22 comentários:
De Pedro Jaime a 15 de Maio de 2010
ahhhh.... pois é!

(só uma curiosidade: se tiveres cagança em ter o livro autografado, fala comigo)

há coisas do caneco. é ele mesmo!

abraço, sócio, abracinho!
De Bic Laranja a 15 de Maio de 2010
Já viste, que coisa extraordinária?!
Obrigado pelo préstimo que me ofereces. Talvez ainda te venha a pedir o favor...
Abraço!
De Attenti al Gatti a 15 de Maio de 2010
Estamos mesmo em época de coincidências. Vamos vêr se os meus números do Euromilhões coincidem com os números premiados.
A.v.o.
De Bic Laranja a 15 de Maio de 2010
Faço votos que sim. Boa sorte! :)
De MLeiria a 15 de Maio de 2010
Essa agora! Dá que pensar!...
De Bic Laranja a 15 de Maio de 2010
Muito. É isso que não sei explicar...
Cumpts.
De [s.n.] a 15 de Maio de 2010
Há muitas coincidências todos os dias. Às vezes só reparamos quando acontece uma forte como essa.
Mas não são por acaso. Isso é que era bom. Se assim fosse já se tinham descoberto os segredos do universo, do tempo, de tudo.
Cumpts,
De Bic Laranja a 15 de Maio de 2010
É especulativo mas não me impede de concordar. Obrigado pelo seu comentário.
Cumpts.
De MCV a 15 de Maio de 2010
Espantoso!
Não sei se imagino o bem que lhe calhou.
Abraço
De Bic Laranja a 15 de Maio de 2010
Sim, mas o enorme espanto sobrepõe-se a tudo.
Cumpts.
De Paulo Nunes a 16 de Maio de 2010
Um conjunto de coincidências que nos deixa a pensar se serão mesmo apenas isso.
Se me permite a questão, qual dos senhores da fotografia era o seu pai?
De Bic Laranja a 18 de Maio de 2010
Muita coincidência junta, pois...
No mais deixe-me só dizer que lá reconheço o sr. Proença e o sr. Coelho também.
Cumpts. :)
De João Baptista a 17 de Maio de 2010
Existem coincidências engraçadas na vida

Também acompanho o Prof na RTP Memória
De Bic Laranja a 18 de Maio de 2010
É verdade.
Cumpts.
De [s.n.] a 17 de Maio de 2010
Realmente Sr.Bic ... que coisa espantosa... que coisa maravilhosa!
Tambem o meu falecido pai, admirador incondicional de Lisboa, ali naquele visível café à saída do Metro dos Restauradores tomava o seu lanche, regressando depois a casa para comigo partilhar as suas deambulações diárias pela cidade.
Obrigado
Bem Haja
De Bic Laranja a 18 de Maio de 2010
Obrigado eu, pelo comentário.
Cumpts.
De cb a 18 de Maio de 2010
De facto há concidências no minímo estranhas.
Mas deixe-me aproveitar a fotografia e contar que ali à direita um pouco mais abaixo, após o Eden, havia uma barbearia (mais tarde acho que deu em agência bancária) que o meu Pai frequentava nos anos 50, época em que se ia ao barbeiro semanalmente cortar o cabelo e fazer a barba. O barbeiro própriamente dito era o Sr Oliveira. Eu tinha à volta dos meus 9 a 10 anos e acredita que ainda me lembro da sua cara ?
Paredes meias ficava um botequim chamado Piratas e um dia, já eu era um rapazola de 16/17 anos o meu Pai perguntou-me o que andava eu a fazer por lá. Com um misto de surpresa e atrapalhação perguntei-lhe como é que ele sabia ? Teria-me visto a entrar ou a sair ? Nada disso. O dono/empregado é que lhe disse que ia lá de vez em quando um grupo de rapazes e entre eles um que era a cara chapada dele (do meu Pai). Continuei a ir, mas sempre com muita compostura.
De Bic Laranja a 19 de Maio de 2010
Eh! Eh! Rica história. Comigo não sucederia. E assim hei-de continuar a poder passar desapercebido nos Restauradores porque ninguém, com certeza, me conseguirá tirar muita parecença com o meu pai.
Cumpts.
De Attenti al Gatti a 18 de Maio de 2010
Posto que as coincidências não beneficiaram o meu palpite no Euromilhões e com isso se perdeu esta posssibilidade de patrocionar as Edições Bic Laranja, resta-me contentar com a coincidência deste sêr o local, onde se situa a Taverna Imperial onde, diáriamente, tomo a "bica" e onde já vou desde o tempo em que, com o mesmo nome, funcionava à porta fechada. Tenho esta obra da Alice Veira cuja, não me despertou grande interesse, excepto a tal foto, não porque reconheça algum dos fotografados, mas pelos motivos que acima descrevo. Mas uma coincidência assim, caro Bic, é uma coisa singular, sem dúvida.
A.v.o.
De Bic Laranja a 19 de Maio de 2010
Obrigado pela confiança nas Edições Bic Laranja mas não creio que fosse negócio nada rendoso. Se esse era o investimento dos euromilhões garanto-lhe que no fim o saldo seria o mesmo com que ficou agora, pois claro.
Li um pedacinho do livro (O Chiado). Falta-lhe a aura dum tempo mais passado (que todavia vai ganhando), mas está bem escrito. É leve. Cuido que a autora procurou uma via antropológica de Lisboa. Talvez por isso estivesse como vossemecê, alheado da obra.
Cumpts. :)

Comentar