14 comentários:
De MCV a 15 de Março de 2009
"O bom sabor dos velhos tempos!" - sem dúvida.
Sobre estes anúncios luminosos no Rossio, há tempos cruzei-me ao mesmo tempo com quem deles se recordava com saudade e com quem os achava deploráveis sobre a praça.
Eu tenho uma certa nostalgia do Rossio desses tempos. Talvez, como a maior parte das nostalgias, se deva apenas à nossa idade na época.
Tenho pena que tenham desaparecido.
Abraço
De MCV a 15 de Março de 2009
Agora fiquei aqui com a dúvida: esse "bom sabor dos velhos tempos" não era da Macieira?
Do Constantino lembro-me que tinha "a fama que vem de longe".
Abraço
De Bic Laranja a 15 de Março de 2009
Ficou vossemecê e agora eu. É esperar que alguém com memória mais certa resolva.
As saudades de certas coisas, acredito, são como diz: por causa da idade em que as descobrimos.
Cumpts.
De Bic Laranja a 15 de Março de 2009
Mas é bem capaz de ter razão.
A memória a pregar partidas, ai ai!
Cumpts.
De Ana Vidal a 15 de Março de 2009
É como dizer "mine" (mini), ou "piqueno", ou "devertido". Todos estes tiques de linguagem, curiosamente, têm uma imediata identificação temporal e/ou social.
De Bic Laranja a 15 de Março de 2009
Sim. Mas o brande passou à escrita. Oficial. Cumpts.
De António Viriato a 15 de Março de 2009
Caro Amigo,

Boa observação. Essa preocupação com o idioma anda hoje completamente arredia do pensamento dominante das nossas pretensas elites, que acumularam ignorância, na proporção de certos rendimentos de que usufruem, sabe Deus por que artes.

Hoje, nem um teste drive pode ser teste de condução, nem um spread pode ser desvio, ou taxa de lucro do Banco, já que o spread/desvio implica dois sentidos, positivo ou negativo, e o dos Bancos é sempre praticado num só sentido, só descendo a parte imposta pela Entidade europeia.

Coisa idêntica se tem passado com os preços dos combustíveis : rápidos a subir, lentos na descida, em oposição até às conhecidas leis da Física newtoniana.

Melhores dias virão, espera-se.

Bom início de semana.
De Bic Laranja a 15 de Março de 2009
Ouço o sr. primeiro ministro vociferar 'bota-abaixismo' e percebo como enriqueceu o vocabulário pelas telenovelas. Não tem mal, é uma questão de cultura...
O acordo ortográfico, que o vejo impor, não passa dum negócio qualquer. Demosntra todavia que o caso é mais grave: é civilizacional. Outros tempos virão. Se melhores...
Obrigado pelas suas certeiras observações. Boa semana.
De Attenti al Gatti a 15 de Março de 2009
Como escreví neste forum, há pouco tempo atrás, o anúncio do brandy Constantino e o do Fósforo Ferrero (assim uma espécie de espigas a oscilarem) fazem parte das memórias da minha infãncia.
Chegava eu, em companhia dos meus pais, à saída da estação do Rossio e lá estavam os anúncios animados a receber-nos em apoteose. E eu, antecipava com gozo, os momentos que antecediam este culminar.
Curiosamente, não me recordava o anúncio dos relógios Ómega.
Como bem diz MCV, a frase "A fama que já vem de longe" correspondia ao brandy Constantino. "O bom sabor dos velhos tempos" era pertença do brandy Macieira. E era este último que estava anunciado no autocarro de dois pisos estacionado no Rossio, à noite, tendo em primeiro plano a fonte do lado do Tejo. Este anúncio é, relativamente, recente. Talvez dos anos 90. Existe uma foto, muito mais antiga, em que é aproveitado o depósito de uma zorra (um eléctrico destinado á reparação e manutenção das linhas) para simular, imaginosamente, um barril de Macieira. Suponho que seja dos anos 60.
A.v.o.
De Bic Laranja a 15 de Março de 2009
Os anúncios do Rossio (da baixa) deixaram muita saudade. Já vi isso noutros blogos. Marcaram o Rossio duma certa época e tinham muita mais graça que a moderna publicidade despejada como lixo civilizacional por todo o lado.
Confundi as marcas mas o anúncio era como descreve. É já dos anos 90? Mais uma confusão minha (hoje estou de todo).
Dessoutro anúncio não me lembro, mas da Macieira havia a Hermínia...
Cumpts.
De Luciana a 15 de Março de 2009
O problema com os reclames agora é que nem têm uma fama que vem de longe, nem têm o bom sabor dos velhos tempos!
Já diziam os outros: agora - em tudo – é a sociedade do “usa e deita fora”! Nem chega para memória.

Abraço
De Bic Laranja a 17 de Março de 2009
Parece-me ter aí certa razão. :)
Cumpts.
De António a 17 de Março de 2009
Diga-me, não acha que deveria ter escrito "que o anúncio era" no lugar de "que o anúncio fosse"; melhor, não deveria ter empregue o verbo ser em vez dos verbos "ir" ou "fossar"?
Cumprimentos
De Bic Laranja a 17 de Março de 2009
Tenho a impressão que o motivo do seu comentário não é a gramática. Senão logo lhe explicaria o modo conjuntivo dos verbos.
Cumpts.

Comentar