11 comentários:
De Carlos Portugal a 28 de Junho de 2010 às 20:49
Caro Bic:

Coitados dos «expressionistas»... Custava-lhes tanto escrever na Língua de Camões, habituados que estavam a qualquer linguajar pseudo-globalista. Assim, optaram por escrever em crioulo, dialecto que nem os nossos antigos Territórios Ultramarinos já usam...
Só os brasileiros, mas o que eles falam e escrevem já não é português, mas sim uma mistura dos mil e um dialectos dos emigrantes que povoaram aquelas que foram, em tempos áureos, as Terras de Vera Cruz.

Mas nem para eles tal aberração serve, já que só visa a ortografia, e a sintaxe brasileira é abismalmente diferente da portuguesa.

Então porquê o disparate do «acordo ortográfico»? Só se for para destruir ainda mais Portugal, tentando-o abastardar na sua Alma: a Língua Pátria.

Felizmente, a maior parte das Editoras Portuguesas dignas desse nome, ignoram por completo tal «acordo» saído de iletrados.

Cumprimentos.
De Bic Laranja a 29 de Junho de 2010 às 18:46
Pois! São institucionalões e avançam na asneira sem o Vocabulário estatuído no estúpido acordo. Este parece que é para vigorar a todo o custo.
Cumpts.
De MDP a 29 de Junho de 2010 às 07:12
Eu PORTUGUESA, nego-me a aceitar esta deturpacao da Lingua Portuguesa!
Continuarei a escrever a minha Lingua como me foi ensinada nos anos 60/70!
Cumprimentos
De Bic Laranja a 29 de Junho de 2010 às 18:51
Suponho que, forçando menos do que esta maneira como nos vêm impingindo o Acordo, as bases do dito dêem margem de escrita segundo a pronúncia suficientes para manter a ortografia portuguesa tal como até aqui. Eu digo 'adoptar' e 'baptizado' com as letras todas. Venha cá alguém dizer-me que isto não é uma pronúncia culta.
Cumpts.
De JC Duarte a 29 de Junho de 2010 às 19:12
A língua é algo tão vivo quanto eu ou você, leitor.
E, porque viva, evolutiva, cresceu, adaptou-se, aninhou-se no linguajar de quem a pronuncia. Sem decretos ou acordos, a reboque do falado, deixando as gramáticas e os dicionários sempre um passo atrás.
Por decreto, só a morte, prematura ou caridosa. Nunca a concepção ou o nascimento.
Ficarei sempre na dúvida se o acordo é “prematuro” ou “caridoso”. Porque, certamente, “parteiro” não o é!
De Bic Laranja a 29 de Junho de 2010 às 22:17
Prematuro. Um aborto. Trabalho de péssimos parteiros.
Cumpts.
De Cristina Ribeiro a 29 de Junho de 2010 às 19:36
Uma transmutação qualquer terá mudado" adota " para " anedota ", ao ler a peça.
De Bic Laranja a 29 de Junho de 2010 às 22:26
Conseguiu ler?!...
Anedota sem graça em récita de enjoo.
Cumpts.

De [s.n.] a 2 de Julho de 2010 às 18:07
Enviei há dois dias um comentário azedo sobre o vergonhoso acordo ortográfico... mas não apareceu na respectiva caixa. Será que ainda vai aparecer?
Maria
De Bic Laranja a 18 de Julho de 2010 às 17:09
Cuido que não. Respondo-lhe com mais detalhe por correio electrónico.
Cumpts.
De tron a 5 de Julho de 2010 às 22:01
no meu canto do sapo o acordo ortográfico não entra por muito que me peçam e se algum dos meus sobrinhos escrever como agora querem ensino a criança na nobre língua de camões e de eça de queiroz

Comentar