De Atentti al gatti a 22 de Dezembro de 2008
Aquí há uma geração atrás, também eu andei a roubar azulejos, mas de paredes arruinadas, conseguindo que pelo menos alguns exemplares não fossem transformados em entulho. Alguns deles saíram dos restos de um palacete que ficava na Av. 5 de Outubro, mais ou menos onde hoje está o edifício que albergou a RTP. Naquela altura(quase)ninguém quería saber de azulejos velhos. Acabei por oferece-los todos.
Actualmente as coisas modificaram-se muito. Por exemplo: os tóxico-dependentes adquiriram intuitivamente uma noção muito sui generis de património. Vai daí arrancam azulejos à pressa e de qualquer maneira, partindo muitos deles, para depois os puderem trocar pela única coisa que verdadeiramente estimam. Outras vezes vão parar às mãos de mandantes, que não estão para arriscar o pêlo. Isto acontece tanto nos grandes centros como em locais recôndidos. Neste caso, espero que os azulejos tenha sido retirados para local seguro, mas parece-me uma hipótese pouco verosímil.
A.v.o.
De Bic Laranja a 22 de Dezembro de 2008
Também me parece.
Feliz Natal!
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.