de camarote, a rua a desfilar. Em vez de portas, tinham grades, que deixavam o mundo ao alcance da mão e ainda davam para confraternizar com a malta da "pendura". Eram outro luxo!
Os "caixotes" começaram a ser retirados a partir de 1992, sem que eu, traumatizado, tivesse feito as pazes com eles.
Actualmente, existe apenas um exemplar, para amostra, no Museu da Carris.
A.v.o.
De Bic Laranja a 26 de Novembro de 2008 às 20:31
Sei do que fala. Eu, em menino, nos atrelados do 17 para a Belém só chegava à janela ao colo da minha mãe.
Cumpts.
De Paulo a 27 de Novembro de 2008 às 08:26
Eu quando ía para a Patricio, preferia o 27 porque até às 07h30 tinha o bilhete operário.
De Bic Laranja a 27 de Novembro de 2008 às 18:33
O 27 também era destes, parece-me.
Cumpts.
De Atentti al gatti a 28 de Novembro de 2008 às 00:10
Muito grato por mais esta amabilidade de dar destaque ao debafo de um ex-puto que nunca curou a aversão aos "caixotes", nem curou a saudade dos outros eléctricos, nomeadamente dos "salões" com lanternim.
A.v.o.
De Bic Laranja a 29 de Novembro de 2008 às 11:05
Ora essa! Obrigado eu!
Cumpts.
De Andre a 28 de Abril de 2010 às 14:06
O teu pai rebocava-te para os reboques secalhar porque os carros motores eram reservados para utentes com passe carris, lembras-te?
De André a 28 de Abril de 2010 às 14:10
desculpa esquecime de agradecer, obrigado por recordarnos dessas malamadas caixas, que ao pé dos sempre lindos standarts e salões, eram tipo patinhos feios! bgd cumps
De Pedro Cação a 21 de Junho de 2015 às 04:33
Estes 'Bichos Amarelos' marcaram-me a infância.Recordo-me de ter viajado em todos,à excepção do 'Caixote' ligeiro bidireccional que está presente no museu da Carris.Os eléctricos unidireccionais tanto puxavam os reboques como andavam sózinhos.Memórias!
De Pedro Cação a 21 de Junho de 2015 às 21:46
Quanto aos modelos aqui referidos,os 'Caixotes',eram espectaculares!No Porto,há uns semelhantes conhecidos por Pipis.
De Bic Laranja a 22 de Junho de 2015 às 16:17
Os caixotes tinham realmente um ar moderníssimo em fns dos anos 40.
Cumpts.

Comentar

Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Caminhos de Ferro Vale Fumaça
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Ultramar

arquivo

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

RSS

____