Segunda-feira, 9 de Novembro de 2009

O muro da vergonha

 Enquanto alguns se ufanam do seu umbigo ser a razão da queda do muro de Berlim, eu exalto aqui Lisboa que, para lá de ser nome de Tratado europeu, também exibiu ela em tempos um muro da vergonha.
 Quando depois de 74 a Alemanha Democrática abriu uma embaixada em Portugal, foi num prédio novo de nove ou dez andares que fizeram no Alto do Pina. Tinha uma frente para a Rua Barão de Sabrosa e outra para a Alameda de Dom Afonso Henriques (uma rica vista). E tinha um muro a toda a volta, com gradeamento alto por cima, que só deixava metro, metro e vinte de passeio para se circular na rua. O povo das redondezas chamou-lhe logo o muro da vergonha. E com razão.
 Também este muro veio a ser demolido nos anos oitenta.
 

Embaixada da Alemanha Democrática, Alto do Pina (Vasques, s.d.)
Embaixada da R.D.A., Alto do Pina, [s.d.].
Vasques, in Arquivo Fotográfico da C.M.L..

Escrito com Bic Laranja às 21:30
Verbete | comentar
15 comentários:
De cabo carvoeiro a 10 de Novembro de 2009
Era para proteger o paraíso dos ( trabalhadores escravos dos lideres socialistas-comunistas ) que hoje são os maiores mafiosos dos países de leste, isto é que se chama mudar a casaca, o pior é que há ainda muita gente a votar neles, os representantes dos trabalhadores, que nunca fizeram nada se não viver a conta do sistema.
De Bic Laranja a 10 de Novembro de 2009
Temos hoje especímenes tão democráticos como os da defunta República Democrática com modo de vida idêntico. Qualquer democracia é bom argumento para banquetes de sultão. Cumpts.
De Attenti al Gatti a 10 de Novembro de 2009
Este edifício foi construído onde antes havia uma vivenda, edificada num estilo muito apreciado na transição dos anos quarenta para os cinquenta, do século passado. Rodeada de vegetação alta, era a discreta residência do benemérito que mandou erigir a Capela dos Doze Apóstolos, na Barão de Sabrosa, o Pelicano, logo ao lado (na altura,externato) e ainda o grande edifìcio que tem o S. José sobre a porta que dá para a Alameda.
O prédio, foi dos que ilustraram um trabalho, em várias edições, do extinto Diário Popular, dedicado aos "mamarrachos" da capital.
O muro foi construído mais tarde, após a RDA se interessar pelo edificio, com a conivência da C.M.L., a pretexto da necessidade de segurança. Talvez fosse um hábito, já que a embaixada da então URSS, perto do Lgo do Leão, também tinha um muro assim. Eram excepções relativamente a todas as outras instalações diplomáticas, a começar pela embaixada dos EUA. Depois de muita polémica, já entrada a década de 80, o muro veio abaixo. Mas os protestos não cessaram, pois a caixa que se vê entre o peão e o veículo estacionado, ainda ficou no meio do caminho por mais algum tempo, até ser finalmente encostada à parede.
Hoje, uma geração depois, nem muro, nem embaixada, nem RDA. Apenas ficou o mamarracho que, ao invés de se extinguir também, ainda arranjou companhia.
A.v.o.
De Bic Laranja a 10 de Novembro de 2009
Lembro-me dos pormenores que dá sobre o muro do mamarracho. Sei da história do benemérito do Pelicano (o bom amigo Fernado C. recorde-me o nome dele se me ler aqui, por favor). Não me lembro da moradia que houve no lugar. Nem acho imagens dela completa no Arquivo Fotográfico; queria mostrá-la aqui.
A companhia do mamarracho é sina. Veja lá a simetria com que os ainda compuseram do lado do Técnico, uns cubos envidraçados. Tudo do melhor para implodir.
Cumpts.
De Luísa a 10 de Novembro de 2009
A mim assusta-me passar junto à embaixada de Israel ali perto do Saldanha. Isso sim... pleno século XXI... não há nada melhor... Uma vez, encostei o carro para uma colega minha descer, abri os 4 piscas só para dar tempo de me despedir dela... apareceu logo um senhor polícia a dizer que eu não podia estar parada ali. Eu sei que não estava parada em situação completamente regular, mas também não impedia a passagem de carros e/ou peões (que naquela rua nem são muuuito frequentes, muito menos às 22h), mas tive que "desamparar a loja" a correr...
Ali não há muro, mas há vergonha...
De Bic Laranja a 11 de Novembro de 2009
A vergonha maior é termos chegado ao ponto de interditar permanentemente uma avenida da capital por causa dum vizinho mais importante. Isto só não é um país de vermes rastejantes porque já deixou de ser país há muitos anos. Se a embaixada de Israel quiser reabrir a rua e cobrar uma portagem a P.S.P. zelará pelo negócio.
Cumpts.
De Luciana a 22 de Novembro de 2009
E cobra multa a quem passar sem pagar!

Abraço
De Bic Laranja a 23 de Novembro de 2009
Em se tratando da embaixada de Israel sería terrorismo. Provalmente dará cadeia.
Cumpts.
De Fernando C. a 11 de Novembro de 2009
O benemérito de que fala era Raúl Fernandes, comandante da Marinha Mercante, avô de duas figuras públicas deste país: do académico, ex-deputado Rosado Fernandes e de sua irmã, Cremilde, cravista.
Foi ele quem mandou construir a Igreja dos Santos Doze Apóstolos, o Pelicano (orfanato, só de meninas) e a sua vivenda, todos na Rua Barão de Sabrosa.
O "edifício do S. José" na realidade um Preventório situado no cimo da Alameda de D. Afonso Henriques, também teve a sua mão.
Cumprimentos.
De Bic Laranja a 11 de Novembro de 2009
Bem calculava que nos pudesse ilustrar mais aqui sobre este lugar. Muito obrigado caríssimo amigo.
Abraço!
De Attenti al Gatti a 11 de Novembro de 2009
Didáctico o comentário de Fernando C. Elucidou-me sobre alguns pontos que desconhecía.
A.v.o.
De Luciana a 16 de Novembro de 2009
Vergonha mesmo é o mamarracho! Que pena não ter sido ele a ir abaixo!...

Abraço
De Bic Laranja a 19 de Novembro de 2009
É um prédio sem graça nenhuma, mas deve ter boas vistas. Cumpts.
De Luciana a 22 de Novembro de 2009
Principalmente porque é o único sítio de onde não se vê o dito! :-)

Abraço
De Bic Laranja a 23 de Novembro de 2009
Bem observado. Cumpts. :)

Comentar

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____