Domingo, 14 de Fevereiro de 2010

O 7

 

 O 7 lembro-me de o irmos apanhar à Alameda, ao pé do Pão de Açucar, quando íamos à Tia Etelvina em Odivelas. Também era costume apanhá-lo com o meu pai para a bola, mas nestas vezes descíamos à Praça do Chile, que para a bola o 7 era costume vir sempre muito cheio.
 Das visitas à Tia Etelvina, ao domingo, recorda-me de certa vez, já tarde, que tornámos de táxi e não no 7. O primo Ludgero estava na tropa e veio connosco, tinha que voltar ao quartel. - Foi isto talvez em 74, que a Tia Etelvina andava em cuidados por não saber se o primo haveria de ir ou não para África; tenho memória de a minha mãe a descansar dizendo que com a revolução, era bem provável que já não fosse.
 Pois nessa vez demos boleia ao primo até o Relógio. Como de costume houve disputa comigo e com o meu irmão para ver quem se sentava à frente. O meu pai ditou a ordem dizendo - "Quem vai à frente é quem usa farda. Os soldados são os mais importantes." - Resignámo-nos. O meu irmão fez questão de ser o último a entrar...
 O táxi subiu pela Carriche e pelo Lumiar sem novidade para mim, habituado que estava ao caminho do 7. Estranhei foi o desvio no Campo Grande. Em crianças atentamos em tudo: ficou-me até hoje gravada a imagem nocturna daquela avenida (a 2ª circular) desconhecida, sem casas, iluminada com sucessivos candeeiros baixos e bem ritmados com o avanço do táxi. Parámos no Relógio e enquanto o primo Ludgero saía e se despedia, o meu irmão, afoito, galgou para o banco da frente. Ser o último a entrar dera-lhe afinal a vantagem de ser o primeiro a sair, o manhoso. Ainda esbocei uma reclamação que o meu pai calou não fazendo caso, antes dando de imediato ordem de prosseguir ao motorista. Consolei-me com reconhecer a Avenida do Aeroporto – esta era-me familiar; já lá tinha passado antes de carro com o primo Zeca. – Não tardou chegámos a casa. O caminho do 7 nesse dia ficou arrumado. Mas havia de o fazer em muito domingo até o fim dos anos 70.
 Trago aqui esta historieta minha e que só de raspão se liga com título. Mas se o benévolo leitor for curioso dos autocarros da Carris e estiver interessado na história do 7 encontra-a bastante completa no blogo «História das Carreiras da Carris»: pode ler lá que o 7, o autocarro da Avenida de Roma é sexagenário desde o passado dia 1 de Fevereiro e que a Carris lhe prevê reforma antecipada: tem planos de suprimi-lo em breve.

Autocarrro 7, Alameda (História da CCFL, vol 3)
Autocarro de dois pisos (carreira 7), Alameda, [s.d.].
In História da C.C.F.L. em Portugal (1946-2006)
, v. 3, Carris e Academia Portuguesa da História, 2006, p. 125.

