9 comentários:
De Bic Laranja a 24 de Novembro de 2007
Como foi o Brasil que nunca ratificou o acordo que assinou em 1945 nada disto tem sentido. Cumpts.
De [s.n.] a 24 de Novembro de 2007
Está nas nossas mãos fazer um boicote TOTAL a esta palhaçada, e escrever como nos ensinaram na escola. Quem não quiser escrever Português que escreva o que lhe apetecer, mas a minha(riquíssima) língua materna não está à venda.


JA
De Bic Laranja a 24 de Novembro de 2007
Luar e Scarlata: Essa do 'úmido' sem 'h' demonstra bem donde são os que desejam o acordo. Cumpts.
De Scalata a 23 de Novembro de 2007
Nao tenho palavras... Alguém me explica a necessidade do acordo? Nao me lembro de acordos do género no que diz respeito a outras linguas. :#
De Luar a 23 de Novembro de 2007
eu que já não sei escrever pois baralho tudo vai ser lindo! Mas só de pensar que se vai passar a escrever úmido e não húmido parece-me muito mal e facto é fato?! Mania de mexer ou será mecher???
De Bic Laranja a 23 de Novembro de 2007
Não será errado escrever 'factura' desde que a consoante 'c' se pronuncie. E eu, que sou português, pronuncio-a: quando pronuncio a vogal átona da primeira sílaba com o 'á' aberto. Cumpts.
De Rosmaninho a 23 de Novembro de 2007
Preocupa-me é saber se o que até agora escrevia sem erros, vai passar a ter erros quando o escrever. E quanto a comprar livros, talvez se me acabe o vício ou passe a ler originais nas línguas estrangeiras que conheço, pois se já agora evito o brasileiro ou brasilês por me irritar a pronúncia, depois não sei o que será... E irão os autores portugueses que admiro ceder à tentação da perda das consoantes para conquistar o espaço para mais alguns (poucos) caracteres? E eu que pensava que este dia era uma utopia...
De Bic Laranja a 22 de Novembro de 2007
Sem duvida. E se não se eliminam duplas grafias a situação presente serve. Cumpts.
De O Réprobo a 22 de Novembro de 2007
E para além do crime, Meu Caro Bic, é asneira: os editores não vão vender mais livros por as grafias se aproximarem. Quem quer ler já o faz, bem, assim; e quem se sente intimidado continuará renitente, por causa da construção frásica. Abraço

Comentar