Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

A Penha de França em 1858

 Para o problema da Villa Balzac sugeriu o amigo Réprobo metaforicamente que seguisse pista da Torre de Nesle. É uma hipótese...
 As indicações (vagas) que deu João da Ega (ou Eça) para achar o lugar e as razões que o levaram a fixar-se na solidão da Penha de França - "o silêncio campestre, os ares limpos, tudo ali fosse favorável ao estudo" - não dão para mais que uma vaga imagem do ermo que era a Penha de França, como sugere também o amigo Réprobo. Mas de tudo isto sobra-me 1 km de estrada rural - o velho caminho da Penha de França - mais as veredas e os quintais adjacentes para descobrir uma casota num recanto. O melhor que posso fazer é usar a imaginação e confirmar isso através do «Atlas da Carta Topográfica de Lisboa» de Filipe Folque, de 1858. Ou seja, estou como no tempo do liceu: conjecturando...
 Vê o benévolo leitor algum sítio plausível?

 Penha de França, Atlas da Carta Topográfica de Lisboa, (Filipe Folque, 1858)

Legenda:
1) Senhora do Monte (Monte S. Gens);
2) Cruz dos 4 Caminhos (fim da Rua da Graça);
3) Campo da Parada, actual Largo de Sapadores;
4) Início do Caminho da Penha de França, actual rua do mesno nome (sublinhada em amarelo);
5) Caminho de Baixo da Penha (no ponto onde hoje termina; desde aqui para N. foi suprimido pela construção da Av. General Roçadas);
6) Palácio dos Condes de Soure no Monte Agudo (onde actualmente é a Escola de Dona Luísa de Gusmão);
7) Alto da Penha de França (antigo cabeço de Alperche);
8) Terras da Quinta da Machada; ponto onde é hoje a Praça de Paiva Couceiro.


Filipe Folque, Atlas da Carta Topográfica de Lisboa, plantas 14, 21, 39, 1858.
(Arquivo da C.M.L.)

[Clique na imagem para ampliar]


Ajeitado em 10/9 às 10h45.

Escrito com Bic Laranja às 06:01
Verbete | comentar
9 comentários:
De Bic Laranja a 11 de Setembro de 2007
Creio que o caro confrade pode ter razão. Talvez eu subissse da Angelina Vidal até onde foi a fábrica da Favorita, só por me fixar mais ao caminho da Penha; mas coincidimos na mesma encosta; e o mapa mostra uma vereda nessa encosta apontando aproximadamente ao lugar do mercado da Forno do Tijolo. Ainda assim creio que pode ter razão. Cumpts.
De O Jansenista a 10 de Setembro de 2007
Há três candidatos mais plausíveis: R. Angelina Vidal, R. Damasceno Monteiro e R. Heliodoro Salgado. Lembremos que se descia dos Quatro Caminhos, e portanto estava abaixo do nivel, relativamente plano, da cumeada que conduz à Penha de França (a actual rua do mesmo nome). Por outro lado, nas palavras d Eça, "Uma frescura de campos entrava pelas janellas abertas; e entreviam-se arvores de quintal, um verde de terrenos vagos, depois lá em baixo o branco de casarias rebrilhando ao sol", querendo esta última observação significar que havia uma vista a Sul, em direcção à actual Baixa (inclinar-me-ia para o início da Angelina Vidal, no ponto que está acima do actual Mercado do Forno do Tijolo).
De Bic Laranja a 10 de Setembro de 2007
Réprobo: O que diz está certíssimo. Obrigado eu por iluminar a questão! // Manuel: E frustrante. Neste caso não aprendo mais do que o autor quis dar a conhecer. // Cumpts. a ambos.
De Manuel a 10 de Setembro de 2007
Interessantíssima demanda. Interessantíssima hipótese, a do nosso amigo Réprobo.
A tal vontade de entrar dentro dos livros.
Abraço a ambos.
De O Réprobo a 10 de Setembro de 2007
É o dilema com que contavam todos os combinadores de brincadeiras que procuravam locais isolados: que o engenho dos curiosos não igualasse o seu. Abraço amigo, grato pela consideração da hipótese.
De Sara a 6 de Maio de 2013
Boa tarde

Antes de mais queria dar os meus parabéns ao(s) responsável pelo conteúdo existente neste blog.

Sei que esta publicação vai já com uns anos de avanço, mas queria aproveitar este tópico para colocar uma questão para que, eventualmente, alguém me saiba informar.

Tenho enorme curiosidade em saber a história de um edifício situado no início da Rua Angelina Vidal (do lado esquerdo de quem desce) que actualmente se encontra em ruína e ao abandono, sem que seja do meu conhecimento haver algum projecto de reabilitação/demolição destinado para o mesmo. Apresenta uma longa fachada e uma escadaria, ainda hoje utilizada pelos peões, que, presumivelmente, tentam evitar a rua de enorme tráfego e estreitos passeios para chegar à Rua da Graça ou ao Largo dos Sapadores.
É um edifício com uma longa vida pois é facilmente identificável em várias cartografias antigas (nomeadamente esta aqui apresentada de 1958, onde está o número 2).

Agradecia qualquer tipo de informação ou curiosidade, por mais simples que seja, acerca deste edifício que, infelizmente, nos é herdado em forma de ruína...

Cumprimentos
De Bic Laranja a 6 de Maio de 2013
Obrigado pelo apreço e pela sugestão de pesquisa. Sei qual o edifício que diz mas não sei nada sobre ele. Se é o que vem representado na planta aqui, tem mais de 150 anos. Hei-de ver o que descubro.
Cumpts. :)
De Sara a 7 de Maio de 2013
Muito obrigada! Ficarei atenta para o caso de haver alguma descoberta :)

Cumprimentos
De Pedro Freitas a 15 de Abril de 2015
Boa tarde,

o edifício de que fala foi uma fábrica de discos de vinil durante os anos 80 do século passado. Posso tentar saber mais.

Obrigado,
Pedro Freitas

Comentar

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____