Escrito com Bic Laranja às 13:43
Verbete | comentar
15 comentários:
De [s.n.] a 14 de Fevereiro de 2010
Que saudades que eu tenho do Império destes tempos... e do 7, porque não? Também andei nele várias vezes, mas por ser miuto miúda já não me lembro é para que destinos. Seria o Aeroporto - onde íamos frequentemente - mas também, noutras ocasiões, apanhávamos esse (acho que era o 7) autocarro a partir da Alameda, depois descíamos no Aeroporto e seguíamos noutro com destino à Encarnação onde moravam umas primas nossas, que volta e meia visitávamos? Alameda era ao pé da nossa casa, por isso o Império e Alameda me são tão familiares. Tempos maravilhosos que já não voltam nunca mais.
Maria
De Bic Laranja a 14 de Fevereiro de 2010
Esse que fala foi o primeiro 7. Data da primeira rede de autocarros dos anos 40:
« No dia 7 de Julho de 1945 (sábado) é inaugurada uma nova carreira de autocarros, com o objectivo de servir o Bairro da Encarnação. Esta carreira, com a designação Praça do Chile/Encarnação (directo), parte da Praça do Chile e circula pela Avenida Almirante Reis, Praça do Areeiro, Avenida do Aeroporto, Praça do Aeroporto e Avenida do Brasil [Av. Cidade do Porto?] até ao Bairro da Encarnação.
As viagens efectuam-se aos dias úteis a cada dez minutos, entre as 7h e as 10h e entre as 17h e as 20h. Aos sábados e domingos realizam-se ainda duas viagens após a meia-noite.
A tarifa em vigor nesta carreira é de 1$00.»
In Cruz-Filipe, A minha Página Carris.
Todo o detalhe pelo mesmo autor aqui.
Cumpts.
De tron a 14 de Fevereiro de 2010
como querem reduzir as emissões de CO2 se vão sumprirmir carreiras de autoccaros, bem eu ando sempre a pé mas ir a pé da baixa até odivelas é muito
De Bic Laranja a 16 de Fevereiro de 2010
É muito, é. E uma pessoa a pé tão grande caminho acaba por emitir algum CO2. Pensando bem...
Cumpts.
De tron a 16 de Fevereiro de 2010
sim acaba-se sempre por emitir alguma coisa
De Luísa a 14 de Fevereiro de 2010
Suprimir o 7?!?! Já a tinham encolhido, agora desaparece? Espero que tenham algumas alternativas. OU certos percursos são apra andar a saltar de um autocarro para o outro, com metro à mistura...
De Ricardo Moreira a 15 de Fevereiro de 2010
Pois é Luísa.
Nesta 3ª fase da Rede 7 o pessoal que utiliza o eixo da Alameda das Linhas de Torres-Cç Carriche vai levar com o mesmo que o pessoal do eixo Baixa-Poço do Bispo (pelo interior) levou logo na primeira fase: supressões de carreiras sem a devida substituição!
Mas valeu a pena: passei a andar a pé o que tem sido muito bom para a saúde, para o ambiente e para a carteira.
De Luísa a 15 de Fevereiro de 2010
Andar a pé é saudável e é um hábito que cultivo, mas nem sempre podemos andar a pé... ou porque vamos com pressa, ou porque vamos carregados, ou porque chove a potes. E as crianças e os mais velhos? Eu já não moro em Lisboa, mas de cada vez que passo na cidade fico mais triste com o caos em que está. Sem outra linha... mais carros, mais caos, mais poluição, o que não ajuda muito à saúde!!!
De Ricardo Moreira a 15 de Fevereiro de 2010
Tem toda a razão no que diz. O meu último parágrafo era relativo apenas à minha adaptação (era essa a "razão oficial" que a Carris dava às críticas feitas na primeira fase da rede 7, um problema de "adaptação") e talvez o correcto tivesse sido ter escrito "Para mim valeu a pena". É óbvio que não vou dizer que uma criança, um idoso ou uma pessoa com dificuldades motoras faça os 2km e meio que eu faço todos os dias no caminho de casa para o comboio. Já quanto à pressa, e acreditem se quiserem, são muitos os dias em que faço todo esse caminho sem ser ultrapassado por nenhum autocarro!
De Luísa a 15 de Fevereiro de 2010
Acredito!! Quando andava a estudar na Cidade Universitária, às vezes tinha preguiça de correr até à paragem quando o autocarro estava a chegar. As pessoas saíam, as pessoas entravam, as portas fechavam-se, os sinais acendiam e apagavam, eu ia sempre caminhando e, qual tartaruga contra a lebre, conseguia chegar primeiro que o autocarro.
Mas a questão de adaptação que os senhores da Carris falam... quase que aposto que têm carro particular e autocarro... só quando há aquelas demosntrações bonitas em que vem o senhor-presidente-de-não-sei-o-quê, a senhora-ministra-de-não-sei-onde, para falarem dos benefícios-dos-transportes-públicos-caso-as-ruas-estivessem-em-ordem-sem-buracos-nem-obras-nem-carros-a-mais...
De Bic Laranja a 16 de Fevereiro de 2010
:) Cumpts.
De me a 16 de Fevereiro de 2010
Meu apreciado conterrâneo,
mantenha-se na sua área de excelência: Lisboa e arredores; não faça comentários políticos, por muita gana que tenha, dado a actual política ser uma caca.
Deus o abençoará.
De Bic Laranja a 16 de Fevereiro de 2010
Não sei a que se refere. Cumpts.
De Attenti al Gatti a 17 de Fevereiro de 2010
É o diabo a 7, como dizia o meu avô paterno.
A.v.o.
De Bic Laranja a 18 de Fevereiro de 2010
E ainda há quem diga. Cumpts. :)

Comentar

Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
21
23
25
26
27
29
30
31

Visitante


Contador

Selo de garantia

pesquisar

Ligações

Adamastor (O)
Apartado 53
Arquivo Digital 7cv
Bic Cristal
Blog[o] de Cheiros
Carmo e a Trindade (O)
Chove
Cidade Surpreendente (A)
Corta-Fitas(pub)
Delito de Opinião
Dragoscópio
Eléctricos
Espectador Portuguez (O)
Estado Sentido
Eternas Saudades do Futuro
Fadocravo
Firefox contra o Acordo Ortográfico
H Gasolim Ultramarino
Ilustração Portuguesa
Lisboa
Lisboa de Antigamente
Lisboa Desaparecida
Menina Marota
Mercado de Bem-Fica
Meu Bazar de Ideias
Paixão por Lisboa
Pena e Espada(pub)
Perspectivas(pub)
Pombalinho
Porta da Loja
Porto e não só (Do)
Portugal em Postais Antigos(pub)
Retalhos de Bem-Fica
Restos de Colecção
Rio das Maçãs(pub)
Ruas de Lisboa com Alguma História
Ruinarte(pub)
Santa Nostalgia
Terra das Vacas (Na)
Tradicionalista (O)
Ultramar

arquivo

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

____