10 comentários:
De Luísa a 25 de Maio de 2010
"Não acredito!" foram as palavras que me saíram da boca quando li o seu texto.
Atenção, eu não duvido da sua palavra, só acho inacreditável o que me conta. (Eu ando a leste, literalmente, de Portugal. Raramente vejo notícias, por opção, pois já estou farta de ver tragédias, bancarrota, futebol e mais nada... Então fiquei a saber desta modernice por si.)

Juro que não entendo... como é que as pessoas deixam que se faça isso?? Às vezes, pergunto-me se não serei uma "velha do Restelo", mas acho que pelo menos neste caso não o sou.
Se é para deixar cair, ao menos que não gastem dinheiro em tintas e "artistas de renome internacional". Não?
De Bic Laranja a 25 de Maio de 2010
Fica a saber desta mas se cá passasse havia dever as modernices. Tudo duma inteligência de meter dó.
Quem se importa com isto deixa que aconteça porque não há nada, mesmo nada, que possa fazer-se. Todo o estrebuchar contra esta decadência é dum corpo moribundo: Portugal.
Cumpts.
De tron a 26 de Maio de 2010
caro amigo, já nos conhecmos destas lides dos blogs a um par de anos, talvez há mais e dos escroques que têm passado pela CML se espera tudo...de mau e trabalho que é bonito nada
De Bic Laranja a 26 de Maio de 2010
A julgar pelo que se vê e tem visto, isso que diz é muito verdade.
Cumpts.
De Attenti al Gatti a 26 de Maio de 2010
Infelizmente, trata-se de um espectáculo corrente. Basta vêr o que se passa do lado contrário da mesma avenida, nos cruzamentos da 5 de Outubro e António Augusto de Aguiar. E não é só de agora. As fotos antigas testemunham o que se perdeu com a construção do Sheraton, um "caixote" na altura tão celebrado como expoente de modernidade e progresso, a cujas galerias se ia só para "armar ao pingarelho". Visitei, há muitos anos atrás, um dos prédios da foto, assim como o Palácio Sotto Mayor. Nessa altura ainda exibiam restos da antiga grandeza. E soltava-se-me a imaginação. Parecia-me que viver alí, nos tempos áureos, tería sido como viver num planeta diferente daquele que conhecí nos dos bairros populares onde nascí e crescí. Tristemente, hoje, esses planetas estão próximos um do outro, unidos pela degradação e ruína.
A.v.o.
De Bic Laranja a 26 de Maio de 2010
Sim. Esses que diz aguardam a celebrada modernidade que se vê no Sheraton. Em quarenta anos a modernidade não evoluiu nada, afinal.
No mais é uma tristeza esta completa ruína em que a cidade cai; rica ou pobre, que parece não haver diferença. Uma desgraça!
Cumpts.
De João Baptista a 26 de Maio de 2010
Digam lá se isto não vale mais do que um novo aeroporto!

Sábado vou pela primeira vez a uma manifestação, tou farto destes idiotas
De Bic Laranja a 26 de Maio de 2010
Estes grafiteiros são arte à medida dos idiotas. Mas isto - cuido eu - já só a bofetada; com manifestações não vamos a aldo nenhum.
Boa sorte, em todo o caso.
De Lx a 27 de Maio de 2010
Mesmo devolutos aqueles edifícios ainda conseguem ter uma certa imponência e elegância Pena que aquele tipo que se diz presidente da câmara não veja isso. Ao autorizar a brincadeira dos graffiti está mesmo a dizer "aquilo vai abaixo". Vai-se fazer o que ali?? Escritórios ou o famoso arranha céus que tentam fazer à mais de 20 anos do outro lado? Recuperem o que lá está. Mesmo abandonado não cai, o que para os senhores deve ser uma grande chatice. Porque é que se faziam prédios com tanta qualidade?? Chatice não é??
De Bic Laranja a 27 de Maio de 2010
Sim senhor, estão rijos e deve ser uma dor de cabeça para a ganância nos rege a cidade.
Estes prédios têm uma elegância discreta e volumetria muito adequada a esta avenida. As cérceas não vão além do 3º andar onde o primeiro tem distinta função de andar nobre, com harmoniosos frontões triangulares rematando as janelas. Mas nada como fachadas de vidro e alumínio...
Cumpts.

Comentar