45 comentários:
De Ricardo Moreira a 23 de Agosto de 2009
Quando foram tiradas tinha eu só 5 aninhos, mas estão lá muitas coisas de que eu ainda me lembro.
- As "minhas" carreiras: 3, 16 e 27
- "Aquele" Largo do Rato
- As ruas quase sem carros (quer a andar, quer estacionados)

Aparece lá uma coisa que eu nunca tinha visto: um 15 com atrelado. Aquela ida ao Estádio viria de onde? Do C.Sodré?
De Bic Laranja a 23 de Agosto de 2009
Aquele 15, talvez por ser de atrelado, não devia ter Cruz Quebrada na bandeira e valeu-se do Estádio. Valiam ambas, sabe. A pouca gente deve-se às fotografias serem domingueiras, não lhe parece? E muito provavelmente 'Agosteiras' também.
E depois, claro, aquele Rato.
Cumpts.
De Ricardo Moreira a 23 de Agosto de 2009
Parece-me mais terem sido todas feitas em diferentes épocas do anos. Tanto se vê, numas, gente em mangas (curtas) de camisa como, noutras, pessoas com pull-overs!
De Bic Laranja a 24 de Agosto de 2009
Deixe-me discordar. Os meios agasalhos vêem-se nas com maior sombra, pelo fresco da manhã. De mais a mais o fotógrafo não é de cá. É talvez coisa para uma semana de férias. Mas é tudo suposição, claro.
Cumpts.
De [s.n.] a 29 de Maio de 2015
É relativamente simples: na verdade, cheguei a ver sair do Terreiro do Paço («P.Comércio») bastantes eléctricos 15 com bandeira de destino «ESTÁDIO». Isso é do tempo em que o términus da linha 15 já era no Terreiro do Paço. Mas a primeira modalidade da linha para o Estádio, segundo julgo saber, foi como serviço extraordinário da linha 15, precisamente a partir do Cais do Sodré, em dias de jogos de final da Taça de Portugal e outros eventos desportivos movimentados no tempo do Estado Novo. E convém lembrar que o términus do serviço normal da linha 15 começou por ser no Rossio, sendo encurtado ao Terreiro do Paço quando, entre 1945 e 1948, foram «recuados» os terminais ali localizados, como intuito de diminuir a circulação de eléctricos das ruas da Baixa. Foi assim que os terminais das linhas 9,15 e 18 passaram para o Terreiro do Paço, os das linhas 1,2 e 13 passaram para os Restauradores, o da 12 para a Praça da Figueira e o percurso das linhas 10-11 foi desviado das ruas do Ouro e Augusta para as Ruas dos Fanqueiros e da Prata, via Praça da Figueira. Pelo Rossio e Ruas do Ouro e Augusta ficaram então apenas as circulações 22-23 e 25-26, até 1960, e o terminal da 28, aos domingos e feriados e fora das horas de ponta (nos restantes períodos foi relocalizado na Rua da Conceição...).

(propositadamente redigido em desconformidade com o chamado Novo Acordo «Ortográfico» da Língua «Portuguesa»))
De Bic Laranja a 29 de Maio de 2015
Muito obrigado do seu comentário, tão cheio de informes.
Cumpts.
De Miguel Vaz Pinto a 11 de Junho de 2017
Eu lembro-me de ir jogar ténis ou rugby ao Estádio Nacional de eléctrico. Lambro-me vagamente de passar num bairro de barracas que aí havia, com "retornados" de Timor. Não sei se será só impressão, mas parece-me que haveria alguns elécricos que ficavam na Cruz Quebrada e outros que iriam até ao Estádio, mas de uma forma regular.
Óptimas fotografias. Cumprimentos
De Bic Laranja a 21 de Abril de 2023
Os Eléctricos tinham duas bandeiras — Cruz Quebrada e Estádio — mas o término era no mesmo lugar. Ainda lá vão hoje. Ou já não...?
Os «tártaros» enxamearam o vale do Jamor, mas a destratarização ficou completa no referendo à independência de Timor: ou escolhiam ser timorenses ou indonésios. Portugueses é que não. Podemos chamar-lhe higiene oral. Foi limpinho!
Cumpts.
(13 de Junho 2017, 11:16)

Comentar