4 comentários:
De Carlos Portugal a 19 de Outubro de 2009
Caro Bic:

Para além dos disparates relativos ao caos de circulação que tal irá provocar e da fealdade patente do projecto, tal «solução» será o fim a curto prazo dos já abaladíssimos alicerces dos edifícios da Marinha. Recordemos que os estaleiros setecentistas e oitocentistas da Ribeira das Naus eram em doca seca, e não num pântano pós-modernista...

Estas cabecinhas pensadoras só sabem criar aberrações. «Os melhores ateliers de arquitectura»... Vêm-se bem os critérios subjacentes a tal avaliação! Que tristeza!

Cumprimentos.
De Bic Laranja a 20 de Outubro de 2009
O critério do melhor só vejo um. O da Frente Tejo, S.A.. Quando é que há eleições para a Frente Tejo?
Cumpts.
De Costa a 22 de Outubro de 2009
E, como não poderia deixar de ser, praticamente nem uma árvore, nem uma sombra protectora, nesta proposta para uma cidade de luz meridional e que apesar de tão gabada chega a ser agressiva (escreve um alfacinha, nado e criado, e que comete a decerto gravíssima falta de preferir vastamente o Porto a Lisboa).

Para além do costumeiro e despudorado cinismo destas maquetas: feio ou bonito, integrado ou deslocado, o que apresentam é sempre ordenado, limpo, "acabado" (patamar quase místico que as obras nesta cidade nunca alcançam) e, vejam, praticamente sem tráfego automóvel. Nada, nada de nada a ver com a forma que as coisas fatalmente hão-de tomar.

Costa
De Bic Laranja a 23 de Outubro de 2009
São maquetas da Legolândia. Cumpts.

Comentar